???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/21752
Tipo do documento: Tese
Título: Modos de troca cognitiva no agrossistema digital
Título(s) alternativo(s): Modes of cognitive exchange in the digital agrosystem
Autor: Camargo, Alessandro Mancio de 
Primeiro orientador: Santaella, Lucia
Resumo: A atividade agrícola tira proveito da emergência de diversas novas tecnologias, cujos avanços estruturais e técnicos expressam-se desde o século passado por meio, por exemplo, dos fertilizantes químicos, dos transgênicos, do código digital, da multimídia, da mobilidade interativa. Particularidades desse processo são discutidas neste trabalho por meio de registros históricos como os da grande aceleração (STEFFEN et al., 2015), uma série de inovações que a partir de 1950 orienta o crescente papel do poder cognitivo e tecnológico em conformar o futuro e já deixa uma marca geológica efetiva no planeta, identificada como Antropoceno. Assim, esta tese recupera a origem rural da grande aceleração e discute como ela se multiplica em tecnologias disruptivas no agrossistema digital como descrito, entre outros, por Massruhá et al. (2014) e Bernardi et al. (2014) que atuam na Embrapa Informática e Embrapa Instrumentação, respectivamente. Para tanto, adota-se como estratégia metodológica a postura tecnográfica de Jansen e Vellema (2011), que leva em conta a integração na agricultura das dimensões técnicas, biofísicas, culturais, econômicas, cognitivas para solução do seguinte problema levantado: De que maneira diversos elementos e dinâmicas (clima, solo, máquinas, agricultores, código digital) têm suas relações e trocas afetadas pela conectividade ubíqua? Entre as respostas apresentadas, a conclusão do trabalho indica que o agrossistema digital incentiva e premia lógicas relacionais cada vez mais voltadas ao potencial de explorar o conhecimento rural do que, propriamente, à habilidade de produzir alimentos. Logo, agrossistemas tanto abdutivos-indutivos quanto dedutivos – tais como o intrincado jardim doméstico javanês e a tecnológica agricultura urbana Gotham Greens, por exemplo – devem vincular-se equitativamente a redes plenas, profundas e sinergéticas de entendimento e atendimento do ecossistema, a fim de ampliar a cooperação entre os diversos modos de relações e trocas cognitivas existentes no campo. Isso requer a universalização das habilidades necessárias para integrar-se ao agrossistema digital de modo confiável e transparente
Abstract: Agricultural activity takes advantage of several new technologies, whose structural and technical advances have been expressed since the last century, for example, through chemical fertilizers, transgenic crops, digital code, multimedia, interactive mobility. This thesis outlines in detail this process through historical records such as those of the great acceleration (STEFFEN et al., 2015), a series of innovations that since 1950 have been driving the growing role of cognitive and technological power in the design of the future and that already leaves an effective geological mark on the planet, identified as Anthropocene. Therefore, this thesis revisits the rural origin of the great acceleration and discusses how it repeatedly presents itself in disruptive technologies in digital agrosystem as described, among others, by Massruhá et al. (2014) and Bernardi et al. (2014) of Embrapa Informática and Embrapa Instrumentação, respectively. This work adopts the technography proposed by Jansen and Vellema (2011), which is a method that balances the technical, biophysical, cultural, economic and cognitive dimensions seen in agriculture, as a methodological strategy to solve the following problem: In what way do several elements and dynamics (climate, soil, machines, farmers, digital code) have their relations and exchanges affected by ubiquitous connectivity? As a conclusion, this thesis shows that the digital agrosystem increasingly encourages and rewards relational logics aimed at the potential of profiting from rural knowledge rather than the ability to produce food. Thus, both abductive-inductive and deductive agrosystems – such as the fuzzy Javanese domestic garden and Gotham Greens technological urban agriculture, for example – must be equitably linked to complete, deep and interactive networks to meet and understand ecosystem needs in order to enhance cooperation between the different modes of relations and cognitive exchanges existing in the field. This requires the universalization of the essential skills that allow integration into digital agrosystem in a reliable and transparent way
Palavras-chave: Extensão rural
Ecossistemas
Empresa emergente de tecnologia agropecuária
Agricultura - Transferência de tecnologia
Rural extension
Biotic communities
Agriculture - Technology transfer
Área(s) do CNPq: CNPQ::ENGENHARIAS
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Faculdade de Ciências Exatas e Tecnologia
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Tecnologia da Inteligência e Design Digital
Citação: Camargo, Alessandro Mancio de. Modos de troca cognitiva no agrossistema digital. 2018. 186 f. Tese (Doutorado em Tecnologia da Inteligência e Design Digital) - Programa de Estudos Pós-Graduados em Tecnologia da Inteligência e Design Digital, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2018.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/21752
Data de defesa: 26-Nov-2018
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Tecnologia da Inteligência e Design Digital

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Alessandro Mancio de Camargo.pdf8,41 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.