???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/19963
Tipo do documento: Dissertação
Título: Aflitos de São Paulo: a estigmatização perante a morte
Autor: Andrade, Celso de
Primeiro orientador: Bernardo, Teresinha
Resumo: A presente dissertação busca analisar, por meio das expressões funerárias, o desenvolvimento urbano da cidade de São Paulo, entre os séculos XVIII e XIX, período no qual foram institucionalizadas medidas sociopolíticas e culturais para responder às necessidades cotidianas dos paulistas. Com o aumento da população na cidade e sua expansão para além dos seus limites imaginados, tornou-se imprescindível a implantação de equipamentos públicos que atendesse a necessidade de estruturação do espaço urbano. A localização espacial e estratégica da urbe paulista que permitiu seu desenvolvimento dentro de um sistema basicamente mercantil, também atraiu uma população empobrecida destituída de suas raízes, aventureiros em busca de enriquecimento, a horda que se associava à malta da terra, negros forros e fugidos que não conseguiam ser absorvidos como mão de obra assalariada, mulheres de má vida, entre outros miseráveis. Entre os alguns equipamentos públicos necessários para estruturação urbana e para o atendimento das demandas funerárias destes excluídos da ordem, foi criado o primeiro cemitério público, que em conjunto ao espaço da forca, o pelourinho e a Santa Casa de Misericórdia levou a formação do patíbulo da morte em São Paulo. Desta primeira necrópole pública sobrevive entre os arranha-céus, em um beco sem saída, a Capela dos Aflitos. A pequena e humilde ermida que tem por padroeira Nossa Senhora dos Aflitos consoladora dos que nada mais esperam, guarda diversos testemunhos, materiais e imateriais, que remetem à memória do processo de segregação e estigmatização social resultado do desenvolvimento econômico paulista
Abstract: The objective of this dissertation is to analyze, through funerary expressions, the urban development of the São Paulo city, between the eighteenth and nineteenth centuries, a period in which sociopolitical and cultural measures were institutionalized to respond to the daily needs of paulistanos. With the increase of the population in the city and its expansion beyond its imagined limits, it became essential to implement public resources that would meet the urban space structuring needs. The spatial and strategic location of the São Paulo city, which allowed its development within a basic mercantile system, also attracted an impoverished population devoid of its origins, adventurers seeking enrichment a horde that was associated with the malt of the land, black linings and escapes that could not be absorbed as wage labor, women of bad life, among other miserable ones. Among the public facilities needed for the urban structuring to attend to the funeral demands of those excluded from the order, the first public cemetery was created, which together with the space of the force, the pillory and Santa Casa de Misericórdia, led to the formation of the scaffold of the death in São Paulo. From this first public necropolis survives, among the skyscrapers, in a dead end, the Chapel of the Afflicted. The small and humble hermitage whose patron saint, Nossa Senhora dos Aflitos, is the consoler of those who wait for nothing, keeps several testimonies, both material and immaterial, that remind us of the process of segregation and social stigmatization resulting from the economic development of the São Paulo city
Palavras-chave: Exclusão social
Morte - Aspectos simbólicos
Alma
Ritos e cerimonias fúnebres - Sao Paulo (cidade) -- Historia
Death
Excluded
Funerary
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Faculdade de Ciências Sociais
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais
Citação: Andrade, Celso de. Aflitos de São Paulo: a estigmatização perante a morte. 2017. 125 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) - Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2017.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/19963
Data de defesa: 31-Mar-2017
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Celso de Andrade.pdf2,43 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.