REPOSITORIO PUCSP Teses e Dissertações dos Programas de Pós-Graduação da PUC-SP Programa de Pós-Graduação em Educação nas Profissões da Saúde
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.pucsp.br/jspui/handle/handle/30284
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorMello, Julia Brum de-
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/7970560209311097pt_BR
dc.contributor.advisor1Sampaio Neto, Luiz Ferraz de-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/0183995490408660pt_BR
dc.date.accessioned2022-11-30T16:10:45Z-
dc.date.available2022-11-30T16:10:45Z-
dc.date.issued2022-10-07-
dc.identifier.citationMello, Julia Brum de. Migração do ensino presencial para plataformas mediadas por tecnologias digitais: a visão dos alunos e professores. 2022. Dissertação (Mestrado em Educação nas Profissões da Saúde) - Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação nas Profissões da Saúde da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Sorocaba, 2022.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.pucsp.br/jspui/handle/handle/30284-
dc.description.resumoIntrodução: O final do ano de 2019 foi marcado pelo surgimento de nova doença, denominada COVID-19, que rapidamente se disseminou pelo mundo todo, determinando situação pandêmica inusitada por sua rapidez de transmissão e potencial gravidade. O mecanismo de contágio implicou na necessidade do isolamento social. Assim, estabeleceu-se a excepcionalidade no atendimento à saúde e o fechamento das atividades comunitárias. Essa situação implicou em brusca mudança nas estratégias de ensinoaprendizagem na educação superior no início de 2020. O que se previa ser um período curto e transitório revelou-se como situação prolongada, o ensino das profissões da saúde foi especialmente prejudicado, pois o próprio sistema de atenção à saúde estava comprometido. As Instituições de Ensino Superior precisaram se adaptar ao ensino remoto. A Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), especificamente em seus cursos de medicina e enfermagem, buscou se ajustar rapidamente para garantir de forma remota a continuidade do ensino e o cumprimento dos projetos pedagógicos, procurando minimizar as perdas para os estudantes e para a Universidade. Objetivos: Assim esse estudo pretendeu avaliar as consequências ao processo de ensinoaprendizagem no curso de graduação em medicina da FCMS da PUC-SP impostas pela mudança do ensino presencial para as plataformas de comunicação em ambientes digitais síncronos, após o fechamento do campus e dos demais cenários de ensino da FCMS da PUC-SP. Sujeitos e métodos: Foram investigados como os estudantes do primeiro, segundo e terceiro anos do curso de medicina avaliaram os diferentes aspectos do ensino e do aprendizado após a mudança das atividades para as plataformas digitais síncronas, bem como a avaliação somativa ao término do primeiro módulo que foi realizada remotamente. Ademais investigamos como os docentes que atuavam do primeiro ao terceiro ano do curso de medicina avaliaram os diferentes aspectos do ensino e do aprendizado após a mudança das atividades para as plataformas digitais síncronas e o processo de avaliação somativa do primeiro módulo realizada nas plataformas digitais síncronas. Este foi um estudo exploratório, transversal, mas com referência retrospectiva recente, de natureza qualitativa e quantitativa, que usou como instrumento o 5 questionário desenvolvido na plataforma Google Forms® e questões abertas. A análise descritiva dos dados obtidos através dos questionários em escala Likert foram consideradas como não paramétricas e submetida à análise pelo Teste do Qui-quadrado (consideramos significantes os resultados obtidos com valor de p≤0,05). As respostas às questões abertas foram analisadas e categorizadas segundo Bardin. Responderam ao questionário 85 alunos do primeiro ano (85%) e 110 alunos (58,5%) do segundo e terceiro anos. Os professores apenas responderam as questões referentes às atividades em que atuavam. Foram eles: 18 tutores (75% do total de tutores), 16 professores de habilidades (61%), 11 professores de PAS (68%), 18 mentores (62%). Resultados: Os relatos sobre o início do ensino emergencial remoto nos permitem observar que a atividade acadêmica foi motivo de angústias devido às incertezas; a ideia de desamparo institucional também passa a ser sentida nesse grupo de alunos. A instituição de ensino, que deveria ser um catalizador de discussões críticas sobre a realidade, parece passar também por um processo de dificuldade adaptativa. O estudo aponta que a falta de eletrônicos adequados e docentes não proficientes nos conhecimentos e técnicas específicas impactam no engajamento estudantil. A duração de aula também exige adaptação no modelo de ensino remoto, aulas mais curtas mantém o estudante atento, além do uso de metodologias que não sejam exclusivamente expositivas. Estes treinamentos mais específicos não aconteceram na faculdade e transpareceram tanto nos comentários dos professores quanto a insegurança do método, como no dos alunos quanto às aulas longas pouco proveitosas, falta de preparo docente, falta de feedback disponível. Como todo trabalho de pesquisa, nosso estudo tem pontos fortes e limitações. Entendemos que um dos pontos fortes desse trabalho é compartilhar os resultados de uma pesquisa formal, num momento em que a maioria das publicações correspondem a relatos de experiência, opiniões e comentários dos autores. Outro ponto positivo é poder disponibilizar esses dados à comunidade acadêmica a tempo de serem vistos e analisados de forma a contribuir para o planejamento acadêmico do ano de 2022, uma completa incógnita do ponto de vista educacionalpt_BR
