???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/3484
Tipo do documento: Dissertação
Título: Os Kinikinau de Mato Grosso do Sul: a existência de um povo indígena que resiste
Autor: Bolzan, Aila Villela 
Primeiro orientador: Passetti, Dorothea Voegeli
Resumo: Foi através da cerâmica que se chegou aos Kinikinau. Procurando dar visibilidade à sua existência, este povo indígena proveniente do Chaco Paraguaio, hoje instalado em Mato Grosso do Sul, criou e recriou estratégias de sobrevivência para não ser apagado de sua própria história, obtendo em tempos recentes um reconhecimento que lhe havia sido negado. A cerâmica elaborada atualmente por suas mulheres é um exemplo da estratégia acionada por este povo para se fazer menos invisível no contexto das populações indígenas de Mato Grosso do Sul. Sem uma terra própria, vivendo há aproximadamente um século em terras alheias, como, por exemplo, na Reserva Indígena Kadiwéu, os Kinikinau foram referenciados como Chané-Guaná ou Terena. Nos dias de hoje, uma pequena parcela de sua população luta por uma identificação que seja legitimamente Kinikinau. Este estudo visa problematizar aspectos que levaram ao suposto desaparecimento dos Kinikinau, conforme bibliografia etnológica do século XX, procurando percorrer parcialmente seus deslocamentos territoriais, no passado e presente, as relações intersocietárias estabelecidas com os povos Mbayá-Guaicuru e, finalmente, o papel da cerâmica enquanto evidência material que comprova a sua existência nos dias atuais
Abstract: One may approach the Kinikinau through its pottery. Looking to give visibility to their existence, this indigenous people from the Paraguayan Chaco, presently installed in the state Mato Grosso do Sulk, created and recreated survival strategies not to be erased from their own history, receiving in recent times an official recognition that had been once denied. The pottery produced currently by their women, is an example of the strategy driven by them to make it less invisible in the context of indigenous peoples of Mato Grosso do Sul. Without land of their own, living for nearly a century on lands of others for years such as the Kadiwéu Indian Reserve - the Kinikinau people were discovered to be Chané-Guaná or Terena. Nowadays, a small portion of the population struggle for an identity that might be legitimately Kinikinau. This study aims to discuss the aspects that led to the alleged disappearance of the Kinikinau looking for reference in ethnological literature of the twentieth century aiming to partially map their territorial dislocations both in past and present, as well as the intersocietal relations established with the Mbayá-Guaicuru people and finally exploring the role of its pottery as a material evidence that consolidates them their own existence today
Palavras-chave: Chané-Guaná
Kikikinau
Chaco Paraguaio
Cerâmica
Resistência
Paraguayan Chaco
Ceramics
Resistance
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Ciências Sociais
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais
Citação: Bolzan, Aila Villela. Os Kinikinau de Mato Grosso do Sul: a existência de um povo indígena que resiste. 2013. 143 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2013.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/3484
Data de defesa: 7-Jun-2013
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Aila Villela Bolzan.pdf6,35 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.