???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/5330
Tipo do documento: Tese
Título: Tempo, semiose e cultura: uma visão sistêmica sobre os processos de criação no design gráfico brasileiro
Autor: Silveira, Isabel Orestes 
Primeiro orientador: Salles, Cecilia Almeida
Resumo: Esta tese tem por objetivo a investigação do processo de criação no design gráfico brasileiro. O recorte proposto abrange três casos específicos, embora os procedimentos distintos e comuns em criação destaquem-se no corpus do texto pelo depoimento de diferentes designers, que atuam em áreas diversas. Nesses estudos, fazse presente o paradoxo econômico-cultural que revela a criação dos designers e, ao mesmo tempo, denuncia os limites que submete a criação às leis de mercado. A problemática exposta busca descrever os caminhos não lineares do pensamento, que experimenta distintas temporalidades enquanto elabora projetos. Por isso, mediante as variáveis que relacionam o fenômeno do tempo com o processo de criação, como compreender os procedimentos e as ações dos designers gráficos em suas diferentes temporalidades? A hipótese indica dois eixos norteadores: primeiro esta pesquisa pretende discutir a relação entre design e cultura sob a perspectiva de Pinheiro (2007) e Lotman (1898;1996), compreendendo o designer como tradutor de signos visuais. Em segundo lugar, construir-se-á o argumento levando-se em conta o fenômeno do tempo na perspectiva de haver tempos plurais no processo de criação, os quais se apresentam como índices progressivos da internalização subjetiva, que leva o designer a gerar projetos. Filtrada pela ótica histórica que se mistura à estética gráfica no tempo, revisitar-se-á o passado a partir de Braudel (1987), historiador que possibilita argumentar acerca das permanências no tempo da longa duração . Esta pesquisa justifica-se do ponto de vista de que as especificidades que ocorrem ao longo de um processo de criação, independentemente do objeto que se pretenda investigar, são tecidas num contexto que define a complexidade como trajetória de toda ação (MORIN, 2006). Parte-se aqui do pressuposto de que o tempo faz com que as variáveis do processo assumam sucessivamente a dimensão do modelo aberto, que aceita a condição da dúvida. Esse modo de ser inconstante e, de certa maneira caótico, segue a trilha do pensamento de Eco (2005) e remete a Prigogine (1996), que discute amplamente o princípio da incerteza e o processo de auto-organização, que resguarda os sistemas instáveis de se manterem no caminho da entropia. Pela imprecisão que surge em tais sistemas, torna-se necessária uma descrição probabilística do objeto desta tese, cujo embasamento dar-se-á pela Teoria Geral de Sistemas (TGS) e pela ótica de Vieira (2008). Tais possibilidades terão como analogia o universo primordialmente evolutivo, em que tudo é fluxo e transformação (portanto, mudança). A fundamentação teórica acerca dos processos de criação em rede em construção de base semiótica encontra em Salles (2006) um respaldo que ajusta a tríade: a complexidade dos sistemas, as temporalidades do processo de criação e as representações dos designers gráficos
Abstract: This thesis aims at scrutinizing the creative process of the Brazilian graphic design. The perspective from which it will be done comprises three cases, with the different and the common creative procedures being underlined in the text, based on the interviews made with some different designers. In these cases, a paradox between economy and culture can be seen, showcasing the creation of the abovementioned professionals and, at the same time, highlighting the limits that submit the creation to the market rules. The intention here is to describe the non-linearity of thought, which experiences diverse temporality when making projects. Thus, considering the variables that relate time to the creative process, how can we comprehend the procedures and acts of the graphic designers within this sort of temporality? The hypothesis suggests two directions: first of all, this research examines the relationship between design and culture from the perspective of Pinheiro (2007) and Lotman (1898; 1996), understanding the designer as a translator of visual signs. Secondly, it must not fall into oblivion that there is a multitude of times , internalizing the conscious, which impel the designers to make projects in the context of the creative process. A retrospective study of the past was done based on Braudel (1987), who is a historiographer specialized in the permanence in the long time . This research revolves around the idea that, independently of the object taken as the center of an investigation, it is more what happens during the creative process that defines the complexity as a principle of work (MORIN, 2006). The time leads the variables of the process to the dimension of an open model, which simply does not reject the doubt. This instability and, to some extent, this chaos follow the ideas of Eco (2005) and Prigogine (1996), both of whom discuss the principles of uncertainty and self-organization, which prevent the unstable systems from keeping themselves on the way of the entropy. Then, it is necessary to reach a probabilistic description of the object of this study in the light of General System Theory (GST) and Vieira (2008). These possibilities convey an universe where everything is stream and changing. The fundamentals of the creative process based on semiotics have in Salles (2006) the trinity that follows: the complexity of the systems, the temporality of the creative process and the representation of the graphic designers
Palavras-chave: Tempo
Semiose
Cultura
Processos de criação
Design gráfico
Communication
Time
Semiosis
Culture, Creative process, Graphic design
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::COMUNICACAO
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Comunicação
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica
Citação: Silveira, Isabel Orestes. Tempo, semiose e cultura: uma visão sistêmica sobre os processos de criação no design gráfico brasileiro. 2010. 230 f. Tese (Doutorado em Comunicação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2010.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/5330
Data de defesa: 3-Aug-2010
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Isabel Orestes Silveira.pdf4,21 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.