???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/18408
Tipo do documento: Dissertação
Título: JOC: da submissão à contestação
Autor: Fabian, Roberto
Primeiro orientador: Bezerra, Holien Gonçalves
Resumo: A Juventude Operária Católica é um movimento criado na Bélgica no começo deste século, por um jovem padre Joseph Cardijn. Este movimento tem como objetivo, na concepção da hierarquia da Igreja Católica, de fazer retornar ã instituição a Classe Operária. Os jovens operários são os missionários ou soldados da Igreja nos locais de trabalho. É através de sua conduta, de seu exemplo, de sua ação cotidiana nos locais de trabalho que os jovens trabalhadores reinstauram os princípios da civilização cristã na sociedade industrial. Cardijn cria um método: Ver, Julgar e Agir que é ado tado pela Ação Católica. O foi utilizado para veicular a ideologia católica e servir indiretamente como instrumento de controle dos movimentos de Ação Católica Especializada. O método é baseado no senso comum e por ser um instrumento prático e simples, não revela sua implicação enquanto instrumento de formação ideologica. No Brasil, a JOC teve grande crescimento na década de cinquenta. O Jocismo consegue organizar os jovens trabalhadores num perrodo de grande emigração do campo para a cidade e de desenvolvimento econ~mico acelerado. O movimento procura disseminar as concepções católicas da finalidade do trabalho, do significado do sofrimento e da ascese, reintegrando-os na CRUZ de Cristo, srmbolo universal do cristianismo. A disciplina, o sofrimento e o trabalho árduo do jovem trabalhador no local de trabalho, participam da Cruz de Cristo. A Cruz ponteia a disciplinaridade da mão-de-obra nos locais de trabalho, sendo do interesse de muitos patrões que financiam o movimento e garante a obediência e a submissão do militante ã hierarquia da Igreja Católica. "O cansaço e o sofrimento que vêm do trabalho contribuem p! ra a salvação. í3 a nossa cruz que completa a cruz de Cristo". ~a d~cada de sessenta hi um processo de ruptura do movimento com a ideologia católica. Esse processo de .ruptura e radicalização se di numa relação dial~tica no interior da instituição e no contexto mais amplo da sociedade brasileira que vive uma profunda crise estrutural. O Jocismo elabora uma concepção de mundo e do homem que contestam a ideologia hegernBnicada Igreja Católica, e subvertem a sociedade, segundo a ideologia de Segurança Nacional. Neste processo, a JOC ~ vítima de violenta persegui - ção do regime militar - prisão, tortura e morte. Em 1975, no Quinto Conselho Mundial, realizado Linz, na Áustria, a JOC Internacional aprova a Declaração em de Princípios. O movimento, a exemplo da Teologia da Libertação, tem como evidência a luta de classes e aponta para a necessidade da superação da sociedade dnde o homem explora o outro homem. No Brasil, a JOC perde definitivamente o apoio da hierarquia e aprofunda a sua vinculação e compromisso com o movimento operário
Palavras-chave: Classe operaria
Jocismo
Juventude trabalhadora
Igreja e problemas sociais -- Igreja Catolica
Juventude Operaria Catolica
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::HISTORIA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: História
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em História
Citação: Fabian, Roberto. JOC: da submissão à contestação. 1988. 270 f. Dissertação (Mestrado em História) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 1988.
Tipo de acesso: Acesso Restrito
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/18408
Data de defesa: 30-Mar-1988
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em História

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Roberto Fabian.pdf7,35 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.