???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/19039
Tipo do documento: Tese
Título: Escola de palco método em artes cênicas
Autor: Maia, Cícera Vanessa 
Primeiro orientador: Concone, Maria Helena Villas Boas
Resumo: A pesquisa partiu dos fenômenos observados em sala de aula e na busca do entendimento dos processos que ocorriam nas aulas de Artes Cênicas a partir das vivências dos alunos frente aos espelhos. Buscamos teorias que pudessem ampliar meus conhecimentos. Foi então que o método Fenomenológico, de Goethe, amparou a intensificação na observação da pesquisadora aos fenômenos. Primeiramente, durante quinze anos a função do espelho no Grupo de Teatro do Centro Federal de Educação Tecnológica (CEFET-MG), são analisados os aspectos do contexto da cena como a ferramenta utilizada pelos atores do grupo. Nesse percurso, os autores de teatro Boal, Brecht, Koudela e Spolin, como fontes de conhecimento e técnicas teatrais, estabeleceram a trajetória do grupo. Na segunda parte, a Fenomenologia e sua Epistemologia foram incorporadas como base para a compreensão dos passos, na sistematização do processo observado e a intuição como experimentação da pesquisadora. Outros autores, Ricoeu, Sartre, Ponty e Ostrower, foram visitados para auxiliar a compreensão da subjetividade, interpretar os processos, descrever o objeto da pesquisa e aprofundar o conceito de imagem, na ação dos alunos quando eles se veem nos espelhos na sala. Na ação do experimento, as adaptações ao processo iam sendo aferidas e a ferramenta espelho, descrita nas etapas das aulas, formatando um método. A metodologia escolhida foi a etnografia que, junto a narrativa autobiográfica pode descrever os fenômenos e seus processos e sub processos em uma pesquisa empírica. As análises de dados vão sendo apresentadas no estudo, em paralelo as adaptações do processo fenomenológico, até chegar à sistematização de sete passos, etapas do método quando da utilização dos espelhos. Duvignaud e Morin são autores que fizeram o diálogo das linguagens dos processos e os fenômenos. Na fenomenologia, as sete etapas têm princípios bem claros que foram vivenciados, primeiramente, pela pesquisadora para depois sistematizar as etapas de fruição dos alunos com os espelhos e, posteriormente, as fases do método. O autor que sustentou esse estudo foi Bach Jr., quando apresenta, de forma clara, as fases da fenomenológica de Goethe. A pesquisa, após apresentar o método e sua aplicabilidade conferida nestes dez anos, apresenta um formato que possa vir a ser uma ementa de disciplina em Artes Cênicas
Abstract: The research initiated when observing a phenomenon in the classroom and when searching for understanding this processes that was taking place during classes of Performing Arts, through experiences of students in front of the mirrors. Therefore, there was the need to find scholars who could support such knowledge. It was then that the phenomenological method, from Goethe, expanded research offering students freedom in the process and intensifying the observation of the phenomena. Firstly, throughout a period of fifteen years the role of the mirror in the Theatre Group of Centro Federal de Educação Tecnológica (CEFET-MG) is reported by analyzing aspects of the context of each scene and the tool used by the group of actors. Supportive sources of knowledge and theatrical techniques that established the trajectory of the group during this first part, were theater’s authors, such as Boal, Brechet, Koudela, Spolin. Other authors being, Sartre, Ponty, Ostrower were examined to assist in the understanding of subjective interpretation processes, as well as to describe the object of research, to deepen in the concept of image and in the action of the students when seeing themselves in mirrors in the room. During the experiment, the adaptations to the process were taken note and the mirror tool described throughout the steps of formatting the class method. To this point, the methodology chosen was ethnography based on the autobiographical narrative that can take the phenomenon and its processes to an empirical research. Duvignaud, Morin, are authors who have made the languages of dialogue processes and phenomena. In phenomenology, the seven steps are very clear principles that have been experienced, first, by the researcher and then systematized into steps of enjoyment between students and mirrors, and, only later, to systematize the phases of method. The author that supported this study was Bach Jr., when clearly presenting, the phases of Goethe's phenomenological. The research, after presenting the method and its applicability proven in the past ten years, presents a format that might be a menu for the discipline of Performing Arts
Palavras-chave: Fenome
Processo
Método
Mirrors
Process
Method
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Faculdade de Ciências Sociais
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais
Citação: Maia, Cícera Vanessa. Escola de palco método em artes cênicas. 2016. 207 f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2016.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/19039
Data de defesa: 2-May-2016
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Cícera Vanessa Maia.pdf2,68 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.