???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/21663
Tipo do documento: Tese
Título: Escola e Igreja: racismo preconceito e preconceito religioso
Autor: Silva, Antonio José da
Primeiro orientador: Consorte, Josildeth Gomes
Resumo: A Lei 10.639/03 completa 15 anos, sem ainda ser uma realidade no interior das salas de aulas. Trata-se de uma política afirmativa, isto é, não universal, que procurar romper com o imobilismo e o silêncio de décadas do ensino brasileiro sobre a questão afrodescendente. Com o argumento que não existe nenhuma lei que proíba a participação deste segmento como cidadão brasileiro na vida cotidiana, é perceptível as formas de discriminação, preconceitos e mesmo racismo que disseminam de forma sorrateira pela sociedade. A ideia de que o brasileiro tem preconceito de ter preconceito, elaborada por Florestan Fernandes, ainda é uma realidade. Existe um silêncio sobre essa situação e não como quer alguns a inexistência de racismo, preconceito e discriminação. A população não branca no Brasil sofre com a situação de classe, mas também, e com muita força, com a questão racial. E neste sentido a mulher não branca sofre de maneira ímpar. Sofre o preconceito de classe, raça e gênero. O objetivo deste trabalho foi apresentar algumas causas dessa situação, procurando focar na questão do cotidiano da escola, ou mesmo da sala de aula, onde essas formas de discriminação são confirmadas. Procuro demonstrar no cotidiano da escola como a discriminação e preconceito contra a cultura afrodescendente acontecem. Trata-se de uma tarefa muito difícil de comprovar, pois não há registros que possam afirmar. Assim, a referida lei não acontece neste ambiente. Captar tais manifestações (do que) foi a tarefa mais difícil a realizar, pois não aparecem de maneira explicita. Foi possível ouvir pela fala dos professores, mas não há uma situação especifica em que podemos apresenta-las. Espero que este trabalho lance luz sobre essa ação silenciosa que está tornando a escola de maneira subliminar, assim como a “democracia racial” o fez ao longo dos anos
Abstract: The law 10.639/03, 15 years old in 2018, is not a reality inside classrooms in Brazil, yet. It is an affirmative action policy, thus not universal, aimed at the breaking of the immobility and silence of various decades in the Brazilian teaching/learning system concerning African-descent issues. By means of a speech that there is not any law that forbids the participation of the mentioned ethnic group in the day-by-day of the Brazilian society, it is crystal clear the forms of discrimination, prejudice and yet racism itself, disseminated all over Brazilian society in tacit ways. The idea that Brazilians discriminates against discrimination, designed by Florestan Fernandes, is still a reality. There is silence about the mentioned situation, but there is not the inexistence of racism, as claimed by some Brazilians. The non-white Brazilian population is victim of both class and race prejudice, discrimination. The non-white woman, in a unique way, is three times a victim: class, race/ethnicity, and gender. This research aimed to present some causes of the mentioned discrimination, prejudice, focusing the daily school activities, inside class- rooms, where such forms of discrimination can be confirmed. It also tries and show how discrimination, prejudice against African-descent culture takes place in the daily school activities. It is a very difficult task, for there is lack of “official” evidences, thus the mentioned law is not a reality in the educational environment. Capturing discriminatory demonstrations was the most difficult task, for they are not explicit. We managed to hear it for the teachers, but we lack of any specific example to bring to the table. We expect that this work brings light to this silent situation that, in a subliminal way, is turning our schools into the everlasting so called “racial democracy
Palavras-chave: Afrodescendente
Neopentecostalismo
Educação
Afro-descent
Neo Pentecostalism
Education
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Faculdade de Ciências Sociais
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais
Citação: Silva, Antonio José da. Escola e Igreja: racismo preconceito e preconceito religioso. 2018. 188 f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2018.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/21663
Data de defesa: 17-Oct-2018
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Antonio José da Silva.pdf2,17 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.