???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/22095
Tipo do documento: Tese
Título: A experiência de uma clínica forasteira
Título(s) alternativo(s): The experience of an outsider clinic
Autor: Perrella, Ana Carolina 
Primeiro orientador: Rolnik, Suely Belinha
Resumo: Este trabalho procura investigar o exercício de uma clínica fora do enquadre clínico tradicional e aberta à pulsação da cidade, a partir dos dispositivos Clínica de Cuidado e Psicanálise na Praça Roosevelt, para pensar uma clínica forasteira. Com esse intuito, interessa fazer notar uma zona de intersecção entre a experiência do Xingu e a da Praça Roosevelt, dando ênfase as singularidades de cada prática. O estudo enfatiza o funcionamento de ambos os dispositivos, trazendo elementos da atividade clínica realizada em cada um deles. A fim de compreender o fazer dessas experiências forasteiras, recorre-se à etimologia da palavra forasteiro, extraindo de sua acepção dois sentidos, quais sejam, “fora dos limites do consultório” e “estrangeiro, do lado de fora”. O que se percebe, em ambas as experiências, é que a cidade se compõe e intervém no espaço clínico de diferentes formas. A aposta que se faz, nesse estudo, é em uma clínica que se abre ao acaso, aos riscos e as incertezas da vida urbana, capaz de produzir deslocamentos nos territórios do viver, tanto do paciente quanto do clínico
Abstract: This paper investigates the performance of a clinic outside the traditional clinical setting and open to the pulse of the city, from the apparatus Clinical Care and Psychoanalysis on Roosevelt Square, to think an outsider clinic. To that end, we are interested to note a zone of intersection between the experience of the Xingu (Amazônia) and the Roosevelt Square, emphasizing the singularities of each practice. The study emphasizes the operation of both apparatus, bringing elements of clinical activity held in each of them. In order to understand these outsiders do experiments, refers to the etymology of the word stranger, extracting its meaning both directions, namely, “out of the office boundaries” and “alien, outside.” What is noticeable, in both experiments, is that the city is made up and intervenes in the clinical space in different ways. A bet that is made in this study is at a clinic that opens at random, the risks and uncertainties of urban life, capable of producing displacements in the territories of living, both the patient and the clinician
Palavras-chave: Clínica
Cidade
Clínica de cuidado
Clinic
City
Clinical care
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Faculdade de Ciências Humanas e da Saúde
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Clínica
Citação: Perrella, Ana Carolina. A experiência de uma clínica forasteira. 2019. 123 f. Tese (Doutorado em Psicologia: Psicologia Clínica) - Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Clínica, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2019.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/22095
Data de defesa: 15-Mar-2019
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Clínica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Ana Carolina Perrella.pdf3,01 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.