REPOSITORIO PUCSP Teses e Dissertações dos Programas de Pós-Graduação da PUC-SP Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.pucsp.br/jspui/handle/handle/22182
Tipo: Tese
Título: Imaginário, cibercultura e cidadania a interferência do fenômeno glocal interativo na ressignificação da cidadania na contemporaneidade
Autor(es): Ferreira, Lygia Socorro Sousa
Primeiro Orientador: Trivinho, Eugênio
Resumo: A presente Tese de Doutorado tem como objeto de estudo a cidadania ressignificada – tanto no modo de ser exercida, quanto conceitualmente – pelo fenômeno glocal interativo, em dimensão transpolítica, no contexto social-histórico da cibercultura, entendida como configuração material e imaginária de época, proveniente das transformações provocadas pela comunicação tecnológica a partir da segunda metade do século XX. Nesse contexto, marcado por avanços técnicos e científicos contínuos e pela utilização de equipamentos infotecnológicos conectados à web, a interatividade e a velocidade logram valor absoluto, impulsionando para que cresça, vertiginosamente, mobilizações políticas e sociais nas comunidades virtuais. As relações estabelecidas nesses ambientes mediáticos pressupõem a produção e a articulação de um poder descentralizado que tende, cada vez mais, a crescer ao sabor da visibilidade mediática. Assim, o objetivo principal desta pesquisa trata-se em analisar a nova concepção do ser/fazer cidadão, agora conformado nos ambientes em rede, atuando estrategicamente com contradições e expansões, visibilidades e recuos, subvertendo a lógica da modernidade e emergindo como ação imprescindível de resistência e disputa de status na sociedade dromocrática cibercultural. Por isso, torna-se oportuno investigar quais os impactos causados pela ressignificação da cidadania na sociedade?; e quais transformações e contribuições teóricas e práticas podem ser proporcionadas pela ressignificação das ações cidadãs a partir das experiências nos ambientes virtualizados? Como hipótese vislumbra-se que a cidadania ressignificada pelo fenômeno glocal interativo colabora para o surgimento de uma nova forma de cidadania, cuja participação imaginária em tempo real, favorece os cidadãos neonômades a se mobilizarem, via redes sociais, em torno de questões referentes aos direitos civis, políticos e sociais a serem diuturnamente alimentadas e executadas em contextos interativos móveis, ou fora deles, sem que isso configure conscientemente obediência a regras do sistema dromocrático cibercultural. A pesquisa se fundamenta nas reflexões de Bauman, Harvey, Jameson, Lyotard (pós-modernidade); Breton (utopia da comunicação); Castoriadis (teoria do imaginário); Virilio (sociodromologia); Trivinho (cibercultura, dromocracia cibercultural e fenômeno glocal); Marshall e Carvalho (cidadania) e Foucault e Agamben (dispositivo e panoptismo). Tais conceitos e tendências são articulados mediante reflexão crítica fincada na apreensão fenomênica de processos socioculturais e históricos relacionados ao modo de ser da civilização mediática atual, sempre na direção do questionamento sobre a condição do sujeito nessa mesma civilização. Vale ressaltar que, este trabalho teórico, também se desenvolveu reflexivamente analisando posts extraídos das redes sociais Facebook e Twitter, selecionados por hashtags com temáticas que envolviam o tripé de direitos dos cidadãos. Esta pesquisa visa contribuir a crítica da cibercultura no campo teórico e prático, a partir do entendimento de que o fenômeno glocal interativo, em dimensão transpolítica, colabora para a ressignificação da cidadania, não somente nos ambientes virtuais, como também na prática cotidiana
Abstract: This thesis aims at studying the resignified citizenship – both in its exercise and conceptually speaking – by means of the interactive glocal phenomenon in its transpolitical dimension in the cyberculture, considering its social-historical context, also understood as a material and imaginary configuration, stemming from the many transformations originated in the technological communication sphere from the mid twentieth century on. In this context, characterized by continuous improvement in technology and science and also by the application of computing connected in the web, this interactivity possess absolute value, promoting a vertiginous growth of political and social mobilizations associated with web communities. The established relations in these media environments presuppose some level of decentralized power internally articulated, which move towards the needs of media exposure. Hence, this research main objective is to analyze this new concept of being/becoming a citizen, but now framed in web environments, acting strategically in terms of contradictions and expansions, exposure and retreat, in which there’s a subversion of modernity in the emergency as a language of endurance and struggle for status in the dromocratic cybercultural society. Having this in mind, it becomes advisable to investigate the impacts caused by this current resignification of citizenship, asking what transformations and practical contributions derives from these resignification phenomenon associated with this new model of web citizenship. As our hypothesis we have that this resignified citizenship made by the interactive glocal phenomenon collaborates for the rise of a new form of citizenship, whose imaginary participation, in real time, favors neonomadic citizens to get mobilized through social media, around issues related to civil rights that are going to be nourished in mobile interactive contexts, or outside them, not characterizing it as a strict obedience to the rules of the cybercultural system. This research relies on the thought of many authors: Bauman, Harvey, Jameson, Lyotard (post-modernity); Breton (communication utopia); Castoriadis (imaginary theory); Virilio (sociodromology); Trivinho (cyberculture, dromocracy and glocal phenomenon); Marshal and Carvalho (citizenship); and Foucault and Agamben (dispositive and panoptism). These concepts and trends are articulated through a critical analysis based on the phenomenical grasp of sociocultural and historical processes related to the current media civilization layout, emphasizing the questions concerning the subject – his/her condition – in the civilization. It is important to highlight that this thesis has also found its development in a reflexive analysis of posts, which were extracted from the social media (Facebook and Twitter), selected through hashtags, and concerning issues linked to citizen rights. This research aims at contributing to a critical approach to the cybercultural field study, based on the understanding that the glocal interactive phenomenon, in its transpolitical dimension, collaborates to resignify citizenship not only in the web environment, but also in daily life
Palavras-chave: Comunicação - Aspectos sociais
Cibercultura
Glocalização
Communication - Social aspects
Cyberculture
Glocalization
CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::COMUNICACAO
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da Instituição: PUC-SP
metadata.dc.publisher.department: Faculdade de Filosofia, Comunicação, Letras e Artes
metadata.dc.publisher.program: Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica
Citação: Ferreira, Lygia Socorro Sousa. Imaginário, cibercultura e cidadania: a interferência do fenômeno glocal interativo na ressignificação da cidadania na contemporaneidade. 2018. 121 f. Tese (Doutorado em Comunicação e Semiótica) - Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2018.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/22182
Data do documento: 28-Mar-2019
Aparece nas coleções:Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Lygia Socorro Sousa Ferreira.pdf2,13 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.