???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/11939
Tipo do documento: Tese
Título: Distúrbio de voz em professores: identificação, avaliação e triagem
Título(s) alternativo(s): Voice disorders in teachers: identification, assessment and screening
Autor: Ghirardi, Ana Carolina de Assis Moura 
Primeiro orientador: Ferreira, Léslie Piccolloto
Resumo: Professores têm na voz a sua principal ferramenta de trabalho. A correta identificação de um distúrbio por meio de métodos eficientes de avaliação e triagem contribuirá para o planejamento de ações e delineamento de políticas públicas específicas para essa população. Objetivo: analisar os diferentes métodos de identificação e avaliação do distúrbio de voz e propor um instrumento para triagem desse distúrbio em professores. Método: Os sujeitos deste estudo são 252 professoras da rede municipal de São Paulo, que tiveram suas vozes gravadas, e posteriormente analisadas por três fonoaudiólogas, que utilizaram a escala GRBASI para classificar a qualidade vocal dos sujeitos (com ou sem alteração). No mesmo dia da gravação os sujeitos realizaram exame perceptivo-visual das pregas vocais, e o médico otorrinolaringologista responsável classificou as imagens (com e sem alteração). As professoras responderam também às questões relativas ao domínio de Aspectos Vocais do questionário Condição de Produção Vocal do Professor (CPV-P), e ao Índice de Desvantagem Vocal (IDV). Os dados foram duplamente digitados e submetidos a análise estatística, realizada com dois objetivos: 1) - verificar a concordância entre a avaliação perceptivo-auditiva da voz e de pregas vocais apenas nas professoras com queixa vocal, e 2) desenvolver e validar um instrumento de triagem para o distúrbio de voz em professores. A fim de se estudar a concordância entre as duas formas de avaliação, foi calculado o coeficiente de correlação Kappa (k), com nível de significância p &#8804;0.05. Para desenvolver o instrumento de triagem foram utilizados os dados de 130 professoras (Amostra A) com e sem distúrbio de voz. Realizou-se uma análise fatorial exploratória a partir da lista de 21 sintomas vocais que compõem o domínio de Aspectos Vocais do CPV-P, e foram selecionados os itens que obtiveram coeficiente de correlação maior do que 0.50. Traçou-se uma curva ROC a fim de identificar o melhor ponto de corte para seleção de professoras que poderiam ter um distúrbio de voz, e calculou-se o coeficiente alfa de Cronbach (&#945;) para avaliar a consistência interna do escore. A validação externa do instrumento foi realizada a partir dos dados dos 122 sujeitos restantes (Amostra B). O escore de cada sujeito foi calculado, e a consistência interna dos dados foi analisada por meio do coeficiente alfa de Cronbach (&#945;). A seguir, foram calculados os escores médios e Intervalos de Confiança de 95%. A associação entre os escores obtidos e o resultado da avaliação pela escala GRBASI foi calculada por meio do teste do quiquadrado (p&#8804;0,05), e a validade concorrente foi analisada por meio do cálculo do coeficiente de correlação de Spearman (r) entre o escore do instrumento proposto e os resultados do IDV. Resultados: A concordância bruta entre a avaliação da voz e avaliação das pregas vocais foi 77,9, e o índice de concordância Kappa entre as duas avaliações foi k = 0,40 (p < 0,001). Os 12 sintomas selecionados pela análise fatorial para compor o índice de triagem para distúrbio de voz (ITDV) foram: rouquidão, perda da voz, falha na voz, voz grossa, pigarro, tosse seca, tosse com secreção, dor ao falar, dor ao engolir, catarro na garganta, garganta seca, e cansaço ao falar. O coeficiente alfa de Cronbach para a amostra A foi &#945; = 0,86. O escore foi definido como a somatória simples do número de sintomas presentes e o ponto de corte estabelecido foi de cinco pontos. O coeficiente alfa de Cronbach para a amostra B foi &#945; = 0,89. Para essa amostra, a sensibilidade do instrumento com o ponto de corte = 5 foi 92% e especificidade 39%. Foi encontrada associação estatisticamente significativa (p &#8804;0,001) entre o escore no ITDV e a avaliação da qualidade vocal realizada por meio da escala GRBASI. Também houve correlação estatisticamente significativa (p &#8804;0,001) entre o escore total do IDV e a pontuação no ITDV e o mesmo também ocorreu quando comparados cada domínio do IDV e o escore do ITDV. Considerações Finais: A associação entre avaliação perceptivo-auditiva da voz e avaliação de pregas vocais deve ser considerada padrão ouro no diagnóstico de distúrbio de voz. O ITDV é um instrumento válido para triagem e possui alto grau de sensibilidade. Assim, seu uso deve auxiliar no mapeamento do distúrbio de voz do professor, bem como no planejamento de ações de saúde pública e delineamento de políticas públicas referentes à saúde vocal dessa categoria profissional
