???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/15760
Tipo do documento: Dissertação
Título: Individuação e expatriação: resiliência da esposa acompanhante
Autor: Borba, Daniela 
Primeiro orientador: Araújo, Ceres Alves de
Resumo: A presente pesquisa buscou compreender a experiência de aculturação no Brasil, de 10 mulheres hispano-americanas, casadas com executivos expatriados. A expatriação é uma forma de imigração globalizada, na qual o executivo muda de país, mas não muda de empresa. A análise de entrevista (pelo método do Discurso do Sujeito Coletivo) , a aplicação de teste de resiliência, bem como a articulação teórica entre três perspectivas, a saber: psicologia intercultural, a resiliência humana e a psicologia analítica de C. G. Jung, contribuíram para a elaboração de resultados com implicações para o entendimento do processo de transformação nesse contexto. Foi identificado um período inicial de luto decorrente do desenraizamento e das perdas ambíguas referentes a transformação na rede social, nos papéis de gênero, conflitos entre a vida profissional e familiar e, desestabilização das referências culturais e intrapsíquicas. Tal adversidade possibilitou também, por meio de sua superação, crescimento em outros aspectos como: reconhecimento da importância de relações íntimas, flexibilidade, paciência, otimismo, aquisição de novos códigos culturais, aprofundamento das relações familiares e desenvolvimento da maternidade e feminilidade. Por outro lado, foram encontrados alguns fatores de risco para essa experiência. A relação com a cultura brasileira, por exemplo, se mostrou superficial e restrita, no caso da maioria, caracterizando uma aculturação na modalidade separação. Essa forma de relação intercultural defensiva, permitiu que as participantes identificassem características (baixa auto-estima, passividade, descomprometimento, busca constante de prazer e desrespeito às leis) de um possível complexo cultural brasileiro de inferioridade. A superficialidade ocorre, portanto, em as partes desse encontro intercultural. Foram encontrados alguns fatores de risco importantes para o desenvolvimento resiliente das participantes: o alto controle dos impulsos somado à baixa regulação das emoções. Esse quadro indica que a repressão da autoexpressão tende a aumentar o descontrole emocional, dificultando a realização de desejos e projetos, e estimulando a dependência do cônjuge. Portanto, para um desenvolvimento saudável é importante que profissionais da área da saúde e das organizações, bem como as próprias participantes, atentem para e estimulem: 1. a aculturação por meio da integração cultural, 2. a resiliência mediante o equilíbrio dos fatores resilientes e, 3. o processo de individuação decorrente da elaboração do material das camadas inconscientes da psique, constelados na experiência intercultural. Pode-se concluir que o caminho de desenvolvimento dessas mulheres aponta para a necessidade de construção de projetos próprios, independentes da família, para que, através da auto-realização façam, da experiência de expatriação, a sua jornada
Abstract: The present study has intended to understand the acculturation experience in Brazil, among ten Latin-American Spanish speaking women, following their executive expatriate husbands. Expatriation is a form of globalized immigration, characterized by a change of countries without the changing companies. The verbal material from the interviews (were treated under the Collective Subject, Speech Method), the resilience test content, as well as the dialogue between three approaches: intercultural psychology, human resilience and the analytical psychology of C. G. Jung, have contributed to establishing findings that can contribute with the understanding of a transformation process that takes place in this context. A initial period of mourning is started by the enrooting process and the ambivalent losses from: social net and gender roles changing, professional versus family conflict and, cultural and intrapsychic boundaries destabilization. Such adversity has induced, through self overcoming, the development in other areas such as: the recognition of deep relationships importance, flexibility, patience, positive attitude, new cultural codes acquisition, deepening of family relations, and the increase of motherhood and femininity. On the other hand, some risk factors for this experience have been found. Their relationship with the Brazilian culture, for instance, were characterized as superficial e restrict, for the majority, indicating a acculturation process as separation. This defensive form of intercultural relation, allowed the participants to perceive some Brazilian inferior cultural complex symptoms (low self-esteem, passiveness, uncommitted behavior, pleasure search and law disrespect). Shallowness, thus, occurs both ways of this intercultural encounter. Risk factors were also found: a high control of impulses joined to a low regulation of emotions indicates that, as repression tends to increase, the emotional control diminish, stopping wishes and plans from happening, and also expanding the dependence on the spouse. Therefore, to stimulate a healthy development is most important that health and organizational professionals, and the participants themselves, notice and encourage: 1. acculturation by means of cultural integration, 2. the balance of resilience factors, and 3. the individuation process resulting from the elaboration of deeper layers of the unconscious, brought up by the intercultural experience. As conclusion, the path of development for these women indicates the need of investments in their own projects, apart from family, so that, through self-accomplishment, they turn expatriation into their own journey
Palavras-chave: Psicologia analítica
Psicologia intercultural
Analytical psychology
Intercultural psychology
Resilience
Expatriation
Spouse
Esposas -- Psicologia
Expatriacao -- Aspectos psicologicos
Psicologia junguiana
Resiliencia (Traco de personalidade)
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Psicologia
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Clínica
Citação: Borba, Daniela. Individuação e expatriação: resiliência da esposa acompanhante. 2008. 187 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2008.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/15760
Data de defesa: 7-Nov-2008
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Clínica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Daniela Borba.pdf999,35 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.