REPOSITORIO PUCSP Teses e Dissertações dos Programas de Pós-Graduação da PUC-SP Programa de Pós-Graduação em Literatura e Crítica Literária
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.pucsp.br/jspui/handle/handle/14908
Tipo: Dissertação
Título: A palavra como processo reflexivo: a poesia da invencionice de Manoel de Barros
Autor(es): Moncinhatto, Maria Adriana Silva
Primeiro Orientador: Loyola, Juliana Silva
Resumo: Este trabalho de pesquisa tem por objetivo mostrar a palavra como processo criativo na trilogia Memórias Inventadas, obra do poeta Manoel de Barros, que compreende os seguintes livros: A Infância (2007), A Segunda Infância (2008), A Terceira Infância (2009). Para isso, buscamos compreender como o poeta faz uso da metalinguagem e do chiste, entendidos aqui como elementos compositivos que expõem o fazer poético ao leitor na sua forma mais original e criativa. Apresentamos o conceito de metalinguagem a partir dos autores Haroldo de Campos, Samira Chalhub e João Alexandre Barbosa, estabelecendo relações entre a metalinguagem e a obra poética de Manoel de Barros. Já no conceito de chiste trabalhamos com as teorias de Sigmund Freud, a respeito do chiste como inconsciência lampejada e de André Jolles, para quem o chiste pode ser considerado uma das chamadas formas simples . Para tal busca, nos detemos na figura do ser criança e/ou menino e nas imagens das coisas do chão para pôr em evidencia um fazer poético que se apropria do elemento orgânico para transformá-lo metalinguisticamente em material de poesia. Observaremos, ainda, como Manoel de Barros coloca em xeque o lugar comum e trabalha com o que há de mais inusitado a criação de um trans-mundo a partir da metaforização e dos ditos de espírito reelaborados ao modo de gracejos, responsáveis pelo efeito chistoso nos poemas. Por fim, analisaremos a construção poética barreana a partir da perspectiva da invenção ou reinvenção, uma vez que o leitor amalgama-se num mundo constantemente recriado e altamente imagético que o convida a participar de seus despropósitos
Abstract: This research work aims to show the word as creative process in the trilogy Memórias Inventadas, work of the poet Manoel de Barros, which includes the following books: A Infância (2007), A Segunda Infância (2008), A Terceira Infância (2009). For this, we try to understand how the poet makes use of the metapoetry and wit, understood here as compositive elements that expose to the reader the do poetic in its most original and creative form. We introduce the concept of metalanguage from authors Haroldo de Campos, Samira Chalhub and João Alexandre Barbosa, establishing relations between the metalanguage and the poetic work of Manoel de Barros. If in the concept of wit, we work with Sigmund Freud s theories, about the wit as sparkly unconsciousness and André Jolles, for whom the wit can be considered a so-called "simple forms." For this search, we focus on the picture of the child be and/or little boy and the images of "things from the ground" to put in evidence the do poetic that appropriates of the organic element to turn it into, metalinguistically, material of poetry. We also observe how Manoel de Barros puts in check the common place and works with the most unusual the creation of a trans-world from the metaphorization and said of mind, revised as graces, responsible for the wit effect in the poems. Finally, we analyze the barreana s poetic construction through the perspective of the invention or reinvention, once the reader merges in a constantly recreated and highly imagery world that invites him to join their misplaced
Palavras-chave: Literatura brasileira
Metapoesia
Chiste
Brazilian literature
Metapoetry
Wit
Barros, Manoel de -- 1916- -- Memorias inventadas -- Critica e interpretacao
Poesia brasileira -- Historia e critica
CNPq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LETRAS::LITERATURA COMPARADA
Idioma: por
País: BR
Editor: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da Instituição: PUC-SP
metadata.dc.publisher.department: Literatura
metadata.dc.publisher.program: Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária
Citação: Moncinhatto, Maria Adriana Silva. A palavra como processo reflexivo: a poesia da invencionice de Manoel de Barros. 2009. 82 f. Dissertação (Mestrado em Literatura) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2009.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/14908
Data do documento: 25-Ago-2009
Aparece nas coleções:Programa de Pós-Graduação em Literatura e Crítica Literária

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Maria Adriana Silva Moncinhatto.pdf479,23 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.