???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/21738
Tipo do documento: Dissertação
Título: Educação em diabetes mellitus: uma parceria entre o clínico e o especialista
Autor: Machado, Silvia Cordenonsi Michelin
Primeiro orientador: Senger, Maria Helena
Resumo: Introdução: Diabetes Mellitus (DM), doença de evolução crônica com possível desfecho com diversas complicações, é considerada um problema de saúde pública. O Brasil ocupa o quarto lugar na prevalência de pacientes diabéticos no mundo (14,3 milhões de pessoas) e já se demonstrou que 76% destes pacientes apresentavam hemoglobina glicada superior a 7%, ou seja, não estavam controlados. Em 1988, com o surgimento do Sistema Único de Saúde (SUS) e 20 anos após, com a criação do Núcleo de Atenção à Saúde da Família (NASF), podese aprimorar o atendimento especializado à população através das equipes de referência e apoio matricial. Porém, pouco se conquistou a respeito do atendimento ao paciente diabético, mantendo uma alta taxa de pacientes não adequadamente controlados e, consequentemente, a alta taxa de mortalidade. A justificativa para esta falha pode estar relacionada à inacessibilidade do paciente diabético à informação, seja por limitação no número de profissionais, falta de treinamento dos profissionais da saúde ou por baixo nível educacional, uma vez que já foi demonstrada prevalência de DM duas vezes maior em pacientes com baixa escolaridade. Objetivos: Implantar e avaliar, em uma unidade de Estratégia de Saúde da Família, intervenção educacional aplicada a pacientes diabéticos, conjuntamente com a equipe de saúde, além de protocolo de tratamento ao paciente diabético, amparado nas diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes e adaptado ao SUS, com a lógica do treinamento em serviço e da educação continuada. Materiais e métodos: Estudo quantitativo, prospectivo e analítico, consistiu na implantação de um protocolo de atendimento por um endocrinologista em parceria com profissionais de saúde e na realização de reuniões educacionais com 28 pacientes e a equipe de saúde, utilizando mapas de conversação. Dados laboratoriais do controle glicêmico e respostas a questionários (Questionário de Atividades de Autocuidado com o Diabetes - QAD, Questionário de Atitude em Diabetes - ATT-19, Escala de Conhecimento em Diabetes - DKN – A, Questionário de Avaliação da Capacidade Institucional para a atenção às doenças Crônicas – ACIC e questionário retrospectivo pré e pós intervenção para os profissionais), foram comparados estatisticamente (Wilcoxon, p<0,05) antes e três meses após a implantação do protocolo. Resultados: Houve melhora significante na escala de conhecimentos (com 100% dos pacientes com escore melhor que 8 após a intervenção, indicando bom conhecimento da doença), no autocuidado (com melhora significante dos cuidados com os pés e alimentação), na atitude (com melhora na atitude frente à doença em 53% dos pacientes) e nos controles glicêmicos (HbA1c de 8,1% para 7,5%) dos participantes além na melhora da percepção da equipe de saúde quanto a importância da intervenção educacional. Conclusão: Concluiu-se que programas de educação em diabetes são importantes para educar, informar e motivar os pacientes a adotar estilos de vida mais saudáveis. Para a equipe de saúde, estimula a reflexão sobre o processo de trabalho que vem sendo conduzido a esses pacientes
Abstract: Introduction: Diabetes Mellitus (DM), a chronic disease with a possible outcome with several complications, is considered a public health problem. Brazil ranks fourth in the prevalence of diabetic patients in the world (14.3 million people), and 76% of these patients have been shown to have glycated hemoglobin greater than 7%, that is, they were not controlled. In 1988, with the creation of the Unified Health System (SUS) and 20 years later, with the creation of the Family Health Care Center (NASF), the specialized care for the population can be improved through population through reference teams and matrix support. However, little was achieved regarding care for the diabetic patient, maintaining a high rate of patients not adequately controlled and, consequently, the high mortality rate. The justification for this failure may be related to the inaccessibility of the diabetic patient to the information, either by limitation in the number of professionals, lack of training of the health professionals or by low educational level, once it has been demonstrated a prevalence of DM twice higher in patients with low schooling. Objectives: To implant and evaluate, in a Family Health Strategy unit, educational intervention applied to diabetic patients, together with the health team, as well as a protocol for the treatment of diabetic patients, supported by the guidelines of the Brazilian Diabetes Society and adapted to SUS, with the logic of in-service training and continuing education. Materials and methods: A quantitative, prospective and analytical study consisted in the implementation of a protocol of care by an endocrinologist in partnership with health professionals and in educational meetings with 28 patients and the health team using conversation maps. Laboratory data on glycemic control and questionnaire responses (Diabetes Self - Care Activity Questionnaire - QAD, Attitude - Diabetes Questionnaire - ATT - 19, Diabetes Knowledge Scale - DKN - A, Institutional Capacity Assessment Questionnaire for Attention Chronic diseases - ACIC and pre- and post-intervention retrospective questionnaire for professionals) were compared statistically (Wilcoxon, p <0.05) before and three months after protocol implantation. Results: There was a significant improvement in the knowledge scale (with 100% of the patients with a score better than 8 after the intervention, indicating a good knowledge of the disease), self-care (with significant improvement in foot and feeding care), attitude improvement in the attitude towards the disease in 53% of the patients) and in the glycemic control (HbA1c from 8.1% to 7.5%) of the participants, besides the improvement of the perception of the health team regarding the importance of the educational intervention. Conclusion: It has been concluded that diabetes education programs are important in educating, informing and motivating patients to adopt healthier lifestyles. For the health team, it stimulates reflection on the work process that has been conducted for these patients
Palavras-chave: Diabetes Mellitus
Diabetes - Tratamento
Educação em saúde
Atenção Primária à Saúde
Diabetes Mellitus
Diabetes - Treatment
Health education
Primary Health Care
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação nas Profissões da Saúde
Citação: Machado, Silvia Cordenonsi Michelin. Educação em diabetes mellitus: uma parceria entre o clínico e o especialista. 2018. 86 f. Dissertação (Mestrado em Educação nas Profissões da Saúde) – Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação nas Profissões da Saúde, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Sorocaba, 2018.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/21738
Data de defesa: 13-Nov-2018
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação nas Profissões da Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Silvia Cordenonsi Michelin Machado.pdf6,66 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.