Abstract: The voice is the main work tool for teachers. Correct identification of a disorder through eficiente methods of assessment and screening will contribute to planning actions and devising specific public policies for this population. Aim: to analyze the different methods of identification and assessment and to propose a screening instrument for voice disorders in teachers. Method: The subjetcs of the study are 252 female teachers of the public school system of São Paulo, who had their voices recorded and analyzed by three speech-language pathologists using the GRBASI scale to classify their voice qualities (with or without disorder). In the same day of voice recording, subjects underwent vocal fold examinations, and the responsible doctor classified the images (with or without disorder). The teachers also answered questions in the Vocal Aspects Domain of the Teacher Voice Production Conditions questionnaire (CPVP) and the Voice Handicap Index (VHI). The data were submitted to statistical analysis, conducted with two purposes: 1) to verify the agreement between voice perceptive-auditory and vocal fold assessment, and 2) to devise and validate a screening instrument for voice disorders in teachers. In order to study the agreement in between both assessments, Kappa s correlation coefficient was calculated with level of significance at p &#8804;0.05. To devise the screening instrument, the data of 130 teachers (sample A) with and without voice disorder were used. An exploratory factorial analysis was conducted from the list of 21 symptoms originally in the Vocal Aspects domain of the CPV-P, and the items with correlation coefficient greater than 0.50 were chosen. A ROC curve was plotted in order to identify the best cut-off point to select teachers who may have a voice disorder and Cronbach s alpha coefficient (&#945;) was calculated in order to assess the score- s internal consistency. The external validation of the instrument was conducted using the data of the 122 remaining subjects (Sample B). Each teacher s score was calculated and the internal consistency of the data was analyzed using Cronbach s alpha coefficient (&#945;). Next, the mean scores and 95% confidence intervals were calculated. The association between the scores and assessment using GRBASI scale was calculated using the chi-square test (p&#8804;0,05), and concurrent validity was analyzed calculating Spearman s correlation coefficient (r) between the score of the proposed instrument and VHI results. Results: The gross agreement between voice quality and vocal fold assessment was 77.9, and Kappa agreement index between both assessments was k = 0.40 (p < 0.001). The 12 symptoms selected by the factorial analysis to compose the Screening Index for Voice Disorder (SIVD) were: hoarseness, voice loss, breaking voice, low-pitched voice, phlegm, dry cough, cough with secretion, pain when speaking, pain when swallowing, secretion in throat, dry throat and strained speech. Chronbach s alpha coefficient for Sample A was &#945; = 0,86. The score was defined as the simple sum of the number of present symptoms and the cut-off was five points. Chronbach s alpha coefficient for sample B was &#945; = 0.89. For this sample, the instrument s sensitivity with cut-off=5 was 92% and specificity 39%. There was a statistically significant association (p &#8804;0.001) between the SIVD score and voice quality assessment using the GRBASI scale. There was also statistically significant correlation (p &#8804;0.001) between the total VHI score and SIVD score, and the same was true for each VHI domain and SIVD score. Final Remarks: The association of perceptive-auditory vocal assessment and vocal fold evaluation should be considered the gold-pattern in voice disorder diagnosis. The SIVD is a valid instrument for screening with a high sensitivity level. Therefore, its use will aid in mapping voice disorders, and in planning public health actions and devising public policies regarding teachers
Palavras-chave: Voz
Docentes
Distúrbios da voz
Avaliação de voz
Epidemiologia
Voice
Faculty
Voice disorder
Evaluation of voice
Epidemiology
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::FONOAUDIOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Fonoaudiologia
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Fonoaudiologia
Citação: Ghirardi, Ana Carolina de Assis Moura. Voice disorders in teachers: identification, assessment and screening. 2012. 76 f. Tese (Doutorado em Fonoaudiologia) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2012.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/11939
Data de defesa: 24-Oct-2012
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Fonoaudiologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Ana Carolina de Assis Moura Ghirardi.pdf1,31 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.