REPOSITORIO PUCSP Teses e Dissertações dos Programas de Pós-Graduação da PUC-SP Programa de Estudos Pós-Graduados em Fonoaudiologia
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.pucsp.br/jspui/handle/handle/22476
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorSantos, Fabiana Cozza dos-
dc.creator.Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K8644894H3por
dc.contributor.advisor1Andrada e Silva, Marta Assumpção de-
dc.date.accessioned2019-08-14T10:01:48Z-
dc.date.issued2019-08-06-
dc.identifier.citationSantos, Fabiana Cozza dos. O canto em Linda Wise: ação imaginativa e interpretação. 2019. 110 f. Dissertação (Mestrado em Fonoaudiologia) - Programa de Estudos Pós-Graduados em Fonoaudiologia, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2019.por
dc.identifier.urihttps://tede2.pucsp.br/handle/handle/22476-
dc.description.resumoIntrodução: este estudo nasce do interesse em refletir sobre o intérprete da canção e observar a existente dissociação entre voz/corpo e corpo/psiquismo muitas vezes presente no trabalho vocal com cantores, tanto na área do Canto como na Fonoaudiologia. Tal fato pode ser um complicador na formação e na trajetória de cantores que almejam uma arte vocal que expresse a singularidade. A pesquisadora, cantora profissional há 22 anos, estudou com a atriz, cantora e diretora de teatro, Linda Wise, cuja perspectiva dá-se no âmbito da escuta, da observação e da revelação do potencial expressivo e artístico que permite desnudar a ação imaginativa de cada indivíduo. Foi a partir das mudanças alcançadas por esse trabalho que esta pesquisa foi estruturada. Objetivo: descrever e analisar o trabalho de interpretação da professora Linda Wise por meio da oficina “A arte da interpretação” tendo como perspectiva a visão da própria autora, a vivência da pesquisadora e dos sujeitos que participaram da oficina. Método: trata-se de um estudo de caso etnográfico, aprovado pelo comitê de ética da universidade em que todos os sujeitos da pesquisa assinaram o termo de consentimento. A coleta de material da dissertação conta com três abordagens: uma entrevista semiestruturada com Linda Wise que, de modo geral, abrange sua formação, sua visão sobre voz, sua prática na oficina, a participação do corpo no trabalho com cantores, o lugar da emoção e a questão do intérprete; o relato pessoal da pesquisadora que como sujeito participante descreve a oficina e, como terceiro dado, a aplicação de um questionário pré e pós-oficina “A Arte da Interpretação” respondido por 12 sujeitos voluntários, estreantes, 10 mulheres e dois homens, com idades entre 23 e 54 anos. Na investigação antes da oficina os sujeitos foram caracterizados em relação à: profissão, formação, presença ou não de queixa vocal, tempo de estudo com canto. Após o trabalho, o foco das questões foram as possíveis mudanças e percepções dos participantes sobre: respiração, corpo, voz, canto e interpretação. Uma única pergunta se repete no pré e pós-oficina: a autoavaliação, com notas de 0 a 10, em relação à própria respiração, consciência corporal, escuta/percepção musical, vocalização, articulação, expressão artística, emoção, ressonância e interpretação. O capítulo “A Arte de Interpretação” é um relato pessoal da pesquisadora sobre a oficina - vivenciada por ela em seis edições - permeado por categorias temáticas, estruturadas por frases extraídas da entrevista com Linda Wise. Resultados: No quadro de autoavaliação, que compara aspectos pré e pós-oficina nos tópicos: consciência corporal, ressonância e emoção, 83.33% (10 alunos) se deram notas mais altas no momento pós. Na questão da interpretação, os alunos destacaram, após a oficina, maior conexão entre o cantar e o corpo; atenção ao significado e contexto da letra da canção; maior percepção musical no que tange à melodia e seu fluxo; acesso à emoção pelo processo corporal; afloramento da emoção a partir de lugares nunca antes explorados; novos territórios de autopercepção e desvelamento de caminhos inéditos até então. Considerações finais: a oficina “A Arte da Interpretação” é uma proposta que revela a voz e a capacidade criativa do sujeito a partir da escuta de si próprio e do outro, tendo o trabalho corporal como motriz e protagonista deste corpo-voz enquanto unidade. Linda Wise sugere com isso uma quebra de paradigma no trabalho com o cantor, ao investigar os caminhos percorridos por uma voz em busca de sua singularidade associada à condição biopsíquica. Tal abordagem proporcionou aos sujeitos que realizaram a oficina um alinhamento de sua expressividade com a escuta musical, a propriocepção e a ação imaginativa no que tange à interpretaçãopor
