???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/18800
Tipo do documento: Tese
Título: Mulheres moçambicanas: resistência, Associativismo, Feminismo
Autor: Santos, Aldenir Dias dos 
Primeiro orientador: Bernardo, Teresinha
Resumo: O objetivo dessa tese é o de compreender a produção da vida material e da possível autonomia de mulheres no sul de Moçambique através do trabalho associativo nas cooperativas da União Geral das Cooperativas. A perspectiva é a de que as mulheres fazem parte da população mais vulnerável, por questões econômicas, políticas e culturais, por isso vivem em situação de quase nenhuma negociação com o seu cônjuge ou outros homens da sua família. Entende-se também que elas resistem de forma individual e coletiva, através de redes de solidariedade e organizações de mulheres. Compreende-se também que as experiências históricas de autonomia e empoderamento das mulheres em regiões Áfricanas, bem como a história econômica e política, recente do seu país, são fundamentais para compreensão de como vivem na Moçambique contemporânea. A pesquisa de campo foi realizada em um estágio sanduíche no exterior, por meio de entrevistas semiestruturadas, grupo focal, a observação participante direta e indireta, numa inspiração parcial do método da etnografia. A fundamentação teórica abrange estudos acadêmicos da Sociologia, da Ciência Política e da Antropologia, sendo que nesta área, o caminho foi muito mais pelas ferramentas da Economia, como também de um campo ainda em construção que é a Antropologia Feminista. O estudo concluiu que o trabalho associativo das mulheres gerou renda, que possibilitou formas de empoderamento para si e sua família, garantindo certa autonomia na gestão da sua vida. Como a maioria delas vive sem o marido, são elas mesmas quem assumem a responsabilidade na gestão das organizações e na gestão da casa, mesmo onde existe o cônjuge, ou seja, a sua liderança familiar independe da existência do homem na casa. A tese ainda se insere numa perspectiva dos estudos do feminismo interseccional, incorporando a diversidade do ser mulher
Abstract: The goal of this thesis is to understand the production of material life and the possible autonomy of women in southern Mozambique through the associative work in cooperatives of the General Union of cooperatives. The perspective is that the women are part of the population that is more vulnerable to economic, political and cultural issues, therefore, live in a situation of almost no negotiation with their spouse or other men in their family. This also means that they resist individually and in a collective form, through networks of solidarity and women's organizations. It is understandable that the historical experiences of autonomy and empowerment of women in Áfrican regions, as well as the recent economic and political history, of their country, are key to understanding how it is to live in Mozambique today. The field research was carried out in a one-stage sandwich abroad, by means of semi-structured interviews, a focal point group, the direct and indirect participant observation, in a partial inspiration of the method of Ethnography. The theoretical foundation go through the academic studies of sociology, political science and anthropology, and in this area, the way was more for the tools of the economy, as well as a field still under construction which is the Feminist Anthropology. The study concluded that the associative work of women generated income, which enabled forms of empowerment for themselves and their family, guaranteeing a certain autonomy in the management of their lives. As most of them live without their husband, they are themselves who take the responsibility in the management of organizations and in the management of the house, even where there is a spouse, i.e. their family leadership is independent of the existence of the man in the House. The thesis still inserts a perspective of intersectional feminism studies incorporating the diversity of being a woman
Palavras-chave: Mulheres moçambicanas
Resistência
Associativismo
Mozambican women
Resistance
Associations
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Faculdade de Ciências Sociais
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais
Citação: Santos, Aldenir Dias dos. Mulheres moçambicanas: resistência, associativismo, feminismo. 2016. 179 f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2016.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/18800
Data de defesa: 18-Mar-2016
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Aldenir Dias dos Santos.pdf3,99 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.