???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/21589
Tipo do documento: Tese
Título: Limiares da cartografia: deambulação, arqueologia e montagem no mapeamento de lugares
Autor: Ribeiro, Daniel Melo 
Primeiro orientador: Santaella, Lucia
Resumo: Esta tese trata de propriedades comunicacionais e semióticas dos mapas. Investigamos práticas alternativas de mapeamento que incentivam outras maneiras de perceber o espaço. Diante dessa motivação, colocamos a seguinte pergunta: Quais aspectos do espaço poderiam ser comunicados em um mapa a partir do questionamento do código e das convenções da cartografia? Como corpus, selecionamos quatro tendências que exploram os limites da linguagem cartográfica: a map art, as mídias locativas, a cartografia literária e o mapeamento profundo. Os exemplos de mapeamento selecionados são analisados à luz da semiótica de Charles S. Peirce. Após essa análise, a pesquisa destaca a área conhecida como mapeamento profundo, a fim de promover uma discussão metodológica sobre mapeamentos de lugares. Propomos um modelo de mapeamento baseado em três etapas: a deambulação, a arqueologia e a montagem. O desenvolvimento dessas etapas foi inspirado na filosofia de Walter Benjamin. Consideramos que a crítica à modernidade desenvolvida por Benjamin está ligada à interpretação da cultura material urbana, cujo potencial narrativo se encontra latente em fragmentos e indícios de caráter arqueológico. O mapeamento desses fragmentos inicia-se por um exercício de deambulação (ou flânerie), passa por uma leitura arqueológica e se consolida num processo de montagem. Portanto, o objetivo principal é propor um modelo que estimule a criação de representações cartográficas evidenciando três propriedades do mapeamento profundo: a experiência corporal com o espaço (deambulação), a dimensão histórica (arqueologia) e a leitura crítica (montagem). Por fim, fundamentados nos argumentos desenvolvidos por Benjamin, defendemos a hipótese de que os mapeamentos alternativos resgatam as experiências limiares, ligadas aos ambientes de transição e hibridismo, apresentando-se como formas de resistência ao dispositivo cartográfico
Abstract: This research deals with communicative and semiotic properties of maps. We investigate alternative mapping practices that encourage new ways of perceiving space, revealing features that are not treated by traditional maps. Considering this motivation, we raise the following question: Which aspects of space could be communicated on a map when the cartographic conventions are questioned? As a corpus, we selected four trends that challenge the cartographic language: map art, locative media, literary cartography, and deep mapping. The selected mapping examples are analyzed through the semiotics of Charles S. Peirce. After this analysis, the research focuses on a trend known as deep mapping, in order to investigate a methodological discussion about mapping places. We propose a model based on three steps: walking, archaeology, and montage. The development of these steps was inspired by the philosophy of Walter Benjamin. We consider that the critique of Modernity developed by Benjamin is linked to the interpretation of urban material culture, whose narrative potential is latent in archaeological fragments. Mapping these fragments begins with a walking exercise, goes through an archaeological reading, and is arranged in a montage procedure. Therefore, the main objective is to propose a model that stimulates the creation of cartographic representations addressing three general properties of deep mapping: the body experience with space (walking), the historical dimension (archaeology) and the critical reading (montage). Based on the arguments developed by Benjamin, we support the hypothesis that the alternative mapping approach underlines the threshold experiences. These experiences are related to the liminal spaces of transition and hybridism, a form of resistance against the cartographic dispositif
Palavras-chave: Mapas
Cartografia
Semiótica
Benjamin, Walter [1892-1940] - Crítica e interpretação
Maps
Cartography
Semiotics
Benjamin, Walter [1892-1940] - Criticism and interpretation
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::COMUNICACAO
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Faculdade de Filosofia, Comunicação, Letras e Artes
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica
Citação: Ribeiro, Daniel Melo. Limiares da cartografia: deambulação, arqueologia e montagem no mapeamento de lugares. 2018. 300 f. Tese (Doutorado em Comunicação e Semiótica) - Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2018.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/21589
Data de defesa: 24-Sep-2018
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Daniel Melo Ribeiro.pdf32,67 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.