???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/3850
Tipo do documento: Tese
Título: Desigualdades e rupturas sociais na metrópole: os moradores de rua em São Paulo
Autor: Borin, Marisa do Espírito Santo 
Primeiro orientador: Bógus, Lucia Maria Machado
Resumo: Esta tese tem como objetivo analisar os determinantes que conduzem um contingente de indivíduos a um processo de rupturas sociais, levandoos a viver nas ruas da cidade de São Paulo, retratando a degradação que as condições de vida atingiram nas grandes metrópoles, nas últimas décadas do século XX e nos anos iniciais do século XXI. Encontra-se hoje em São Paulo um novo perfil de morador de rua que, ao lado dos pobres que se tornaram miseráveis, fruto do agravamento das desigualdades sócio-históricas e da incapacidade do poder público de promover políticas de inserção social que garantissem uma autonomia de vida, é vítima do desemprego e das condições econômicas e políticas do nosso país e vão constituindo um mundo à parte, compartilhando do universo espacial e temporal da sociedade, mas sem interagir com ela. Parte-se do pressuposto de que não há uma única determinação para a existência dessa realidade e de seu crescimento nos últimos anos. O que se observa é a presença de uma multiplicidade de processos que estão em jogo, de natureza sócio-econômica, político-institucional, familiar e individual, que encontram seu principal determinante nas condições histórico-estruturais que conformam as desigualdades sociais a partir das quais são moldadas a pobreza e as demais formas de "exclusão social" em nossa sociedade, embora se acredite que as relações com o trabalho tenham um peso central nesse quadro. Neste sentido, mais do que desenhar as causas que determinam a existência de vidas nas ruas, o eixo central da tese é desvendar a complexidade dessa realidade, trazendo à tona as formas cotidianas de vida e especialmente as relações que os moradores de rua estabelecem com o trabalho e a família. Apresenta-se, também, um paralelo entre os perfis das populações encortiçados e faveladas com o da população de rua, procurando-se encontrar semelhanças e diferenças entre eles, de forma a sugerir que as políticas públicas não mais analisem a pobreza urbana de forma segmentada, mas a partir de uma visão mais ampla de seu contexto
Abstract: This thesis is intended to analyze the factors that lead a number of people to a process of social rupture, forcing them to live on the streets of São Paulo city and describing to the degradation of the living conditions reached in the big cities which has taken place since the late twentieth century and during lhe first years of this century. These days in São Paulo there is a new profile of people who live on the streets who have become paupers due to the increasing social and historical inequalities and the inability of the public sector to implement strategies of social integration with a view to fostering independence and better living conditions. They fali prey to unemployment and the social and political conditions of our country and form a world apart, failing to interact with society, in spite of sharing with it the notion of space and time. We start by assuming that there is not a single causative factor that contributes to this situation and its development in the last few years. What we do find is a myriad of processes at stake - socioeconomic, political and family-related - ali of them stemming from the historical and structural conditions that shape the social inequalities, resulting in poverty and "social exclusion" from our society, even though it is believed that work-related factors are a central issue in this discussion, once the exclusion from work not only causes but is also dialectically caused by the exclusion both in and from the family. The thesis describes not only the factors underlying the existence of the homeless on the streets but also, and more importantly, how to unravel the complexity of this situation, bringing to life routines and ways of living on the streets and placing great emphasis on the relations between work and family. It also aims at drawing a paralell between the slum and hive population and the homeless, in the hope of finding similarities and differences between them, ultimately suggesting that the public sector should no longer analyse urban poverty from a segmented point of view but rather from a broader perspective
Palavras-chave: Pessoas desabrigadas
Desigualdade
Pobreza
Exclusao social
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Ciências Sociais
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais
Citação: Borin, Marisa do Espírito Santo. Desigualdades e rupturas sociais na metrópole: os moradores de rua em São Paulo. 2005. 242 f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2005.
Tipo de acesso: Acesso Restrito
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/3850
Data de defesa: 30-Nov-2005
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Marisa do Espirito Santo Borin.pdf9,11 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.