???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/21262
Tipo do documento: Dissertação
Título: Apraxia de fala em crianças de 4 a 7 anos diagnosticadas no Transtorno do Espectro Autista: avaliação de quatro pacientes
Autor: Martins, Fernanda Cristina Reis Merli 
Primeiro orientador: Palladino, Ruth Ramalho Ruivo
Resumo: Objetivos: Avaliar as praxias oral e verbal em quatro crianças de 4 a 7 anos de idade diagnosticadas no Transtorno do Espectro Autista. Método: Esta pesquisa é um estudo exploratório sobre a avaliação de praxias em quatro crianças autistas. Praxias Orais: Em primeiro lugar são observadas as respostas apresentadas a comandos verbais, sendo que, no caso de não resposta, tenta-se a realização do movimento por imitação. Para as praxias verbais, foi criada uma situação de interação lúdica com a criança para a gravação. Resultados: Avaliação das Praxias Orais: Avaliação das praxias sonorizadas, O pior desempenho, apresentado foi da criança menor, sendo que a ausência de realização se localiza em dois atos motores. A avaliação das praxias orofaciais apresentou o pior desempenho para a criança menor. A avaliação de praxias com movimentos em sequência a dificuldade tem um incremento, sendo a imitação a maneira privilegiada por todos na realização das crianças. A avaliação de praxias envolvendo movimentos paralelos, a criança um apresenta o pior desempenho, realizando apenas um movimento, o mais simples da série. A criança três utiliza imitação para maior parte das realizações e por fim, a criança quatro não realiza dois movimentos e exatamente os que envolvem sonorização. Avaliação das Praxias Verbais: De um modo geral as características principais apresentadas foram voz soprosa e monótona, pitch agudizado e fala entrecortada, alterando o ritmo. Todos os participantes envolvidos na pesquisa apresentam uma forte tendência a centralizar os sons em sua emissão. A prosódia está alterada em dois casos, a menor de todas as crianças se utiliza de uma prosódia ainda muito infantil, a criança dois, em sua vez, altera a tonicidade vocabular. Conclusão: A condição práxica verificada em cada paciente, aponta para desordens que parecem ligadas a processos superiores de planejamento do ato motor, o que se denomina dispraxia. Esta pesquisa permitiu apresentar dados que comprovam que nestas crianças há uma co-ocorrência de alterações: autismo e dispraxia. Entretanto, estes achados não permitem apostar que tal co-ocorrência será verificada em todas as crianças com TEA
Abstract: Objectives: Assessment of oral and verbal praxias in four 4 to 7-year-old children diagnosed in Autistic Spectrum Disorder. Method: This research is an exploratory study on the evaluation of praxias in four autistic children. Oral Praxias: First, the responses presented to verbal commands are observed, and, in case of no response, performance of movement by imitation is tried. For the verbal praxias, a situation of playful interaction with the child for the recording was developed.Results: Evaluation of Oral Praxias: the assesment of praxias voiced had its worst performance presented by the youngest child, and the absence of achievement lies on two motor acts. The assessment of oral-facial praxias presented the worst performance for the youngest child. Praxias assessment with increased difficulty action being imitation the privileged way recognized by everyone in the children’s achievement. In praxias assessment involving parallel movements, Child One presents the worst result, performing one movement only, the simplest in the series. Child Three uses imitation for most achievements and finally, Child Four does not perform two movements, precisely those involving sounds. Verbal Praxias Assessments: In general the main features presented were breathy and monotonous voice, heightened pitch and intersected speech with alternations in rhythm. Every participant involved in the research showed a strong tendency to centralize the sounds in their emission. The prosody is altered in two cases, the youngest child still uses a very childish prosody, Child Two, in its turn, alters the vocal tone. Conclusion: The praxic configuration condition verified in each patient points to disorders that seem to be linked to superior processes of motor planning, called apraxia. This research has made it possible to present data that show that these children present a co-occurrence of alterations: autism and apraxia. However, these findings do not confirm a direct connection of such co-occurrence in all children with ASD
Palavras-chave: Apraxia
Transtornos do espectro do autismo
Crianças autistas
Apraxia
Autism spectrum disorders
Autistic children
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::FONOAUDIOLOGIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Faculdade de Ciências Humanas e da Saúde
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Fonoaudiologia
Citação: Martins, Fernanda Cristina Reis Merli. Apraxia de fala em crianças de 4 a 7 anos diagnosticadas no Transtorno do Espectro Autista: avaliação de quatro pacientes. 2018. 86 f. Dissertação (Mestrado em Fonoaudiologia) – Programa de Estudos Pós-Graduados em Fonoaudiologia, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2018.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/21262
Data de defesa: 25-May-2018
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Fonoaudiologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Fernanda Cristina Reis Merli Martins.pdf1,36 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.