???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/12239
Tipo do documento: Dissertação
Título: Estudo retrospectivo das causas de surdez em crianças de 0 a 12 anos atendidas em instituição especializada
Título(s) alternativo(s): Retrospective research of deafness causes in children between 0 to 12 years old in a specialized institution
Autor: Swensson, Rubem Cruz 
Primeiro orientador: Santos, Teresa Maria Momensohn dos
Resumo: Objetivo: Estudar a ocorrência das doenças infectocontagiosas congênitas e adquiridas, em crianças deficientes auditivas, de zero a 12 anos de idade, atendidas em uma organização não governamental da cidade de Sorocaba nos anos de 1995 e 2005. Investigar se houve mudança na prevalência de perda auditiva por doença infectocontagiosa, em crianças deficientes auditivas, de zero a 12 anos de idade, atendidas em uma organização não governamental da cidade e Sorocaba nos anos de 1995 e 2005. Método: Trata-se de uma pesquisa baseada em estudo retrospectivo de banco de dados de uma instituição especializada no atendimento de deficientes auditivos da cidade de Sorocaba, SP. Foram analisados os prontuários de crianças de zero a 12 anos, nos anos de 1995 e 2005. Resultados: Dos 339 prontuários de pacientes, entre zero e 15 anos de idade, atendidos na instituição, foram selecionados nos anos de 1995 e 2005, respectivamente, 70 e 155 crianças. Em ambos os anos, a causa da surdez foi indeterminada na maioria das crianças. Dentre as causas conhecidas, a mais prevalente foi a meningite pós-neonatal (24,0%) seguida da rubéola congênita (11,1%). Embora não tenha sido estatisticamente significante, comparando-se os anos de 1995 e 2005, houve redução de 4,6% (de 14,3% para 9,7%) na prevalência de rubéola congênita. Não foi observado nenhum caso de Herpes neonatal, HIV/AIDS ou meningite neonatal. Doenças como a rubéola congênita e a meningite diminuíram seus índices de prevalência em 2005; porém, a toxoplasmose e citomegalovirose continuaram a ocorrer. É possível observar a diminuição de casos de crianças com surdez tardia (adquirida) em 2005. Essa diminuição pode ser devida às campanhas de vacinação contra alguns agentes etiológicos, especialmente o haemophilus influenza tipo b, que passou a fazer parte da carteira de vacina no ano de 1999. Conclusões: Embora no levantamento realizado na instituição não tenha sido estatisticamente significante, comparando-se os anos de 1995 e 2005, houve redução de 4,6 % (de 14,3 % para 9,7 %) na prevalência da Rubéola congênita., da Sífilis Congênita, Citomegalovírus Congênita, e Meningite bacteriana. O elevado número de causas desconhecidas e encaminhamentos tardios enfatizam a necessidade de conhecimento adequado do diagnóstico e a conduta em relação a perda auditiva da criança. Enfatizar aos profissionais nas áreas médica, fonoaudiológica e educacional, a importância da prevenção e tratamento adequado das moléstias infecto-contagiosas durante o período gestacional e pós-parto. Divulgar a importância das vacinas, que desempenham um papel importante para anular ou diminuir as seqüelas auditivas e neurológicas em relação a moléstia infecto-contagiosas. Alertar a gestante a não ingerir verduras cruas e carnes mal passadas ou cruas, durante o período de gravidez, a fim de evitar a toxoplasmose. Ter cuidado com os parceiros sexuais, devido a Sífilis e SIDA/AIDS. Realização do tratamento adequado clínico ou cirúrgico das patologias dos ouvidos, a fim de prevenir seqüelas. Divulgar aos profissionais de saúde, educadores, familiares, a população, o encaminhamento para serviços especializados, qualquer suspeita de alteração em relação à audição da criança, principalmente nos primeiros meses de vida
Abstract: Objective: Study the occurrence of infectious and contagious diseases in deafness children between 0 to 12 years old attended in a nongovernmental organization at Sorocaba city on the years 1995 and 2005. Method: This is a research based on retrospective study using database of an institution specialized on care of deafness people at Sorocaba city, São Paulo state. Were analyzed archives of children between zero to 12 years old on the years 1995 and 2005. Results: Of the 339 charts of patients between 0 and 15 years old attended the institution, were selected in 1995 and 2005, respectively, 70 and 155 children. In both years the cause of deafness was unknown in most children. Among the known causes, the most prevalent was the post-neonatal meningitis (24.0%) followed by congenital rubeola (11.1%). Although had not been statistically significant compared to the year 1995 and 2005, it was a decrease by 4.6% (from 14.3% to 9.7%) in prevalence of congenital rubeola. Was not observed any cases of neonatal herpes, HIV / AIDS or neonatal meningitis. Diseases such as congenital rubeola and meningitis decreased their prevalence rates in 2005 but toxoplasmosis and cytomegalovirus continued to occur. It´s possible observe a decrease of cases of children with late deafness (acquired) in 2005. This decrease may be due to vaccination campaigns against some etiologic agents especially the Haemophilus influenza type b, which became part of the portfolio of vaccine in 1999. Conclusions: Although the research conducted at the institution was not statistically significant, comparing the years 1995 and 2005, were find decreased by 4.6% (from 14.3% to 9.7%) in the prevalence of congenital rubeola, congenital syphilis, cytomegalovirus, and bacterial meningitis. The high number of unknown causes and late referrals emphasizes the need for adequate knowledge of the diagnosis and conduct in relation with hearing loss. Emphasize the professionals in the medical , fonoaudiologica and education fields, the importance of prevention and appropriate treatment of infectious and contagious diseases during pregnancy and postpartum. Disseminate the importance of vaccines, which play an important role to reduce or annul the hearing and neurological sequelae in relation to infectious and contagious disease. Warn the pregnant woman not to eat raw vegetables and raw or rare meat during the pregnancy to avoid toxoplasmosis. Be careful with sex partners due to syphilis and AIDS. Doing the appropriate medical or surgical treatment of diseases of the ear to prevent sequelae. Disclose to health professionals, educators, family, population, the referral to specialist services any suspected change in the hearing of the child especially in the first months of life
Palavras-chave: Surdez
Doenças infectocontagiosas
Deafness
Deafness children
Infectious and contagious diseases
Criancas surdas
Doencas transmissiveis
Perda auditiva
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::FONOAUDIOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Fonoaudiologia
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Fonoaudiologia
Citação: Swensson, Rubem Cruz. Estudo retrospectivo das causas de surdez em crianças de 0 a 12 anos atendidas em instituição especializada. 2009. 73 f. Dissertação (Mestrado em Fonoaudiologia) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2009.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/12239
Data de defesa: 28-Jul-2009
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Fonoaudiologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Rubem Cruz Swensson.pdf2,96 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.