???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/19083
Tipo do documento: Tese
Título: Lexicultura: construção desconstrução reconstrução da identidade do brasil(eiro) : entre projeções e planificações de projetos coloniais
Autor: Lopes, Lúcia Helena Ferreira 
Primeiro orientador: Turazza, Jeni da Silva
Resumo: Esta tese tematiza a gênese da construção da identidade do povo brasileiro, concebida como processo dinâmico que se explica por conhecimentos arquivados na memória do longo, do médio e do curto prazo por pressupostos culturais, ideológicos e utópicos. Nesse contexto, a identidade foi focalizada por uma perspectiva historiográfica, considerando a linguagem como fundamento e fundação desse processo e o texto escrito como lugar que faculta a sua compreensão e reinterpretação. Os fundamentos teórico-metodológicos que propiciaram o desenvolvimento do tema proposto foram aqueles da linguística textual-discursiva da vertente sócio-cognitivo-interacional, numa interface com aqueles da Lexicologia, de modo a facultar movimentos de leituras e releituras das/nas fissuras dos textos da História oficial brasileira pela leitura e releitura do texto literário Cartas Chilenas. Os resultados obtidos, em consonância com o objetivo geral – compreender os processos de construção da identidade do povo brasileiro por meio de narrativas da História que tratam dos sentidos inscritos em dois projetos: um relacionado à colonização do território brasileiro pelo povo português e outro, à independência política da colônia brasileira – possibilitam concluir que: a) a narratividade é trabalho lento e gradual, orientado e organizado pela criação ou reinvenção de velhas histórias; uma produção cultural por meio da qual se identificam, nas fissuras do tempo vivido, o acontecimento, o acontecido e o acontecível: alicerce para a construção das utopias; b) as projeções sobre as terras antípodas, situadas no imaginário dos povos antigos e representadas sob a forma de ilha conservou as representações herdadas da mitologia, da religião e da ciência e, após a descoberta do quarto continente, implicou um ato mental de reconstrução da cartografia terrestre; c) o descobrimento da América, nele implicado o achamento da Ilha de Vera Cruz, por um lado, comprovou as projeções do imaginário humano e, por outro, possibilitou a planificação do projeto português de expandir as suas terras para além dos limites da velha Europa; d) o projeto português de ocupação, uso e posse das terras coloniais, foi orientado por pactos e contratos firmados, sobretudo, com os línguas que responderam pelas estratégias de destribalização e desterritorização e pelo desenvolvimento de um importante mercado econômico informal que – com a colaboração dos negros de Guiné –, de forma lenta e gradual, financiou vários empreendimentos coloniais, dentre eles a descoberta das minas de ouro: projeções imaginadas. Nesse cenário local, destacam-se os mazombos e o projeto de independência política e econômica da Colônia dos escorchantes tributos impostos pela Coroa: tema do discurso da história e, também, do discurso da literatura do Brasil Colonial. Desse e por esse cenário global, conclui-se que a identidade do povo brasileiro é uma construção inscrita nos matizes da história dos povos nativos da América, tecida e entretecida àqueles da história de povos europeus ocidentais e àquela de africanos subsaarianos: uma construção da história do mundo moderno implicada na reinterpretação da história do mundo antigo
Abstract: This paper focuses on the genesis of the establishment of the identity of the Brazilian people, perceived as a dynamic process explained by the knowledge stored in the long-term, medium-term and short-term memories by cultural, ideological and utopic assumptions. In this context, we focused on identity through a historiographical point of view, considering language as the basis and the ground of this process and considering the written text as a means that enables understanding and reinterpreting the language. The theoretical and methodological grounds that allowed developing the subject studied herein derived from the text/discourse-related linguistics within the social-cognitive-interactive branch, interfacing with those found in Lexicology, so as to enable the reading and re-reading of/in the gaps of the Brazilian official history by reading and re-reading the Chilean Letters. The results obtained, in line with the general goal – understanding the processes that led to the establishment of the identity of the Brazilian people through History texts that address the meanings described in two projects: one concerning the colonization of Brazil by the Portuguese people and another one concerning the political independence of the Brazilian colony – lead to the following conclusions: a) the narrative is a slow, gradual process, guided and organized by the creation or reinvention of ancient stories; a cultural production through which the event, past events or future events can be identified in the gaps of past: the basis for building utopias; b) the projections about the antipodes, part of the imagination of ancient people and represented as an island, preserved the representations inherited from mythology, religion and science, and, after the discovery of the fourth continent, they represented a mental work of reconstruction of the Earth‟s cartography; c) the discovery of America, including the finding of Island of the True Cross therein, on the one hand, served as proof of the projections imagined by the people, and, on the other hand, enabled the planning of the Portuguese project of expanding their lands beyond the borders of Old Europe; d) the Portuguese plans for the occupation, use and possession of colonized lands was guided by agreements and arrangements made in special with the indigenous people responsible for the strategies of dismantling tribes and the territories and the development of a significant informal market, which – with the cooperation of people from Guinea – financed, slowly and gradually, several colonial undertakings, including the discovery of goldmines: imagined projections. In this local context, multiracial people stand out, along with the plans of political and economic independence of the Colony from the high taxes levied by the Portuguese: foundations of the history narrative and also the literature of Brazil as a Colony. Considering this global context, one can conclude that the identity of Brazilian people is a process inserted in the history of native American people, influenced by the history of Eastern European people and Sub-Saharan Africans: the establishment of the history of the modern world as reinterpreted by the history of the ancient world
Palavras-chave: Lexicultura
Identidade
Narratividade
Lexiculture
Identity
Narration
Área(s) do CNPq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LETRAS::LINGUA PORTUGUESA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Faculdade de Filosofia, Comunicação, Letras e Artes
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Língua Portuguesa
Citação: Lopes, Lúcia Helena Ferreira. Lexicultura: construção desconstrução reconstrução da identidade do brasil(eiro) : entre projeções e planificações de projetos coloniais. 2016. 205 f. Tese (Doutorado em Língua Portuguesa) - Programa de Estudos Pós-Graduados em Língua Portuguesa, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2016.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/19083
Data de defesa: 15-Jun-2016
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Língua Portuguesa

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Lúcia Helena Ferreira Lopes.pdf3,55 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.