???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/20971
Tipo do documento: Dissertação
Título: Crítica às “teorias” da liderança: da teoria política às prescrições
Autor: Castro, Breno Antonio Rodrigues de 
Primeiro orientador: Amorim, Maria Cristina Sanches
Resumo: Este estudo é um ensaio teórico, tendo como metodologia para a análise da liderança o estudo das chamadas “escolas” de liderança e da teoria política, submetendo a literatura em análise ao método científico estabelecido pela filosofia da ciência. Esta dissertação defende a tese de que não há teoria da liderança nos termos estabelecidos pela epistemologia científica, que são: a) a definição deve ser mais clara do que o que é definido; b) a definição deve, tanto quanto possível, delimitar afirmativamente a realidade a definir; c) a definição não deve retomar o termo a definir; d) é preciso que a definição se refira à essência e não a propriedades ou características; e) o conceito não poderá ser muito extenso e de baixa compreensão. Como consequência, o que a literatura do management chama de teoria, à luz da filosofia da ciência, é um conjunto de prescrições para o exercício da liderança nas organizações. Os argumentos para sustentar essa tese estão na filosofia da ciência ― que organiza o método a partir do qual se julga um fenômeno ― e na teoria política clássica. Esta Dissertação objetiva analisar dois aspectos decorrentes da tese acima destacada: 1) analisar as prescrições sobre liderança à luz da teoria política e 2) apontar a fragilidade destas prescrições. Assim, se a liderança tal como descrita pela literatura do management não é teoria, Concluímos que não há teoria da liderança (não há definições, os argumentos não passam de metáforas, casos isolados, senso comum), nenhuma “escola” preenche os requisitos para definir liderança. As prescrições são formas mais sofisticadas de controle que visam ocultar os conflitos decorrentes das relações de poder inerentes às organizações
Abstract: This study is a theoretical essay, having as a methodology for the analysis of leadership the study of the so-called "schools" of leadership and political theory, subjecting the literature in analysis to the scientific method established by the philosophy of science. This dissertation defends the thesis that there is no theory of leadership in terms established by scientific epistemology, which are: a) the definition must be clearer than what is defined; b) the definition should, as far as possible, affirmatively define the reality to be defined; c) the definition should not go back to the term to be defined; d) it is necessary that the definition refers to the essence and not to the properties or characteristics; e) the concept can not be very extensive and low-key. As a consequence, what management literature calls a theory, in the light of the philosophy of science, is a set of prescriptions for the exercise of leadership in organizations. The arguments to support this thesis lie in the philosophy of science - which organizes the method from which it is thought to be a phenomenon - and in classical political theory. This dissertation aims to analyze two aspects arising from the above-mentioned thesis: 1) to analyze the prescriptions about leadership in the light of political theory and 2) to point out the fragility of these prescriptions. Thus, if leadership as described by management literature is not theory, we conclude that there is no theory of leadership (there are no definitions, arguments are just metaphors, isolated cases, common sense), no "school" fulfills the requirements for define leadership. Prescriptions are more sophisticated forms of control aimed at concealing the conflicts arising from the power relations inherent in organizations
Palavras-chave: Liderança
Poder (Ciências sociais)
Comportamento organizacional
Leadership
Power (Social sciences)
Organizational behavior
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::DIREITO
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Faculdade de Economia, Administração, Contábeis e Atuariais
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Administração
Citação: Castro, Breno Antonio Rodrigues de. Crítica às “teorias” da liderança: da teoria política às prescrições. 2018. 67 f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Programa de Estudos Pós-Graduados em Administração, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2018.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/20971
Data de defesa: 7-Mar-2018
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Administração

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Breno Antonio Rodrigues de Castro.pdf505,89 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.