???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/15793
Tipo do documento: Tese
Título: Música e clínica: sonoridades e variações subjetivas
Autor: Castro, Edson Olivari de 
Primeiro orientador: Pelbart, Peter Pál
Resumo: Este trabalho tem o intuito de descortinar um determinado campo no qual as produções subjetivas e as variações sonoras se friccionam, se conectam, se imbricam, se distanciam, divergem. Para cumpri-lo, mostramos inicialmente que som, ruído, barulho e silêncio, todas essas figuras só têm existência em relação à nossa audição, nua ou ornamentada segundo as várias estéticas distendidas no tempo - com as múltiplas invenções técnicas: estas, nossos órgãos acrescentados. Sendo corpo e mundo fios de uma mesma urdidura, porque somos seres sonoros e ouvintes, discutimos as relações entre a escuta, nossas faculdades cognitivas e as diversas sonoridades, sem nos deixar atravessar pela clássica cisão interno-externo. De outro lado, as venturas e desventuras, ao longo da história da música, de nossa gestualidade oral, indicaram-nos que música e voz, tampouco estabelecem relações antinômicas. Percorremos, então, dois modelos considerados a título de produção de subjetividade: a obra freudiana e sua versão estruturalista, lacaniana. Na primeira verificamos o papel da voz na constituição mesma do aparato psíquico inventado por Freud, bem como suas relações com o objeto pulsional e sua função nas tramas sintomáticas. Na segunda, evidenciamos a primazia da pulsão invocante que encontra, na voz e na música, tanto a oportunidade de empurrar o Sujeito, orientando-o em direção ao campo do Outro, quanto a consignação do objeto pulsional como o real inaudito do inconsciente. Por fim, soubemos que ao modo da estrutura o inconsciente se nos revela como uma multiplicidade de coexistência virtual, que se atualiza a cada vez, questionando, diferenciando e conectando séries, de modo que sempre está para ser feito e não reencontrado. Experimentamos essa fórmula numa obra, a canção. Encerramos trazendo uma situação kafkiana que nos pareceu oportuna para vislumbrarmos o canto como acontecimento, bem como introduzindo dois novos conceitos que convidam, como os dois pontos no pentagrama, a um ritornelo
Abstract: The objective of this work is to disclose a certain field in which subjective productions and sound variations rub, connect, blend in, distance, and diverge. In arder to do so, we initially show that sound, noise, uproar and silence can only exist in our hearing, be it crude or ornamented - according to several esthetics branches -, with multiple technical inventions, which are added to our organs. Since the world and the body are threads of the same warp, because we are hearing and sonorous beings, we discuss the relations between our hearing, our cognitive abilities and the various sonorities, without going through the classical intemal-extemal dichotomy. On the other hand, along the music history, the successes and failures of our oral gestures have showed that music and voice do not exactly establish an opposing relationship. We made use of two models considered in the production of subjectivity: the Freudian work and, its structuralist version, the Lacanian work. In the first, we verified the role of voice in the constitution of the psychic apparatus invented by Freud, as well as its relations with the pulsational object and its function in the symptomatic woof. In the latter, we showed lhe primacy of the invoking pulsation that finds in voice and music both the opportunity of pushing the Subject, leading himlher towards the field of the Other, and the consignation of the pulsational object as the unheard real of the unconsclous. We conclude the work with a Kafkan situation which seemed opportune for us to see singing as a Happening. We introduce two new concepts, which invite this, as two spots in a pentagram, to a ritornello
Palavras-chave: Paisagem sonora
Variações subjetivas
Virtualidade
Transmutação
Sonorous landscape
Subjective variations
Psychoanalysis
Virtuality
Transmutation
Musica -- Psicologia
Sons
Psicanalise
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Psicologia
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Clínica
Citação: Castro, Edson Olivari de. Música e clínica: sonoridades e variações subjetivas. 2002. 188 f. Tese (Doutorado em Psicologia) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2002.
Tipo de acesso: Acesso Restrito
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/15793
Data de defesa: 30-Nov-2002
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Clínica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Edson Olivari de Castro.pdf9,14 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.