Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/21494
Tipo do documento: Tese
Título: Adolescentes agentes e dessilenciados? o movimento da argumentação no Digit-M-Ed Parnaíba – PI
Título(s) alternativo(s): Agents and unsilenced adolescents? the Digit-M-Ed argumentation movement in Parnaíba-PI
Autor: Teles, Francisco Afranio Rodrigues 
Primeiro orientador: Liberali, Fernanda Coelho
Resumo: Esta pesquisa tem como objetivo geral investigar a argumentação na constituição da agência dos adolescentes do Projeto Digit-M-Ed Parnaíba (PI). Especificamente, objetiva: identificar como a argumentação é organizada nas interações discursivas dos participantes do Digit-M-Ed Parnaíba e analisar como são criadas oportunidades de desenvolvimento da agência dos adolescentes, nesse Projeto. A investigação pressupõe que o contexto escolar, em geral, está inserido em uma cultura do silêncio, entendida como um conjunto de representações e comportamentos expressos pela condição de dependência que controla formas de ser, pensar e expressar dos alunos, como espelhamento da macro estrutura de dominação da sociedade. Perante o exposto, a argumentação colaborativa é vista como produtora de possibilidades de dessilenciamento, e defendida, neste estudo, como o reconhecimento, pelos participantes, da equidade de condições e de capacidades de atuação como agentes, nos espaços em que estão inseridos. A pesquisa está ancorada nas escolhas teórico-metodológicas do grupo de pesquisa Linguagem em Atividade no Contexto Escolar, da PUC-SP, e fundamentada na Teoria da Atividade Sócio-Histórico-Cultural. Esse arcabouço teórico, metodologicamente desenvolvido pela Pesquisa Crítica de Colaboração, cujo foco reside no desenvolvimento e na intervenção coletiva dos participantes, alicerça as reflexões sobre a argumentação e a colaboração crítica no contexto escolar. Dois Workshops, ocorridos no segundo semestre de 2015, constituíram o contexto de produção e de coleta dos dados no Digit-M-Ed Parnaíba. Os participantes da investigação são os membros do Projeto, composto por líderes, professores, gestores, alunos dos anos finais do Ensino Fundamental e mães de alunos de uma escola pública. A análise e a interpretação dos dados estão embasadas na visão bakhtiniana da linguagem dialógico-enunciativa, considerando as categorias argumentativas, enunciativas, discursivas e multimodais, norteadas pelas categorias interpretativas: argumentação para submissão, argumentação colaborativa, silenciamento e dessilenciamento. O estudo revela que a argumentação tem papel essencial na constituição dos adolescentes participantes do Projeto, considerando duas vertentes: por um lado, quando não existe colaboração, a argumentação parece apontar para a manutenção de sujeitos submissos, aproximando-os da ideia de adolescentes silenciados; por outro, quando há colaboração, a argumentação dá indícios de uma linguagem que subsidia oportunidades para o desenvolvimento da agência dos adolescentes, preenchendo as condições necessárias para um agir dessilenciado. Em alguns momentos, por exemplo, os adolescentes permanecem calados, são ignorados, ou recebem de um adulto autorização para participar. Em outros, eles se inserem livremente, apresentando e justificando posições concordantes ou controversas; são questionados ou questionam sobre o conteúdo proposto para discussão. A pesquisa produz subsídios para a reorganização do modo como a linguagem é estruturada nos discursos dos participantes do Digit-M-Ed Parnaíba, criando bases para intervenções críticas e colaborativas
Abstract: The main objective of this research is to investigate the agency constitution of adolescents who participate in the Digit-M-Ed Project Parnaíba-PI. Specifically, it aims to identify how the argumentation is organized in the discursive interactions of the Digit-M-Ed Parnaíba participants, and to analyze how development opportunities of adolescents’ agency are created in this Project. The research assumes that the school context, in general, is usually embedded in a silence culture, understood as a set of representations and behaviors expressed by the dependency condition that controls the students' ways of being, thinking and expressing, reflecting the social structure of macro domination. Considering this, collaborative argumentation is seen as a producer of unsilencing possibilities, advocated as the recognition, by participants, of the conditions equity and their action capacities as agents, in the spaces in which they are inserted. The research is grounded in the theoretical-methodological choices of the Language in Activity in the School Context Research Group, of PUC-SP, based on the Social-Historical-Cultural Activity Theory. This theoretical framework supports reflections on argumentation and critical collaboration in the school context, methodologically developed by the Critical Collaborative Research, that focuses on the development and collective intervention of its participants. Two Workshops, ocurred in the second half of 2015, constituted the context of production and data collection in Digit-M-Ed Parnaíba. The research participants are members of the Project, composed by leaders, teachers, administrators, mothers and students of a public Elementary School. The analysis and interpretation of data are based on the Bakhtinian view of dialogic-enunciative language, considering argumentative, enunciative, discursive and multimodal categories, guided by the following interpretative categories: argumentation for submission, collaborative argumentation, silencing and unsilencing. The study reveals that the argumentation has an essential role in the adolescents' constitution, considering two aspects: on the one hand, when there is no collaboration, the argumentation seems to point to the maintenance of submissive subjects, emphasizing the idea of silenced adolescents; on the other hand, when there is collaboration, the argumentation gives indications of a language that subsidizes opportunities for the development of the adolescents' agency, fulfilling the necessary conditions for an unsilenced act. At times, for example, teens remain quiet, are ignored, or receive adult authorization to participate. In others, they enter freely, presenting and justifying concordant or controversial positions; are questioned or ask about the content proposed for discussion. The research yields subsidies for the reorganization of how language is structured in the discourses of Digit-M-Ed Parnaíba participants, creating bases for critical and collaborative interventions
Palavras-chave: Silenciamento
Dessilenciamento
Argumentação
Silencing
Unsilencing
Argument
Área(s) do CNPq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LINGUISTICA::LINGUISTICA APLICADA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Faculdade de Filosofia, Comunicação, Letras e Artes
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem
Citação: Teles, Francisco Afranio Rodrigues. Adolescentes agentes e dessilenciados? o movimento da argumentação no Digit-M-Ed Parnaíba – PI. 2018. 171 f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem) - Programa de Estudos Pós-Graduados em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2018.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/21494
Data de defesa: 6-Set-2018
Aparece nas coleções:Programa de Estudos Pós-Graduados em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Francisco Afranio Rodrigues Teles.pdf2,07 MBAdobe PDFThumbnail

Baixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.