???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/20167
Tipo do documento: Dissertação
Título: Análise do RAROC utilizando modelo DuPont dos bancos privados listados na BM&FBOVESPA de 2010 a 2015
Autor: Assis, José do Socorro 
Primeiro orientador: Santos, José Odálio dos
Resumo: Os fatores determinantes na geração de retornos de capital investido frente aos riscos assumidos nas instituições financeiras têm sido tema amplamente discutido nas finanças corporativas. O objetivo desta pesquisa é compreender a contribuição dos fatores econômico-financeiros na explicação do desempenho do retorno ajustado ao risco do capital: RAROC (Risk-Adjusted Return On Capital). Neste contexto, a utilização desta métrica teve, como ponto de partida, o fundamento da gestão do capital em instituições financeiras sob os enfoques da alocação em riscos versus a maximização retorno. Para tanto, a pesquisa considera a amostra de onze bancos com ações negociadas na BM&FBOVESPA e distribuídos em três grupos: (i) grande, (ii) médio e (iii) pequeno porte, tendo o porte definido conforme critério do BACEN descrito na Relatório de Estabilidade Financeira. A análise dos fatores econômico-financeiros apoia-se nos fundamentos do modelo DuPont, partindo da decomposição do ROE (Return On Equity) para a calcular o RAROC em instituições financeiras, onde se consideram três fatores: i) alavancagem financeira do capital, sendo a razão entre os ativos alocados em riscos e o capital disponível para riscos; ii) rentabilidade dos ativos, apurada pela razão entre as receitas líquidas e os ativos ponderados pelos riscos, e iii) taxa de lucratividade, medindo a eficiência operacional e tributária a partir da razão entre o lucro econômico e as receitas líquidas. O período selecionado foi de 2010 a 2015, com dados semestrais obtidos nas Demonstrações Financeiras e nos Documentos de Gerenciamento de Riscos e Capital divulgados pelas instituições financeiras, sendo considerado como o período posterior à crise bancária de 2008 e 2009. A metodologia adotada é de natureza empírico-analítica e o tipo de pesquisa caracteriza-se como quantitativa, descritiva e documental. Os resultados obtidos com a utilização de técnicas estatísticas de correlação de Pearson (r) e regressão linear múltipla no método stepwise (r2 ajustado), bem como os testes de hipóteses, onde indicaram a existência de características próprias para os grupos estudados. O grupo de bancos de grande porte apresentou o fator de lucratividade como o de maior capacidade de explicação do RAROC com correlação de 0,982 e r2 de 96,3%, demonstrando assim que a gestão eficiente dos custos da estrutura se apresentou como um fator diferenciador na geração do retorno ajustado ao risco do capital. No que diz respeito ao grupo de bancos de médio porte, os fatores lucratividade e rentabilidade apresentaram moderada capacidade de explicação e bastante similares com r2 de 48,4% e 43,1%, respectivamente. No grupo de bancos de pequeno porte, o fator lucratividade apresentou alta capacidade de explicação com r2 de 76,1%. Deve-se considerar que o mercado de bancos de médio e pequeno porte é mais vulnerável às crises econômicas e com maior custo de captação, exigindo assim a busca contínua da alta especialização, diferenciação e flexibilidade nos seus negócios. A justificativa deste trabalho baseia-se na relevância e atualidade do tema para a comunidade acadêmica e pela representatividade da atividade bancária no desenvolvimento econômico do país
Abstract: The key factors when analyzing invested capital returns versus the risks assumed by financial institutions have been widely discussed in corporate finance. The goal of this study is to understand the contribution of economic-financial factors when explaining the risk-adjusted return on capital: RAROC. In this context, this metric, in its starting point, was used on the foundation of capital management in financial institutions under the approaches of risk mitigation versus maximization return. Therefore, this study considers a sample of eleven banks with capital being traded on BM&FBOVESPA and was distributed in three groups: (i) large, (ii) medium and (iii) small size, with the size defined according to the BACEN criteria described in the Financial Stability Report. The analysis of the economic-financial factors are based on the DuPont model, starting from the ROE (Return On Equity), and afterwards, calculating RAROC in financial institutions, considering three factors: i) capital financial leverage, as the ratio between assets allocated to risks and available risk capital; ii) assets profitability, calculated by the ratio between net revenues and risk-weighted assets, and iii) profit margin rate, which measures the operational and tax efficiency based on the ratio of economic profit to net revenues. The period considered in this analysis is from 2010 to 2015 with semiannual data obtained in the Financial Statements and Risk and Capital Management Documents released by financial institutions, which as selected for being the period after the banking crisis of 2008 and 2009. The methodology adopted is empirical-analytic and the type of research that is characterized as quantitative, descriptive and documentary. The results obtained with the use of Pearson (r) statistical correlation techniques and multiple linear regression in the stepwise method (r2 adjusted), as well as the hypothesis tests, indicated the existence of peculiar characteristics to the studied groups. The group of large banks presented the profit margin rate as the one with the highest explanatory capacity of RAROC with a correlation of 0.982 and r2 of 96.3%, thus demonstrating that the efficient management of the structure costs was presented as a differentiating factor in the Risk-adjusted return on capital. Regarding the group of medium-sized banks, the factors of profitability and profit margin rate profitability presented a modest explanatory capacity and quite similar with r2 of 48.4% and 43.1%, respectively. In the group of small banks, the profit margin rate had a high explanatory power with r2 of 76.1%. It should be considered that the market of medium and small banks is more vulnerable to economic crises and presents a higher cost of funding, thus requiring a continuous search for high specialization, differentiation and flexibility in their businesses. The justification for this work is based on the relevance and timeliness of the theme for the academic community and the representativeness of banking activity in the country's economic development
Palavras-chave: Instituições financeiras
Gestão de capital
Gestão de riscos
Financial Institutions
Capital management
Risk management
Risk-Adjusted Return on Capital
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ADMINISTRACAO
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Faculdade de Economia, Administração, Contábeis e Atuariais
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Administração
Citação: Assis, José do Socorro. Análise do RAROC utilizando modelo DuPont dos bancos privados listados na BM&FBOVESPA de 2010 a 2015. 2017. 106 f. Dissertação (Mestrado em Administração) - Programa de Estudos Pós-Graduados em Administração, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2017.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/20167
Data de defesa: 7-Jun-2017
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Administração

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
José do Socorro Assis.pdf958,23 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.