dc.description.abstractin the observation of the existing dissociation between voice/body and body/psyche, often present in the vocal work with singers both in Singing as in Speech Therapy. Such fact may be an issue for the formation and career of singers who aspire to a vocal art that expresses singularity. The researcher is a professional singer with a career of 22 years and has studied with actor, singer and stage director Linda Wise, whose perspective is circumscribed within the listening, observation and revelation of the expressive and artistic potential that may unveil each individual’s imaginative action. This research has as a base for its structure the changes achieved through the work with Linda Wise. Objective: describe and analyze Professor Linda Wise’s interpretation work in the workshop “The art of interpretation” having the tutor’s own vision as perspective, this researcher’s experience, and that of the other participating subjects. Method: it is an ethnographic case study approved by the university’s ethics committee and formally agreed upon by all participating subjects. The data collection for this dissertation has three approaches: a semi structured interview with Linda Wise comprehending her formation, her vision on voice, her workshop practice, the participation of the body in the work with singers, the place of emotion and the question of the interpreter; the researcher’s personal testimony as a participant in the workshop and, as a third source of data, the answers obtained in pre and post workshop questionnaires by 12 volunteer subjects (10 women and 2 men), first-timers between 23 to 54 years of age. In the investigation before the workshop, the subjects were characterized in relation to: occupation, education, vocal complaint (or none), and duration of singing studies. After the workshop, the questions focused on the possible changes and participants’ perceptions about: breathing, body, voice, singing and interpretation. Only one question appears in both questionnaires: the self-assessment, with scores from 0 to 10, on their own breathing, body awareness, musical ear/perception, vocalization, articulation, artistic expression, emotion, resonance and interpretation. The chapter “The art of interpretation” is a testimony of this researcher about the workshop over her participation in six editions. It is permeated by thematic categories, structured by statements in the interview with Linda Wise. Results: In the self-assessment chart, which compares pre and post aspects of body awareness, resonance and emotion, 83.33% (10 subjects) achieved higher scores post workshop. In regard to interpretation, subjects emphasized, after the workshop, a closer connection between the singing and the body, more attention to the meaning and context of the lyrics, greater musical perception concerning the melody and its flow, access to the emotion through the body process, the surfacing of emotion from places never explored before, new self-perception territories, and the unveiling of hidden paths. Final considerations: the workshop “The art of interpretation” is a proposal that reveals the voice and the creative capacity of the subjects from the listening to themselves and to the others, having the body work as a driving force and a protagonist of this body-voice unity. Linda Wise thus suggests a paradigm break in the work with singers by investigating the ways traced by a voice in search of its singularity associated with the bio-psyche condition. Such approach provided the workshop participants with an alignment between their expressivity and their musical ear, the proprioception and the imaginative action regarding the interpretationeng
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPESpor
dc.formatapplication/pdf*
dc.thumbnail.urlhttp://tede2.pucsp.br/tede/retrieve/49932/Fabiana%20Cozza%20dos%20Santos.pdf.jpg*
dc.languageporpor
dc.publisherPontifícia Universidade Católica de São Paulopor
dc.publisher.departmentFaculdade de Ciências Humanas e da Saúdepor
dc.publisher.countryBrasilpor
dc.publisher.initialsPUC-SPpor
dc.publisher.programPrograma de Estudos Pós-Graduados em Fonoaudiologiapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectVozpor
dc.subjectCantopor
dc.subjectInterpretaçãopor
dc.subjectVoiceeng
dc.subjectSingingeng
dc.subjectInterpretationeng
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::FONOAUDIOLOGIApor
dc.titleO canto em Linda Wise: ação imaginativa e interpretaçãopor
dc.typeDissertaçãopor
Aparece nas coleções:Programa de Estudos Pós-Graduados em Fonoaudiologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Fabiana Cozza dos Santos.pdf867,75 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.