???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/3275
Tipo do documento: Tese
Título: Metamorfose A uwe (Xavante): o álcool e o devir do sentimento coletivo
Autor: Carrara, Eduardo 
Primeiro orientador: Junqueira, Carmen Sylvia de Alvarenga
Resumo: A tese procura demonstrar, por meio de pesquisas etnográficas realizadas nas aldeias Pimentel Barbosa e Etenhiritipá (Canarana-MT), que o específico processo de alcoolização em curso na sociedade Xavante não está ligado a um beber estruturado ou ritualizado. A síndrome de dependência do álcool (SDA) que melhor caracteriza a doença crônica chamada alcoolismo não é aqui utilizada para pré-diagnosticar as relações dos indivíduos e da coletividade com as bebidas industrializadas. Mesmo porque não se trata de uma pesquisa epidemiológica com objetivos de quantificar o uso, a quantidade, a frequência, entre outros fatores para se ter o perfil de saúde indígena em relação a um problema específico. Este trabalho antropológico qualitativo se pretende interdisciplinar, pois existem avanços científicos tanto do âmbito das ciências da saúde quanto do lado das ciências sociais que lidam com esse fenômeno. Além da nova perspectiva gerada pela neurociência, para a qual é impossível separar o corpo do cérebro e os dois da própria mente, como também a razão da emoção. Células e símbolos estão profundamente entrelaçados na base das tomadas de decisão, nos comportamentos apoiados em uma complexidade de emoções e sentimentos dos indivíduos Xavante frente às bebidas ou qualquer outro evento que se coloque como desafio à experiência corporal e mental da pessoa. O álcool interfere na bioquímica corporal, mas não determina a ação social do próprio sujeito. A memória impregnada de cultura, o ethos A uwe e o livre arbítrio, além das relações entre velhas e novas gerações juntamente com o ambiente da aldeia e o mundo urbano, entre outras vivências históricas e biográficas vão interferir no equilíbrio emocional do ser e na forma e conteúdo dos seus sentimentos. Ao embriagar-se o sujeito se desprende momentaneamente do seu corpo, altera sua percepção, seu quadro emocional e a formação de novas memórias, deixa de sentir como antes sentia sem o uso do álcool. Dilui-se no indivíduo a essência de sua formação corpóreo-mental coletiva, a comunidade de substância fica mais distante, mais que isso metamorfoseia-se o sentimento coletivo A uwe
Abstract: This Ph.D dissertation based on ethnographical research performed in Pimentel Barbosa and Etenhiritipá indigenous villages in state of Mato Grosso, city of Canarana, investigates a specific process of alcoolization. This ultimate process can not be classified as constructive drinking. The Dependence Alcohol Syndrome (DAS) directly means chronical disease named alcoholism, but this concept is inadequate to a preview diagnosis of individuals or to understand an entire collectivity of Xavante people relation to a industrial alcoholic beverages. This research is not an epidemiological study with statistical quantity, frequency and other factors utilized to measure health indigenous diseases. This qualitative anthropological research has turned into an interdisciplinary study, then scientifical developments about alcohol use in Heath Sciences and in Social Sciences too have been interconnected here. Despite, there is a new neuroscience perspective to which body, brain and mind are inseparable. This postulate makes no division between reason and emotion. Cells and symbols are profoundly interrelated, when Xavante individuals take decisions based on the complexity of their emotions and sentiments actuated by person during body and mental experience. Alcohol ingestion influences the biochemistry of the human body, although this influence is not decisive to a social action of the subject. Memory was constructed inside culture and Xavante ethos by autonomy of individual s self decision and relationships between old/ new generations. Based on dynamics of emotional individuals balance in relation to indigenous villages and urban spaces are the construction of new memories. But Xavante individuals can change their perception with alcohol usage and feel quite different from when they haven t taken alcoholic beverages. Then, the essence of community, the corporal and substance of the collective physical-mental feeling begin to disappear from individuals memory with alcohol deregulated ingestion. In result, Xavante people s sentiment demonstrates a kind of metamorphosis
Palavras-chave: Xavante
Antropologia
Etnologia
Saúde indígena
Alcoolismo
Neurociência
Etnopsicologia
Emoções
Sentimentos
Metamorfose
Anthropology
Ethnology
Indigenous health
Alcoholism
Neuroscience
Ethnopsicology
Emotions
Sentiments
Metamorphosis
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Ciências Sociais
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais
Citação: Carrara, Eduardo. Metamorfose A uwe (Xavante): o álcool e o devir do sentimento coletivo. 2010. 205 f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2010.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/3275
Data de defesa: 2-Dec-2010
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Eduardo Carrara.pdf20,28 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.