???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/3197
Título: Madama Satã e seu duplo: um estudo psicanalítico e antropológico sobre o mito da malandragem
Autor: Lima, Helder Rodrigues
Primeiro orientador: Cesarotto, Oscar Angel
Resumo: Este estudo tem como objetivo investigar as contribuições de Madame Satã para a discussão da identidade do malandro e, em última instância, do brasileiro. Mas essas são questões que estão sob o manto da mitomania de Madame Satã, como ficará patente ao longo do texto. O personagem em questão é uma das principais referências da malandragem entre os anos 20 e 50. A malandragem pode ser entendida como uma manifestação cultural e de comportamento que surgiu no seio da sociedade do Rio de Janeiro num período em que o país vivia pelo menos dois processos importantes: a urbanização e a transformação da atividade econômica e política. O movimento de urbanização na primeira metade do século traz para o cenário das cidades as raízes culturais do brasileiro. Não é por outra razão que a malandragem pode ser considerada como a versão urbana do cangaço, visto que antes de ser fenômeno da mídia ela brotava do processo de exclusão na sociedade carioca, no qual o negro mais uma vez era alijado da vida econômica, que agora contava com o braço do imigrante europeu. Na questão da atividade econômica e política, o período do auge de Madame Satã foi fortemente marcado pela ambigüidade. Getúlio Vargas assumiu o país com mãos de ferro após a queda da Bolsa de Nova Iorque, que colocou em xeque a monocultura do café. Assim, de um lado o país vivia uma ditadura; de outro, estabelecia as bases de sua industrialização, com destaque para a Consolidação das Leis do Trabalho e a indústria de base. No bojo do desenvolvimento da economia, a mídia foi pouco a pouco ganhando espaço e se profissionalizando, o que permitiu que ela não apenas absorvesse a significação simbólica do malandro, mas tornasse o malandro um signo relativo ao brasileiro cordial, o que é uma grande fantasia. No percurso deste trabalho, é feita uma aproximação entre a semiótica psicanalítica e a antropologia. A perspectiva do personagem Madame Satã é tomada assim sob a ótica multidisciplinar. As motivações do personagem tornam-se assim objeto do presente trabalho, que encontra em Madame Satã um universo em que os significantes da cultura criam uma dinâmica que reproduz a produção de signos em outras instâncias. A pesquisa toma por base textos que contêm declarações de Satã. Esses textos são a própria materialização de sua fala e freqüentemente tomados por base nas produções a respeito do personagem, como filmes, ensaios, quadrinhos e biografia. Na verdade, a investigação sobre as motivações de Madame Satã se confunde com a gênese dos mitos na sociedade brasileira
Palavras-chave: João Francisco dos Santos
Malandragem
Mitomania
Madame Sata -- 1900-1976
Psicanalise
Identidade cultural
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::COMUNICACAO
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Cogeae Lato Sensu - M
Programa: Cogeae Lato Sensu - M
Citação: Lima, Helder Rodrigues. Madama Satã e seu duplo: um estudo psicanalítico e antropológico sobre o mito da malandragem. 2009. 55 f. (Mestrado em Cogeae Lato Sensu - M) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2009.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/3197
Data de defesa: 18-Jul-2009
Appears in Collections:Lato Sensu (Especialização e MBA - COGEAE)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Helder Rodrigues Lima.pdf232,54 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.