???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/3153
Título: Feminilidade: sobre a censura e o supereu
Título(s) alternativo(s): Femininity: on censorship and the superself
Autor: Perini, Eliana Maria
Primeiro orientador: Dias, Sandra
Resumo: Não existe na linguagem um significante que possa representar a feminilidade, como o Falo pode dizer do conjunto dos homens. Não existindo este significante, não há como recalcá-lo, torná-lo inconsciente. Desta forma, Lacan diz que a feminilidade sofre processo operatório de apagamento antes mesmo de ter a possibilidade de existência na linguagem. A censura é anterior ao recalque. A censura e o supereu são colocados por Lacan no mesmo registro da lei, é da ordem da cultura. Sendo anterior ao recalque, o supereu materno arcaico, com suas próprias leis, é uma função do supereu. É a figura materna em sua representação do Outro não todo submetido à castração que pode provocar efeitos de devastação em relacionamentos de mães com suas filhas. Mas, este supereu materno arcaico deve também ser situado no momento cultural vivenciado. É o discurso em sua concretude
Abstract: In language, there is not a signifier which can represent femininity as the Phallus can represent the entirety of men. Because such signifier does not exist, it is not possible to suppress it, that is, to make it unconscious. Lacan says that the signifier for femininity undergoes a process of erasure by censorship even before such signifier has the possibility of existence in the language. Censorship is anterior to suppression. Lacan places censorship and the superself at the same level of the law, in the realm of culture. Being anterior to suppression, the archaic maternal superself, with its own laws, is a function of the Superself. It is the mother figure, in its representation of the Other not completely subject to castration, that can cause effects of devastation in relationships between mothers and daughters. However, the archaic maternal superself must also be placed in the cultural moment being lived. It is the discourse in its concreteness
Palavras-chave: Feminilidade
Censura
Supereu
Supereu materno arcaico
Cultura
Femininity
Censorship
Superself
Archaic maternal superself
Culture
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Cogeae Lato Sensu - M
Programa: Cogeae Lato Sensu - M
Citação: Perini, Eliana Maria. Femininity: on censorship and the superself. 2008. 70 f. (Mestrado em Cogeae Lato Sensu - M) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2008.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/3153
Data de defesa: 30-Mar-2008
Appears in Collections:Lato Sensu (Especialização e MBA - COGEAE)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Eliana Maria Perini.pdf359,3 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.