REPOSITORIO PUCSP Monografias Lato Sensu (Especialização e MBA) Monografias Lato Sensu (em Processamento)
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.pucsp.br/jspui/handle/handle/34745
Tipo: Monografia de Especialização
Título: Pedidos de internação compulsória na defensoria pública: mediando problemas e soluções
Autor(es): Silva, Lorena Laiza Santana Veiga
Primeiro Orientador: Galano, Mónica Haydee
Resumo: esde 2010, a Defensoria Pública do Estado de São Paulo (DPESP), tem construído uma política de atendimento que visa garantir a integralidade do atendimento para acesso efetivo à justiça de pessoas com transtornos mentais, neste bojo, indivíduos em uso problemático de substâncias psicoativas, assim como as suas famílias. Tal política de atendimento traz em si muitos desafios, especialmente porque se trata de uma problemática demasiadamente complexa, que envolve intenso sofrimento das partes envolvidas, sendo que, não raro, tais famílias procuram a Defensoria Pública com o ideário de que a internação compulsória resolverá por completo o problema do uso nocivo do álcool e outras drogas. Desmistificar tal crença, implicar a família e as políticas públicas no enfrentamento da adicção têm sido um percurso permeado de diversos entraves. Trata este artigo de uma breve reflexão sobre as potencialidades do uso de ferramentas da mediação de conflitos para o tratamento administrativo de pedidos de internação psiquiátrica compulsória e, por fim como, neste âmbito de debate adverso, tais técnicas podem contribuir para a não judicialização, autonomia dos sujeitos envolvidos e efetivação do atendimento integral em saúde
Abstract: Since 2010, the Public Defender of the State of São Paulo (DPESP) has built a service policy which aims to ensure the completeness of care for effective access to justice for people with mental disorders. In this context, specifically individuals in problematic substance use, as well as their families. Such attendance policy brings with it many challenges, specially because it is an overly complex problem that involves intense suffering of the parties involved, and often such families seeking the Public Defender with the ideas that compulsory hospitalization solve completely the problem of harmful use of alcohol and other drugs. In this scenario we see mediation as a tool that can contribute significantly in this process. The present work is a literature review on the potential use of the tools of conflict mediation for the administrative processing of applications for compulsory hospitalization, and finally, as in this context adversely debate such techniques can not contribute to the legalization, autonomy of the individuals involved and realization of comprehensive health care
Palavras-chave: Defensoria pública
Dependência de drogas
Ferramentas da mediação de conflitos
Public defender
Drug addiction
Tools of conflict mediation
CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::DIREITO
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da Instituição: PUC-SP
metadata.dc.publisher.department: Faculdade de Direito
metadata.dc.publisher.program: Aperfeiçoamento em Mediação: Intervenções Sistêmicas para Resolução de Conflitos e Disputas em Diferentes Contextos
Citação: Silva, Lorena Laiza Santana Veiga. Pedidos de internação compulsória na defensoria pública: mediando problemas e soluções. 2014. Monografia de Especialização (Especialização em Mediação: Intervenções Sistêmicas para Resolução de Conflitos e Disputas em Diferentes Contextos) - Faculdade de Direito da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2014.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.pucsp.br/jspui/handle/handle/34745
Data do documento: 29-Ago-2014
Aparece nas coleções:Monografias Lato Sensu (em Processamento)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Lorena Laiza Santana Veiga Silva.pdf265,55 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.