???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/4468
Tipo do documento: Tese
Título: Poética fílmica: o exemplo de Alfred Hitchcock
Autor: Santos, Marcelo Moreira
Primeiro orientador: Santaella, Lucia
Resumo: A presente tese tomou como seu objeto de pesquisa a poética fílmica. Entendendo por poética, no caso do cinema, o processo de criação, produção e efeitos alcançados pelo filme, a questão da pesquisa foi: como é gerada uma unidade semiótico-sistêmica em um filme? O objetivo voltou-se, portanto, para a compreensão de como se estrutura e se engendra tal poética. As hipóteses que nortearam o encaminhamento da pesquisa foram as seguintes: 1) as características sígnicas, que constituem a linguagem híbrida do cinema, são formadas pela integração e complementação dos princípios e desdobramentos semióticos das linguagens sonora, visual e verbal; 2) a ontologia sistêmica do filme é marcada pela autoria colaborativa e seu complexo processo de semiose e comunicação. Para alcançar seu objetivo, a pesquisa fundamentou-se na junção da teoria semiótica peirciana com a teoria dos sistemas de Edgar Morin e Jorge Vieira. Essa junção permitiu compreender a natureza híbrida do signo cinematográfico que se fundamenta na intersecção de três princípios semióticos, desenvolvidos por Santaella: a sintaxe, a forma e o discurso. Assim, a interpretação fílmica se realizou a partir da teoria dos interpretantes de Peirce, em comunhão aos parâmetros sistêmicos evolutivos. Por considerarmos que a cinematografia de Alfred Hitchcock constitui-se em um caso otimizado de um entrosamento semiótico e sistêmico ímpar, a pesquisa se concentrou no estudo de partes criteriosamente selecionadas de três filmes do diretor: Janela Indiscreta (1954), Um Corpo que Cai (1958) e Psicose (1960). A escolha se deve ao fato de que esse cineasta confecciona de modo exemplar uma unidade complexa em seus filmes, trabalhando as características de cada linguagem - visual, sonora e verbal - tanto na autonomia de cada uma quanto nas interfaces e integrações entre elas, gerando uma poética, ou seja, certo modo de engendramento interno que organiza diferentes elementos em uma dinâmica sistêmica. A análise revelou que o suspense, em Hitchcock está baseado na geometrização de uma rede de intersemioses que flui, acoplando-se por meio de estruturas atratoras, pelas quais linhas temporais de eventos e informações vão aos poucos revelando uma representativa gramaticalidade. Assim, além de situar e contextualizar Hitchcock nas poéticas fílmicas articuladas em diferentes escolas e movimentos ao longo da história, a pesquisa estabeleceu o conceito de ontologia sistêmica cinematográfica. Em seu viés ontológico, a poética fílmica se faz por meio de uma organização de caráter plural e diverso, cuja unidade ativa se estabelece e se mantém pela multiplicidade de interações e cooperações, as quais os agentes semióticos envolvidos, com suas especialidades e funções, são capazes de produzir, desenvolver e transformar
Abstract: This thesis had the objective of studying Poetics of Film. Considering poetry, in the case of cinema, as the process of creation, production and effect achieved by the film, this research s question was: how is a systemic semiotic unit created in a film? Its goal, therefore, was to understand how poetics is structured and engendered. The hypothesis that guided this research were the following: 1) the signs characteristics, which are the hybrid language of cinema, are formed by the integration and complementation of semiotic principles and developments of the aural, visual and verbal languages, 2) the film s systemic ontology is characterized by a collaborative authorship and a complex process of semiosis and communication. To achieve its objective, the research was based on the junction of the Peircean semiotic theory and Edgar Morin and Jorge Vieira s theory of systems. This junction allowed the understanding of the hybrid nature of the filmic sign, which is based on the intersection of three semiotic principles developed by Santaella: syntax, form and discourse. Thus, the filmic interpretation was carried out from Peirce's theory of the interpretants, along with systemic evolutionary parameters. Considering that the cinematography of Alfred Hitchcock constitutes a unique case of an optimized entanglement between semiotics and systemics, the research focused on the study of carefully selected parts from three films by the director: Rear Window (1954), Vertigo (1958) and Psycho (1960). The choice is due to the fact that this filmmaker prepares exemplarily a complex unity in his films, working the characteristics of each language - visual, aural and verbal - on both its autonomy and on the interfaces and integrations between them, generating poetics, ie a way of internal engendering that organizes different elements in a systemic dynamics. The analysis revealed that the suspense in Hitchcock is based on the geometrization of a network of intersemiosis that flows, uniting itself by attractive structures, through which timelines of events and information gradually reveal a representative grammaticality. Thus, in addition to situate and contextualize Hitchcock in poetics of film articulated in different schools and movements throughout history, this research established the concept of systemic ontology cinematography. For, in its ontological bias, the poetics of film is made by an organization of diverse and plural nature, whose active unit is established and maintained by the multiplicity of interactions and cooperation which the semiotics agents involved, with their specialties and functions, are able to produce, develop and transform
Palavras-chave: Cinema
Semiótica
Complexidade
Poética
Hitchcock
Semiotics
Complexity
Poetics
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::COMUNICACAO
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Comunicação
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica
Citação: Santos, Marcelo Moreira. Poética fílmica: o exemplo de Alfred Hitchcock. 2012. 256 f. Tese (Doutorado em Comunicação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2012.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/4468
Data de defesa: 26-Oct-2012
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Marcelo Moreira Santos.pdf1,08 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.