???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/19045
Tipo do documento: Tese
Título: O consumo alimentar de famílias da nova classe trabalhadora brasileira
Autor: Campos, Antônio Guimarães
Primeiro orientador: Mira, Maria Celeste
Resumo: O presente trabalho incorpora e problematiza a questão das recentes transformações na estrutura social brasileira, com a ascensão, desde 2003, de uma parcela da população para uma suposta "nova classe média". Essa discussão se impõe e é pertinente uma vez que as práticas de consumo sinalizam a posição social, um novo ethos do trabalho e o estilo de vida das pessoas e grupos na sociedade. O objetivo é compreender as práticas de consumo alimentar de famílias do residencial "Vila das Roseiras" em Divinópolis (MG). O trabalho partiu de duas premissas: (1) o aumento da renda e da capacidade de consumo, por si só, não determinam mudança de classe social; (2) houve mudanças nos itens de alimentos consumidos pelos moradores do residencial. A coleta dos dados ocorreu em duas etapas. A primeira fase da pesquisa de campo foi quantitativa, enquanto que na segunda utilizou-se três técnicas qualitativas, a saber: a observação, a entrevista e o grupo focal. Na fundamentação teórica são feitas considerações sobre o conceito de classes sociais, aborda-se as recentes alterações na estratificação social brasileira, discute-se a questão do consumo alimentar e apresenta-se algumas características da culinária mineira. A pesquisa empírica confirmou a premissa de que os moradores do residencial não mudaram sua classe social, pois apesar de ter havido aumento da renda e do consumo, sua cultura, seus hábitos e o estilo de vida ainda são os mesmos, ou seja, pertencem a uma classe trabalhadora. A segunda premissa não foi confirmada já que os moradores do residencial mantiveram a mesma cultura alimentar com poucas alterações em suas intenções de compra de alimentos e alteraram apenas de forma superficial o consumo de alguns itens. Eles ainda mantêm dieta rica em gorduras, consomem muito açúcar, alimentos que contêm muito sal e sódio e reduzido consumo de frutas e verduras. Conclui-se que apesar de ter havido melhoria na condições econômicas e sociais das famílias do residencial, seus padrões alimentares ainda são os mesmos e estão muito enraizados no passado e que se trata de uma classe trabalhadora de baixa renda. O estilo de vida e posição social dos moradores é característico da população de baixa renda, sendo que eles se não se reconhecem como sendo de “classe média” em função de suas histórias de vida e mantêm alguma esperança em ascender socialmente no futuro
Abstract: This work incorporates and discusses the issue of the recent changes in the Brazilian social structure, with the rise since 2003, a portion of the population to a supposed "new middle class". This discussion is needed and is relevant since consumption practices indicate social position, a new ethos of work and the lifestyle of people and groups in society. The goal is to understand the practices of food consumption in the residential families Village of Roses in Divinópolis (MG). The work started from two premises: (1) the increase in income and consumption capacity alone do not determine change of social class; (2) there were changes in food items consumed by the residential residents. Data collection occurred in two stages. The first phase of field research was quantitative, while in the second we used three qualitative techniques, namely: observation, interview and focus group. The theoretical basis we discuss the concept of social classes, the recent changes in the Brazilian social stratification we discuss, we discuss the issue of food consumption and presents some characteristics of the mining cuisine. Empirical research has confirmed the assumption that the residential residents have not changed their social class, because although there was increased income and consumption, their culture, their habits and lifestyle are still the same, that is, belong to a working class. The second assumption has not been confirmed as the residential residents maintained the same food culture with little change in their food purchasing intentions and changed only superficially consumption of some items. They still maintain high fat diet, consuming too much sugar, foods that contain too much salt and sodium and low consumption of fruits and vegetables. It concludes that although there has been improvement in the economic and social conditions of the residential families, your eating patterns are still the same and are deeply rooted in the past and that it is a working-class poor. The lifestyle and social status of residents is characteristic of the low income population, and they do not recognize themselves as "middle class" in terms of their life stories and maintain any hope of upward social mobility in the future
Palavras-chave: Nova classe trabalhadora
Nova classe média
Consumo alimentar
New working class
New middle class
Food consuption
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Faculdade de Ciências Sociais
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais
Citação: Campos, Antônio Guimarães. O consumo alimentar de famílias da nova classe trabalhadora brasileira. 2016. 172 f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2016.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/19045
Data de defesa: 6-May-2016
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Antônio Guimarães Campos.pdf2,3 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.