???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/21878
Tipo do documento: Dissertação
Título: A percepção dos médicos residentes em relação a presença de distúrbios do sono e o impacto na qualidade de vida
Autor: Silva, Darley Paulo Fernandes da 
Primeiro orientador: Martinez, José Eduardo
Resumo: Introdução: A residência médica é o modelo mais indicado para que o médico se especialize através da prática com supervisão de profissionais mais experientes. No entanto, quando a residência médica oferece condições de trabalho inadequadas, pode causar prejuízos das atividades laborais e da segurança de médicos residentes e dos seus próprios pacientes.Entre esses agravos podemos citar os distúrbios do sono pelo regime de turnos.Objetivos:Avaliar o impacto da hipersonolência e a qualidade de vida em médicos residentes e avaliar a associação entre a hipersonolência e características sócio demográficas. Material e Métodos:Foram entrevistados 90 médicos residentes devidamente matriculados no programa de residência médica do Hospital de Base de São José do Rio Preto. Os sujeitos da pesquisa responderam a um caderno de questões contendo instrumentos de avaliação do sono, qualidade de vida e de risco de depressão. A avaliação do sono foi realizada através da Escala de sonolência diurna de Epworth, questionário auto-administrado para avaliar hipersonolência. A qualidade de vida foi avaliada através do Medical Outcomes Study 36, questionário multidimensional formado por 36 itens e o risco de depressão foi estudado através do Self-Reporting Questionnaire (SRQ-20) que foi desenvolvido pela Organização Mundial de Saúde. Resultados: As características sócio demográficas parecem não influenciar na hipersonolência de médicos residentes. Em relação às escalas de qualidade de vida, o risco de depressão e a capacidade funcional não apresentaram correlação com hipersonolência, já as variáveis domínio do estado geral da saúde, vitalidade, aspectos sociais e domínio da dor foram preditores de sonolência.Observamos que a hipersonolência interfere na qualidade de vida dos residentes, de forma que, para todos os domínios do SF-36, a média de pontuação é menor para os hipersonolentos.Conclusões: Conclui-se que existe correlação entre a hipersonolência e a qualidade de vida e que a hipersonolência é um preditor significativo para a percepção da qualidade de vida de médicos residentes. As características sócio demográficas parecem não exercer influência na qualidade de sono destes médicos
Abstract: Introduction: Medical residency is the most suitable model for the physician to specialize through the practice with the supervision of more experienced professionals. However, when medical residency offers inadequate working conditions, it can cause harm to the work and safety of resident physicians and their own patients. Among these problems we can mention sleep disturbances by the shift regime.Objectives: To evaluate the impact of hypersomnolence and quality of life in resident physicians and to evaluate the association between hypersensitivity and sociodemographic characteristics. Material and Methods: Nine hundred resident physicians were interviewed enrolled in the medical residency program of the São José do Rio Preto Base Hospital. The subjects answered a questionnaire containing instruments for assessing sleep, quality of life and risk of depression. Sleep assessment was performed using the Epworth Daytime Sleepiness Scale, a self-administered questionnaire to assess hypersensitivity. Quality of life was assessed through the Medical Outcomes Study 36, a 36-item multidimensional questionnaire and the risk of depression was studied through the Self-Reporting Questionnaire (SRQ-20) developed by the World Health Organization. Results: Sociodemographic variables do not seem to influence the hypersomnolence of resident physicians. In relation to the quality of life scales, the risk of depression and functional capacity were not correlated with hypersomnolence, while the variables variables of general health status, vitality, social aspects and pain domain were predictors of somnolence. We observed that hypersomnolence interferes in the residents' quality of life, so that for all SF-36 domains, the mean score is lower for the hypersolent. Conclusions: There is a correlation between hypersomnolence and quality of life and that hypersomnia is a significant predictor for the perception of the quality of life of resident physicians. The sociodemographic characteristics do not seem to influence the sleep quality of these physicians
Palavras-chave: Distúrbios do sono
Residentes (Medicina)
Qualidade de vida no trabalho
Sleep disorders
Residents (Medicine)
Quality of work life
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação nas Profissões da Saúde
Citação: Silva, Darley Paulo Fernandes da. A percepção dos médicos residentes em relação a presença de distúrbios do sono e o impacto na qualidade de vida. 2018. 62 f. Dissertação (Mestrado em Educação nas Profissões da Saúde) – Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação nas Profissões da Saúde, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Sorocaba, 2018.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/21878
Data de defesa: 5-Dec-2018
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação nas Profissões da Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Darley Paulo Fernandes de Silva.pdf840,71 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.