???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/9738
Tipo do documento: Tese
Título: Processos de autoavaliação da aprendizagem em escola médica com apoio de tecnologias de informação e comunicação
Autor: D Avila, Vera Lúcia Nascimento Blaia 
Primeiro orientador: Cappelletti, Isabel Franchi
Resumo: A avaliação do aprendizado nas escolas médicas tem sido uma preocupação constante das instituições, formandos, comunidades acadêmicas e profissionais. Muitas escolas vêm introduzindo novas metodologias de ensino e aprendizagem para adequação do ensino médico à realidade contemporânea e às necessidades da população. Em nosso curso de Medicina da Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde da PUCSP, foi implantado um novo currículo, baseado em metodologias ativas de aprendizagem, em 2006. Neste novo currículo, a avaliação formativa e a autoavaliação, que permitem reflexões e aperfeiçoamento das abordagens pedagógicas são pontos de destaque. Este nosso estudo teve o propósito inicial de introduzir práticas de autoavaliação da aprendizagem aos estudantes do internato da fase de transição curricular, que estavam ainda cursando um currículo tradicional, que pouco valorizava a avaliação formativa. A partir desta ideia, criamos para estes estudantes, que cursavam o quinto e sexto ano na ocasião, atividades que permitiam a autoavaliação do aprendizado, mediadas por ferramentas disponibilizadas por softwares, inicialmente de construção própria e, posteriormente, por ferramentas próprias da plataforma Moodle. Aos estudantes da sexta série as atividades foram ofertadas exclusivamente on-line ao início do projeto e sequencialmente como atividades mistas, sendo as atividades presenciais baseadas no estudo de casos clínicos reais em sessões anátomo clínicas e avaliação on-line. A participação dos estudantes nestas atividades em b-learning era voluntária e não obtivemos a adesão esperada. Quando introduzimos as atividades aos estudantes da quinta série, em um segundo momento, houve boa adesão somente quando se tornaram obrigatórias, mesmo assim com refratariedade ao uso da plataforma Moodle, que, por outro lado, era muito bem aceita pelos alunos do novo currículo. Sequencialmente, introduzimos atividades em b-learning aos médicos residentes do programa de residência em clínica médica, recém-formados em instituições com currículos diversos e alguns, baseados em metodologias ativas de aprendizagem. No grupo de médicos residentes observamos maior adesão e resultados mais interessantes. Estes médicos se destacaram na busca de informações, preparação dos casos reais para a discussão presencial, na preparação da fundamentação teórica para complementar a discussão e na autoavaliação do aprendizado, introduzida no Moodle. Nosso estudo foi complementado com a introdução de uma avaliação formativa on-line aos estudantes das 2ª e 4ª séries do novo currículo em atividades curriculares eletivas. Como esperado, houve um maior comprometimento destes alunos e resultados positivos na autoavaliação do aprendizado. Observamos, ao longo de todo este processo de introdução de atividades on-line de avaliação formativa que a proposta, mesmo com feedbacks adequados, isoladamente ou sequenciais a atividades presenciais, não motivaram os estudantes formados no currículo tradicional, centrado no docente. Por outro lado, a adesão dos estudantes em programa de residência médica e dos estudantes de graduação habituados a metodologias ativas, foi elevada. Assim, consideramos que ações com a utilização das mídias digitais, capazes de provocar a interação do ensino e aprendizagem podem ser eficientes ferramentas para incentivar as avaliações formativas
Abstract: The assessment of learning in medical schools has been a constant concern of institutions, students, academic and professional communities. Many schools are introducing new teaching and learning methodologies to be adapted to the reality of contemporary medical education and population needs. In our course of Medicine in Faculty of Medical and Health Sciences of PUCSP, a new curriculum, based on active learning methodologies, was implemented in 2006. In this new curriculum, formative and self-assessment, allowing reflection and improvement of pedagogical approaches are considered essential. This study had the initial purpose of introducing practical self-assessment of learning for students of the internship during the phase of transition to the new curriculum. These students were still attending a traditional curriculum, where the formative assessment was not very considered. From this idea, we created for these students, who were in the fifth and sixth years of the course at the time, activities that allow self-assessment of learning, mediated by software tools, the first of them created by ourselves and subsequently using the Moodle platform. Sixth year s Student activities were offered exclusively online at the beginning of the project and sequentially on mixed activities based on anatomo clinical sessions that were evaluated online. The students' participation in these activities in b-learning was voluntary and not obtained the expected adherence. When we posteriorly introduced these activities to students of the fifth grade, we observed good compliance only for mandatory tasks, but still with high resistance to the use of the Moodle platform. Sequentially, because of the low adherence of these students, we introduced b-learning activities also to the residents of the residency program in internal medicine. This population was composed by medical graduates in institutions with different curricula, and some based on active learning methodologies. In this group of residents we observed more adherence and interesting results. These doctors showed great interest in search of information, preparation of cases for the classroom discussion and in preparation to complement the theoretical discussion and also in answer the self-assessment of learning, introduced in Moodle. Our study was complemented with the introduction of formative assessment to the students of 2nd and 4th grades of the new curriculum in elective curricular activities. As expected, we observed a greater commitment of these students and positive results in the self-assessment of learning. We noted, throughout this process of introducing online activities of formative assessment that the proposal, even with adequate feedback, alone or in sequential classroom activities, not motivated students used to traditional curriculum, teacher-centered. Moreover, commitment of students in residency programs and graduate students accustomed to active methods, was high. Thus, we believe that actions with the use of digital media, which can cause the interaction of teaching and learning can be effective tools to encourage formative assessments
Palavras-chave: Avaliação educacional
Auto-avaliação
Ensino médico
Residência Médica
Educational assessment
Self Assessment
Medical education
Residency in internal medicine
B-Learning
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO::CURRICULO
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Educação
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação: Currículo
Citação: D Avila, Vera Lúcia Nascimento Blaia. Processos de autoavaliação da aprendizagem em escola médica com apoio de tecnologias de informação e comunicação. 2013. 242 f. Tese (Doutorado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2013.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/9738
Data de defesa: 4-Oct-2013
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação: Currículo

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Vera Lucia Nascimento Blaia D Avila.pdf14,13 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.