???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/3529
Tipo do documento: Tese
Título: Mitopoética dos Muyraquitãs, Porandubas e Moronguetás: ensaios de etnopoesia Amazônica
Autor: Pinheiro, Harald Sá Peixoto 
Primeiro orientador: Carvalho, Edgard de Assis
Resumo: Nossa pesquisa, de caráter marcadamente ensaísta, propõe-se a investigar as pistas de uma mitopoética dos muyraquitãs, porandubas e moronguetás, elaborando um percurso para futuros estudos no campo dos ensaios de etnopoesia amazônica. A ideia que desenvolvo é que há uma poética que se faz no entrelaçamento das narrativas orais indígenas e a herança escrita (e não menos imaginária) de viajantes, naturalistas e pesquisadores que, debruçando-se sobre os mitos teceram um conjunto de outras narrativas tributárias dessa oralidade. Detenho-me principalmente em dois pesquisadores e suas narrativas etnografias que são Barbosa Rodrigues e Nunes Pereira. Da mesma forma que a razão deixa de ser vista como privilégio de civilizados , o mito não se torna mais tributário exclusivo dos primitivos e nem a poética um apanágio do Ocidente. Percebemos em vários momentos de nosso trabalho a intercomplementaridade entre razão, poética e mito. Como aporte teórico acolhemos diferentes traços das teorias da complexidade. Investigamos também a presença de uma dramaturgia que epifaniza realidade e imaginação e, com ela, passamos a identificar melhor suas categorias de análise em muitos povos e culturas amazônicas. Percebemos que nem todas as categorias racionais elaboradas na antiguidade e na modernidade serviram para pensar, compreender e intervir na complexa ambiência em que se situa os traços e contornos das narrativas mitopoéticas que formaram os tropos poéticos dos muyraquitãs, porandubas e moronguetás. Categorias como poéticas da diversidade, performance, oralidade, errância e simulacro estão presente nas narrativas durante o contato entre diferentes culturas e foram importantes para chegar a uma melhor compreensão dos termos etnopoesia e mitopoética. Nas ações dos heróis civilizadores, deuses e seres mitológicos, coexistem razão e imaginação, bem como astúcia e inventividade mitocriadora. Na pregnância da palavra pelo mito, fundem-se todos os anacronismos e ambivalências, como o sublime e o horrendo, o cômico e o trágico, revelando e clamando por experiências estéticas e culturais mais emergentes e fecundas
Abstract: Our research, of a markedly essayist nature, aims to investigate the clues of a mythopoeia of muyraquitãs, porandubas and moronguetás, preparing a path for future studies in the field of essays in Amazon ethno-poetry. The idea that I develop is that there is a poetics that is made in the interweaving of the indigenous oral narratives and the written heritage (and no less imaginary) of travelers, naturalists and researchers who, leaning over the myths, have woven a number of other tributary narratives concerning that oral tradition. I rely on two main researchers and their ethnographic narratives, namely Barbosa Rodrigues and Nunes Pereira. In the same way the reason ceases to be seen as a privilege of "civilized", the myth does not become any tributary exclusive to the "primitive" nor poetic an appanage of the West. We realized at various times in our work the intercomplementarity among reason, poetic and myth. As a theoretical contribution, we have considered different traits of complexity theories. We have also investigated the presence of a dramaturgy that epiphanizes reality and imagination, and with it, we can better identify their categories of analysis in many Amazonian peoples and cultures. We realize that not all rational categories developed in antiquity and modernity served to think, understand and intervene in the complex ambience in which is situated the outlines of mithopoeic narratives that formed the poetic tropes of muyraquitãs, porandubas and moronguetás. Categories as poetic diversity, performance, oral tradition, wandering and simulation are present in the narratives during contact between different cultures and were important to reach a better understanding of the terms ethno-poetry and mythopoeia. In the actions of civilizing heroes, gods and mythological beings reason and imagination coexist as well as cunning and myth maker inventiveness. In pregnance of the word by the myth, all anachronisms and ambivalences merge, as the sublime and the horrendous, the tragic and the comic, revealing and crying out for cultural and aesthetic experiences more emerging and fruitful
Palavras-chave: Errancia
Mitocriação
Etnopoesia
Mitopoética
Performance
Arte verbal
Wandering
Mith making
Ethno-poetry
Mythopoeia
Performance
Verbal art
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Ciências Sociais
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais
Citação: Pinheiro, Harald Sá Peixoto. Mitopoética dos Muyraquitãs, Porandubas e Moronguetás: ensaios de etnopoesia Amazônica. 2013. 250 f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2013.
Tipo de acesso: Acesso Restrito
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/3529
Data de defesa: 28-Nov-2013
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Harald Sa Peixoto Pinheiro.pdf2,89 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.