???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/4364
Tipo do documento: Tese
Título: YouTube: estrutura e ciberaudiência - um novo paradigma televisivo
Autor: Frigeri, Alexandre Machado 
Primeiro orientador: Trivinho, Eugênio
Resumo: O presente estudo é uma análise do site provedor de vídeos sob demanda YouTube como influente meio de comunicação no contexto dos denominados new media, agregando tecnologias que se destacam pelo volume acessado, transmissão multidirecional e número de usuários. As características dos new media se alteram em relação às estruturas dos media. Há maior interatividade de usuários, capacidade de produção e transformação, inserção e incorporação de novas informações. Também há flexibilidade de horário e acesso a conteúdos não disponibilizados nos media tradicionais. Diferente dos meios de massa, pouco interativos e unidirecionais, é instituído por um paradigma construído por multiusuários, sem controle (direcionador) do conteúdo veiculado, com a possibilidade de reconfiguração de informações. Nesta lógica, o YouTube é considerado um emergente e destacado fenômeno de comunicação.Apresenta um novo ver TV . Buscamos compreender as formas interacionais destes usuários do YouTubee os impactos causados no processo sociocomunicacional integral. Nossa análise inclui avaliação de pesquisas estatísticas (quantitativas) e avaliação de pesquisa descritivo-qualitativa. As questões básicas, problemas de pesquisa respondidos neste trabalho, incluem a forma de percepção pelos usuários, o processo de representação simbólica que o próprio YouTube assume e os hábitos dos usuários para acessar e validar informações. Os ciberespectadores utilizam este novo meio como fonte de questões culturais, profissionais, técnicas, científicas, religiosas e outras.Caracteriza um uso mais amplo nas diversas faixas etárias, que altera o conceito inicial de o YouTube ser voltado à diversão dos jovens (sem excluir esta possibilidade). As consequentes formas receptivas diferem do meio televisivo tradicional.Esta distinção mediativa entre TV e YouTubesugere um novo paradigma. Dentro da lógica dos novos meios, foram utilizados conceitos da cibercultura, dos estudos culturais, da semiótica e da comunicação. Foram analisados:o contraste dos termosmedia versus new media, identidade e a configuração de um meio de relações na cibercultura, o processo de semiose dos sentidos e percepçõese por fim os resultadosoriginais e pertinentes da pesquisa descritivo-qualitativa. Destacamos ser a pesquisa exclusiva para esta Tese, em parceria com o grupo IBOPE/Netratings
Abstract: This study involved an analysis of the YouTubevideo on demand provider as an influential means of communication within the context of the so-called New Media, which use technologies that stand out for their high-volume access, multidirectional broadcasting and number of users. The new media differ from traditional media structures in that they enable more interactivity among users, greater production and transformation capability, and the insertion and embedment of new information. They also offer time schedule flexibility and access to contents not available through traditional media. Unlike the traditional mass media, which are unidirectional and less interactive, the new media are based on a multiuser constructed paradigm, and their content is not controlled (guided), thus enabling the reconfiguration of information. Within this logic, YouTube is considered an emergent and important communication phenomenon, a new communication paradigm characterized by a new way of watching TV. Our quest is to understand the ways in which YouTube users interact and the impact of YouTube on the overall process of social communication. Our analysis includes an evaluation of statistical researches (quantitative) and of descriptive qualitative research. The basic issues or research problems answered in this work include users perceptions of YouTube, the process of symbolic representation that YouTube itself assumes, and users practices in accessing and validating information. Cyber spectators use this new medium as a source of information about cultural, professional, technological, scientific, religious and other subjects. This medium is characterized by its more widespread use among different age groups, thus modifying the initial notion that YouTubeis destined for the amusement of young people (although this possibility is not excluded). The way in which new media content is received differs from that of traditional TV, suggesting the creation of a new paradigm. This study addresses concepts of cyberculture, cultural studies, semiotics and communication based on the logic of the new media. An analysis is made of the contrast between the terms media and new media, the identitary issue, the configuration of a medium for relationships in cyberculture, and the process of semiotics of the senses and perceptions, as well as the original and pertinent findings of this descriptive qualitative research, part of which is unique and the result of a partnership with the IBOPE/NetRatings Group
Palavras-chave: Cibercultura
YouTube
Mediação
Comunicação
Cyberculture
Mediation
Communication
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::COMUNICACAO
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Comunicação
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica
Citação: Frigeri, Alexandre Machado. YouTube: estrutura e ciberaudiência - um novo paradigma televisivo. 2011. 464 f. Tese (Doutorado em Comunicação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2011.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/4364
Data de defesa: 16-Dec-2011
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Alexandre Machado Frigeri.pdf6,45 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.