dc.description.abstractIntroduction: The end of 2019 was marked by the emergence of a new disease, the COVID-19, which quickly spread throughout the world, determining an unusual pandemic situation due to its speed of transmission and potential severity. The contagion mechanism implied the need for social isolation. Thus, the exceptionality in health care and the closure of community activities was established. This situation implied a sudden change in teaching-learning strategies in all levels of education at the beginning of 2020. What was expected to be a short and transitory period turned out to be a prolonged situation, the teaching of health professions was especially harmed, as the very health care system was compromised. Higher Education Institutions had to adapt to remote teaching. The Pontifical Catholic University of São Paulo (PUC-SP), specifically in its medicine and nursing courses, sought to adjust quickly to remotely guarantee the continuity of teaching and the fulfillment of pedagogical projects, seeking to minimize losses for students and to the University. Objectives: Thus, this study aimed to evaluate the consequences to the teachinglearning process in the undergraduate medical course at FCMS at PUC-SP imposed by the change from face-to-face teaching to communication platforms in synchronous digital environments, after the closing of the campus and the other teaching scenarios of FCMS at PUC-SP. Subjects and methods: We investigated how the students of the first, second and third years of the medical course evaluated the different aspects of teaching and learning after switching activities to synchronous digital platforms, as well as the summative assessment at the end of the first module that was performed remotely. In addition, we investigated how the professors who worked from the first to the third year of the medical course evaluated the different aspects of teaching and learning after the change of activities to synchronous digital platforms and the process of summative evaluation of the first module carried out on synchronous digital platforms. This was an exploratory, cross-sectional study, but with a recent retrospective reference, of a qualitative and quantitative nature, which used the questionnaire developed on the Google Forms® platform and open questions as an instrument. The descriptive analysis of the data obtained through the Likert scale questionnaires were considered as non-parametric and submitted to the analysis by the Chi-square test (we considered significant the results obtained with p≤0.05). The 8 answers to the open questions were analyzed and categorized according to Bardin. The questionnaire was answered by 85 students in the first year (85%) and 110 students (58.5%) in the second and third years. The teachers only answered the questions regarding the activities in which they worked. They were: 18 tutors (75% of the total number of tutors), 16 skills teachers (61%), 11 PAS teachers (68%), 18 mentors (62%). Results: The reports about the beginning of remote emergency teaching allow us to observe that academic activity was a reason for anguish due to uncertainties; the idea of institutional helplessness is also felt in this group of students. The educational institution, which should be a catalyst for critical discussions about reality, also seems to go through a process of adaptive difficulty. The study points out that the lack of adequate electronics and teachers who are not proficient in specific knowledge and techniques impact student engagement. Class duration also requires adaptation to the remote teaching model, shorter classes keep the student attentive, in addition to the use of methodologies that are not exclusively expository. These more specific trainings did not take place in college and were reflected both in the teachers' comments regarding the insecurity of the method, as well as in the students' regarding the unprofitable long classes, lack of teacher preparation, lack of available feedback. Like all research work, our study has strengths and limitations. We understand that one of the strengths of this work is to share the results of a formal survey, at a time when most publications correspond to the authors' experience reports, opinions and comments. Another positive point is being able to make this data available to the academic community in time to be seen and analyzed in order to contribute to the academic planning of the year 2022, a complete unknown from an educational point of viewen_US
dc.languageporpt_BR
dc.publisherPontifícia Universidade Católica de São Paulopt_BR
dc.publisher.departmentFaculdade de Ciências Médicas e da Saúdept_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.initialsPUC-SPpt_BR
dc.publisher.programPrograma de Estudos Pós-Graduados em Educação nas Profissões da Saúdept_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectEducação médicapt_BR
dc.subjectCOVID-19pt_BR
dc.subjectEducação à distânciapt_BR
dc.subjectAvaliação curricular das Faculdades de Medicinapt_BR
dc.subjectEducationen_US
dc.subjectMedicalen_US
dc.subjectCovid-19en_US
dc.subjectEducationen_US
dc.subjectDistanceen_US
dc.subjectEvaluation of medical school curriculumen_US
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS DA SAUDEpt_BR
dc.titleMigração do ensino presencial para plataformas mediadas por tecnologias digitais: a visão dos alunos e professorespt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
Aparece nas coleções:Programa de Pós-Graduação em Educação nas Profissões da Saúde

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Julia Brum de Mello.pdf875,45 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.