???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/20178
Tipo do documento: Tese
Título: Mães em situação de encarceramento e a relação com seus familiares: um estudo em unidades prisionais na cidade de S. Paulo
Autor: Monastero, Leda Fleury 
Primeiro orientador: Macedo, Rosa Maria Stefanini de
Resumo: O aumento de 246% da população carcerária feminina, entre 2000 e 2012 é uma realidade comprovada em nosso país, que totaliza 37.200 mulheres presas em 2016, ocupando o 5º lugar no mundo. 72% dos motivos de encarceramento feminino é o tráfico de drogas, que levanta a questão de gênero identificada pelas funções subalternas desempenhadas pelas mulheres. Estudos anteriores mostraram que a maior preocupação das mães encarceradas é com os filhos e seus cuidados. Esta pesquisa objetivou compreender as dinâmicas das relações familiares surgidas após o encarceramento da mãe, nos arranjos feitos pelas famílias. O estudo adotou uma abordagem qualitativa, realizando uma pesquisa narrativa onde se analisa as histórias vividas e contadas pelos participantes, a partir de seus relatos orais ou escritos. As narrativas de 5 mães encarceradas foram colhidas em três penitenciárias na cidade de São Paulo e dos 12 filhos e 5 cuidadores, em suas residências e outros locais públicos. Os relatos foram ordenados a partir do passado familiar, antes do encarceramento, a vida prisional e a relação com a família e as expectativas para o futuro, após a saída da prisão. Foi possível identificar a força e o valor que a família possui; a grande preocupação com a maternagem; os arranjos possíveis e criativos de cada sistema familiar; as repetições de padrões familiares entre as gerações; as questões de violência e de gênero. Além de fornecer aspectos importantes sobre as características de vida dessas mulheres e seus familiares que possibilitam melhor compreensão da situação enfocada, este trabalho pretende oferecer subsídios para políticas públicas alternativas ao encarceramento feminino com privação da liberdade
Abstract: The increase of 246% of the imprisoned women population between 2000 and 2012 is an evident reality in our country that amounts to 37,200 women sent to jail in 2016. It is the fifth largest population in the world. 72% of the reasons for female incarceration are drug-related offences, which raises the gender issue identified by the lower-ranking functions performed by women. Former studies have revealed that the deepest concern of inmate mothers is over their children and their care. This research aims to understand, after a mother imprisonment, the dynamics of family-relationships in the new arrangements made by families. The study adopts a qualitative approach, pursuing a narrative research that analyzes the stories lived and told by participants, based either on their oral or written reports. The narratives of 5 imprisoned mothers were collected in three jails in the city of São Paulo. The narratives of the 12 children they have, and 5 caregivers were taken at their homes and other public places. The reports were ordered from the family's past before imprisonment, followed by their life and family relationship while in jail, up to their future expectations after their release from jail. It was possible to identify the strength and value that these families hold; the huge worry about mothering they nurture; conveivable and ingenious arrangements that each family system makes. It was also possible to see familiar patterns repeating from generation to generation; such as violence and gender related issues. Besides providing fundamental aspects about the life these women and their families live what allows us a better understanding of the situation, this work aims to render subsidies for alternative public policies to women confinment with deprivation of liberty
Palavras-chave: Mães em situação de encarceramento
Filhos de mulheres presas
Prisioneiras - Relações com a família - São Paulo (cidade)
Imprisonment mothers
Children of preyed women
Prisioneiras - Family relations - São Paulo (city)
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Faculdade de Ciências Humanas e da Saúde
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Clínica
Citação: Monastero, Leda Fleury. Mães em situação de encarceramento e a relação com seus familiares: um estudo em unidades prisionais na cidade de S. Paulo. 2017. 197 f. Tese (Doutorado em Psicologia: Psicologia Clínica) - Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Clínica Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2017.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/20178
Data de defesa: 17-Jun-2017
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Clínica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Leda Fleury Monastero.pdf2,22 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.