???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/3590
Tipo do documento: Dissertação
Título: Brasileiros que retornam: o impacto de recomeçar em São Paulo
Autor: Frutuoso, Suzane Caroline Gil 
Primeiro orientador: Veras, Maura Pardini Bicudo
Resumo: A crise econômica internacional de 2008 abalou a saúde financeira de países ricos que antes pareciam imunes a questões como desemprego, baixas remunerações e precariedade. Bem como no Estado de bem-estar social. Por sua pujança e estabilidade, essas nações também atraíram durante anos imigrantes, inclusive brasileiros. Principalmente a partir da década de 1980, eles viram na saída do Brasil a única chance de ascensão numa época de hiperinflação e perspectivas socioeconômicas desfavoráveis. Tal lógica se inverteu com a crise que atingiu no final dos anos 2000 países europeus, os Estados Unidos e o Japão, enquanto o Brasil experimentava, pela primeira vez em muito tempo, taxas de pleno emprego, melhora na renda e crescimento da capacidade de consumo. Um contingente grande de pessoas resolveu voltar. Segundo dados do Ministério das Relações Exteriores, cerca de 400 mil brasileiros desembarcaram na terra de origem entre 2008 e 2012. O número é expressivo e inédito. Nunca tantos emigrados regressaram em um mesmo período. Mas para os retornados qualificados, graduados, pós-graduados, com carreira construída ou em construção lá fora, apesar das oportunidades aqui, o choque cultural foi inevitável, assim como a sensação de não mais pertencer totalmente ao local de onde partiram. O objetivo do trabalho é discutir e analisar o retorno de brasileiros depois de anos no exterior e o impacto de voltar a viver na cidade de São Paulo, com suas vantagens e desvantagens do ponto de vista social, econômico, urbano e emocional. Os deslocamentos são vistos como multicausais e provocam, por sua vez, reflexões sobre identidade em reconstrução. Por outro lado, o balanço entre expectativas e conquistas acaba por revelar as questões urbanas de uma cidade global, com suas contradições. Os entrevistados têm nível superior e deixaram os países em que viviam há anos ou pensavam passar mais tempo devido aos reflexos da crise internacional. Não são parte do contingente de imigrantes que se submeteram a qualquer trabalho braçal (apenas uma entrevistada realizou esse tipo de função para obter renda complementar enquanto estudava e, assim, poder fazer turismo). Estavam esperançosos quanto ao retorno. A maior parte, porém, demonstrou decepção com situações que parecem nunca mudar, como segurança, transporte, educação, corrupção. Pesou também na insatisfação dos entrevistados o declínio rápido do que era anunciado como um crescimento constante. Pouco depois do retorno, por volta de 2012, perceberam que a economia desacelerou, o custo de vida em São Paulo se tornou elevado demais na comparação com outras metrópoles do mundo e os salários já não eram tão vantajosos. Muitos deles consideram imigrar novamente. A pesquisa é qualitativa. Os dados foram coletados por meio de entrevistas semi-estruturadas, todas gravadas. Dados institucionais e governamentais complementam nosso trabalho, retrato de uma nova face dos deslocamentos, das migrações e da mobilidade humana no século XXI num cenário globalizado e com um ambiente urbano (cidade de São Paulo) que afeta diretamente a identidade na sociedade e a maneira de se relacionar
Abstract: The 2008 global financial crisis has shaken rich countries financial health, once immune to topics like unemployment, underpayment and welfare state precariousness. Because of their strength and stability, these nations also attracted immigrants for years, including Brazilians. Mainly, as of the decade of 1980, they thought that the only way of being successful in times of hyperinflation and unfavorable social and economic perspectives was by leaving Brazil. Such logic changed with the global financial crisis that hit European countries, The United States and Japan in the late 2000s as Brazil was going through, for the very first time in years, employment rate, better incomes and purchasing power on the increase. A great deal of people decided to come back. According to Foreign and Commonwealth Office of Brazil data, around four hundred thousand Brazilians arrived in their home country between 2008 and 2012. It is a significant and previously unseen number. Never have so many emigrants returned at the same time. But the ones who came back with some qualification, such as college and post-graduation degrees, experiencing solid career or building it abroad, despite local opportunities, had to face inevitable culture shock along with the feeling of no longer totally fitting in the place where they came from. The purpose of this paper is to discuss and analyze the return of Brazilian citizens after years of living abroad and the impact of moving back to São Paulo City, with its advantages and disadvantages from social, economic, urban and emotional points of view. Traveling from place to place is considered to be multicausal, which in its turn, leads to reflections about identities in reconstruction. On the other hand, the balance between expectations and achievements end up revealing urban questions of a global city, with its contradictions. The interviewees are college graduates and have left the countries where they had been living for years or intended to stay longer due to the effects of the global financial crisis. They do not belong to the group of immigrants who had to be manual laborers (except for one of the interviewees who did it in order to complement her income to pay tourism travels). They sounded optimistic about their returning. Most of them, however, feel disappointed when it comes to situations that seem to never improve such as security, transportation, education, corruption. The interviewees were also dissatisfied with the quick decline of the so-called constant growth. Soon after their return, around 2012, they realized that economy had slowed down, the cost of living in São Paulo had become too high by comparison with other metropolis in the world, and the salaries were not that good anymore. Many of them consider to immigrate again. This is a qualitative research. Its data was collected through semi-structured interviews, which were all recorded. Institutional and governmental data complement our paper, which portrays a new face of traveling from place to place, migrations and human mobility in the twenty-first century, in the midst of a globalized scenario with an urban means (São Paulo City) that directly affects the identity in society as well as the way people behave or deal towards one another
Palavras-chave: Imigração
Retorno de brasileiros
Qualidade de vida na cidade São Paulo
Cidade global
Immigration
Return
Return of Brazilian
Global city
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Ciências Sociais
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais
Citação: Frutuoso, Suzane Caroline Gil. Brasileiros que retornam: o impacto de recomeçar em São Paulo. 2014. 103 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2014.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/3590
Data de defesa: 12-Sep-2014
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Suzane Caroline Gil Frutuoso.pdf676,06 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.