REPOSITORIO PUCSP Trabalho de Conclusão de Curso - TCC Graduação em Arte: História, Crítica e Curadoria
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.pucsp.br/jspui/handle/handle/32263
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Título: Campo de disputa: a relação entre arte e política na história das exposições
Autor(es): Gotoda, Gabriela da Costa
Primeiro Orientador: Alves, Cauê
Resumo: A relação entre a arte e a política pode ser abordada através da perspectiva da história das exposições, entendidas como situações marcadas pelo encontro imediato entre o objeto de arte e o público no contexto maior da vida em sociedade. No final da década de 1960, devido ao seu estatuto de instituição cultural com atribuições oficiais, a Fundação Bienal de São Paulo foi vista como um símbolo da ditadura militar brasileira. Artistas e figuras importantes do circuito nacional e internacional organizaram um movimento de boicote contra a décima edição da mostra em 1969, amplamente conhecida como “Bienal do boicote”. Busca-se demonstrar que as possíveis relações entre arte e política na história dessa exposição não são apenas relativas ao seu contexto de repressão e censura no país e ao movimento de boicote que reagiu a ele. Elas também decorrem das possíveis proposições que emergem quando objetos de arte são colocados em exposição perante o público. Desse modo, ainda que seja significativo avaliar a posição tomada pelos artistas que aderiram ao boicote, interessa-nos o olhar sobre alguns daqueles que participaram da exposição, posicionando-se diante do contexto de forma surpreendente através das obras apresentadas. A partir disso, analisamos o protesto político que marcou a inauguração e a história da exposição da 34ª Bienal de Veneza em 1968, em que artistas e manifestantes tomaram explicita e fisicamente a exposição de trabalhos de arte como forma de barganhar seu posicionamento político. Ambas as situações históricas se combinam a casos mais recentes de boicote a exposições de arte e demonstram que as relações entre arte e política, produzidas a partir do encontro da arte com o público, não são relativas apenas ao contexto específico das exposições, mas também engajam com grandes questões e dilemas da sociedade, disputando sua autonomia diante das estruturas de poder
Abstract: The relationship between art and politics can be addressed through the perspective of the history of exhibitions, understood as situations marked by the immediate encounter between the art object and the public in the larger context of life in society. In the late 1960s, due to its status as a cultural institution with official attributions, the Fundação Bienal de São Paulo was seen as a symbol of the Brazilian military dictatorship. Artists and important figures from the national and international circuit organized a boycott movement against the tenth edition of the show in 1969, widely known as the "Boycotted Biennale". We seek to demonstrate that the possible relations between art and politics in this exhibition’s history are not only relative to the country’s context of repression and censorship and to the boycott movement that reacted to it. They also arise from the possible propositions that emerge when art objects are put on display before the public. In this way, although it is significant to evaluate the position taken by the artists who joined the boycott, we are interested in looking at some of those who participated in the exhibition and positiones themselves in light of the context in a surprising way through the works presented. From this, we analyze the political protests that marked the opening and the history of the exhibition of the 34th Venice Biennale in 1968, in which artists and protesters explicitly and physically took over the exhibition of artworks as a way to bargain their political position. Both historical situations combine with more recent cases of boycott of art exhibitions and demonstrate that the relations between art and politics, produced from the encounter of art with the public, are not only relative to the specific context of the exhibitions, but also engage with major issues and dilemmas of society, disputing its autonomy in the face of power structures
Palavras-chave: Arte e política
História das exposições
Bienal
Arte contemporânea
Art and politics
Exhibitions history
Biennial
Contemporary art
CNPq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::ARTES::FUNDAMENTOS E CRITICA DAS ARTES::CRITICA DA ARTE
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da Instituição: PUC-SP
metadata.dc.publisher.department: Faculdade de Filosofia, Comunicação, Letras e Artes
metadata.dc.publisher.program: Graduação em Arte: História, Crítica e Curadoria
Citação: Gotoda, Gabriela da Costa. Campo de disputa: a relação entre arte e política na história das exposições. 2022. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Arte: História, Crítica e Curadoria) - Faculdade de Filosofia, Comunicação, Letras e Artes da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2022.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.pucsp.br/jspui/handle/handle/32263
Data do documento: 21-Nov-2022
Aparece nas coleções:Graduação em Arte: História, Crítica e Curadoria

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Gabriela da Costa Gotoda - TCC.pdf2,22 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.