???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/18912
Tipo do documento: Dissertação
Título: Procedimento para produção de respostas de mando variadas em crianças autistas e avaliação da extensão da variabilidade
Autor: Souza, Juliana Castelo Branco de 
Primeiro orientador: Micheletto, Nilza
Resumo: O presente estudo verificou a eficácia do uso de fading out para o ensino de topografias de respostas verbais de mando, bem como o uso de contingências Lag (emissão de resposta diferente das n anteriores) para o aumento de respostas variadas. Buscou verificar também se, ao utilizar um procedimento para aumentar a variabilidade, ocorre generalização da variabilidade das respostas ensinadas para outros ambientes e com outras pessoas; e se, ao ensinar variação de respostas de mando, ocorre extensão da variabilidade para outros operantes verbais, testando respostas intraverbais e de tato. Topografias de mando, como por exemplo “Posso pegar...”, “Me empresta...”, “Dá pra mim...”, “Posso brincar com...”, “Eu quero...”, foram ensinadas a três crianças diagnosticadas com autismo. Antes do ensino das topografias de mando foi realizada a linha de base em três situações: interagindo no dia a dia com um cuidador (ambiente de interação natural); interagindo com o cuidador que foi orientado a criar condições para respostas de tato, intraverbal e mandos (ambiente de interação programada) e interagindo com o experimentador no ambiente de intervenção com procedimento similar ao de ensino. Foram registradas todas as respostas de tato, intraverbal e mandos dos participantes nestas três condições. O procedimento de ensino se deu com a apresentação de objetos para os participantes, selecionados em testes de preferência realizados a cada sessão, e o uso de modelo verbal ecoico para que a resposta fosse ecoada. Os testes de preferência foram planejados de forma que a cada sessão fosse apresentado um objeto novo, o que permitiu avaliar a generalização de respostas de mando para novos objetos. O modelo ecoico foi retirado gradualmente até que o participante estivesse emitindo o mando sem modelo verbal antecedente. Durante o ensino respostas corretas produziam o objeto e elogios. Após o ensino de cada topografia de mando foi realizado um teste (sonda) de generalização em que todos os objetos eram novos. Após o ensino de mando foi realizado o procedimento de ensino de variabilidade nas respostas dos participantes. Foram utilizados os esquemas de reforçamento Lag 1, Lag 2 e Lag 3. Após a fase de ensino das topografias de mando foi realizado o teste intermediário e após o ensino de variabilidade o teste final. Ambos da mesma forma que a linha de base inicial. O resultado indica que os três participantes aprenderam as cinco topografias de mando com o uso de fading out do modelo verbal, houve aumento de variabilidade com o uso dos esquemas de reforçamento Lag 1, Lag 2 e Lag 3. Os três participantes apresentaram maior diversidade de topografias com uma maior distribuição de respostas em Lag 3. Além de variar entre as respostas ensinadas os participantes também emitiram respostas novas, não ensinadas, e recombinadas (respostas que combinavam parte de topografias ensinadas). Ocorreu generalização das topografias ensinadas para os novos objetos, assim como para outros ambientes e com outras pessoas. Um participante apresentou aumento de variação das respostas intraverbais no teste final e os três participantes apresentaram um pequeno aumento de variação das respostas de tato
Abstract: The present study investigated the efficacy of using the procedure of fading out to teach different topographies of mands, and explored the use of the contingency Lag, in which the participant must emit n different responses from the previous one to increase variability. It also verified if generalization of variable responses would occur in different environments and with other people. And, if variability of mand responses would extend to other verbal operants (intraverbals and tacts). Some topographies of mands were taught to 3 participants diagnosed with autism, such as “Can I get…”, May I borrow…”, “Can I play with…”, “ I want…”, “Give me…”. Before the procedure to teach the topographies of mands started, a base line was done in three situations: with the child interacting naturally with the people in his house (interaction in the natural environment); with a family member interacting with the child creating situations for tact, intraverbal and mand responses; and in the intervention environment. All tacts, intraverbals and mands were registered in the three situations. The teaching procedure started with the presentation of an object, chosen in the preference test in each session by the participant, to see how he would ask for the object. The first verbal model given was the ecoic model. The preference test was planned in a way that in each session a new object would be presented, which permitted to evaluate the generalization of mands to new objects. The ecoic model was faded out gradually until the participant emitted a mand without a verbal modal as antecedent stimuli. During the procedure, the correct responses would be reinforced by receiving the object plus compliments. When all five responses were learned the procedure to install variability started with Lag 1, Lag 2 and Lag 3 reinforcement schedules. After the teaching of the mand topographies, an intermediate test was made; and after the variability procedure, a final test was made. Both of tests checked the child´s verbal behavior the same way as the base line. The results indicate that all three participants learned the five mand topographies with the use of fading out of the verbal model. There was also an increase in variability with the reinforcement schedules of Lag 1, Lag 2 and Lag 3 for all the participants, especially in Lag 3, that the responses were more diverse and more distributed. The children varied the responses using the topographies learned but also emitting new responses (not taught), and responses combining parts of the learned responses. Generalization of the mand responses to new objects occurred, as well as to other environment and people. One of the participants showed an increase of variable intraverbal responses in the final test, and all the participants presented a little increase in the variation of tact responses
Palavras-chave: Autismo
Comportamento verbal
Mando
Autism
Verbal behavior
Mand
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA::PSICOLOGIA EXPERIMENTAL
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Faculdade de Ciências Humanas e da Saúde
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia Experimental: Análise do Comportamento
Citação: Souza, Juliana Castelo Branco de. Procedimento para produção de respostas de mando variadas em crianças autistas e avaliação da extensão da variabilidade. 2016. 83 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia Experimental) - Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia Experimental: Análise do Comportamento, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2016.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/18912
Data de defesa: 1-Apr-2016
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia Experimental: Análise do Comportamento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Juliana Castelo Branco de Souza.pdf2,33 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.