???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/21830
Tipo do documento: Dissertação
Título: As plantas medicinais brasileiras na literatura médica portuguesa: análise do Código Pharmaceutico Lusitano e possíveis desdobramentos
Autor: Sanchez, Natalia Augusto 
Primeiro orientador: Ferraz, Marcia Helena Mendes
Resumo: Plantas medicinais são espécies utilizadas com propósitos terapêuticos. E a utilização de tais plantas remonta a períodos antigos da Humanidade. No entanto, conhecimentos de cunho científico sobre as plantas medicinais surgiram com mais intensidade a partir do século XVIII, especialmente na Europa. Considerando o período histórico em questão, o Brasil, que ainda era uma colônia do Reino de Portugal, também era alvo de estudos, devido à imensa riqueza biológica, que muito interessava à Coroa Portuguesa. Unindo esses interesses econômicos à “melhor” forma de governar, surgem diversas leis, que tentam igualar a formação e atuação médica e farmacêutica brasileira ao padrão português. Dessas leis também decorrem o intercâmbio da literatura médica, e o início da produção de obras importantes em terras brasileiras, estimulando os estudos e obtenção de conhecimentos sobre uma das maiores riquezas em questão: as plantas medicinais de origem brasileira. É nesse contexto que surge o Código Pharmaceutico Lusitano, de autoria de Agostinho Albano da Silveira, que continha uma seção dedicada às plantas brasileiras. Baseada na análise e interpretação dessa e outras farmacopeias e textos médicos do referido período, a presente dissertação busca responder porque Silveira não incluiu na obra informações que já estavam disponíveis naquele período sobre as plantas medicinais brasileiras. Além disso, buscou-se verificar as formas de divulgação e utilização destas, bem como os desdobramentos científicos e legais nas áreas de ensino médico e farmacêutico no Brasil e em Portugal
Abstract: Medicinal plants are species used for therapeutic purposes. And the use of such plants goes back to ancient periods of mankind. However, scientific knowledge about medicinal plants arose more intensely from the 18th century, especially in Europe. Considering the historical period in question, Brazil, which was still a colony of the Kingdom of Portugal, was also the target of studies, due to the immense biological wealth that was very interesting to the Portuguese Crown. Uniting these economic interests to the "best" way of governing, several laws arise, which try to match the Brazilian medical and pharmaceutical training and performance to the Portuguese standard. These laws also include the exchange of medical literature and the beginning of production of important works on Brazilian soil, stimulating studies and obtaining knowledge about one of the greatest riches in question: medicinal plants of Brazilian origin. It is in this context that the Lusitano Pharmaceutical Code, authored by Agostinho Albano da Silveira, was created and which contained a section dedicated to Brazilian plants. Based on the analysis and interpretation of this and other pharmacopoeias and medical texts of the mentioned period, the present dissertation tries to answer why Silveira did not include in the work information that was already available in that period on Brazilian medicinal plants. In addition, we sought to verify the forms of dissemination and use of these, as well as the scientific and legal developments in the areas of medical and pharmaceutical education in Brazil and Portugal
Palavras-chave: Plantas medicinais - Brasil - História
Código Pharmaceutico Lusitano
Silveira, Agostinho Albano da
História da Ciência
Medicinal plants - Brazil - History
Lusitano Pharmacy Code
History of Science
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::HISTORIA::HISTORIA DAS CIENCIAS
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Faculdade de Ciências Exatas e Tecnologia
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em História da Ciência
Citação: Sanchez, Natalia Augusto. As plantas medicinais brasileiras na literatura médica portuguesa: análise do Código Pharmaceutico Lusitano e possíveis desdobramentos. 2018. 76 f. Dissertação (Mestrado em História da Ciência) – Programa de Estudos Pós-Graduados em História da Ciência, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2018.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/21830
Data de defesa: 13-Jun-2018
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em História da Ciência

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Natalia Augusto Sanchez.pdf877,37 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.