???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/18399
Tipo do documento: Dissertação
Título: As relações de poder entre o adulto dependente e a mulher-cuidadora
Autor: Silva, Ivone Pereira da 
Primeiro orientador: Karsch, Ursula Margarida
Resumo: Este estudo analisa, na cidade de São Paulo, as relações de gênero e poder entre cuidadoras-mulheres e pacientes acometidos pelo AV.C. (Acidente Vascular Cerebral) e que perderam sua independência. A investigação focalizou brevemente as políticas sociais, principalmente no que diz respeito ao idoso, demonstrando que estas desconsideram o processo da transição demográfica brasileira que nas últimas décadas vem alterando o perfil da estrutura etária do país, em função da diminuição nas taxas de fecundidade e de mortalidade e com o aumento da expectativa de vida. o processo de transição demográfica leva a uma alteração no perfil epidemiológico, pois as causas de morte atribuídas às doenças infecciosas e parasitárias, responsáveis por um coeficiente de mortalidade precoce, estão dando lugar às doenças crônico-degenerativas, que têm maior incidência na população idosa. No que se refere ao idoso dependente por AV.C., percebe-se que o Estado não é sensível ao problema, recaindo sobre a família a responsabilidade de cuidar do idoso incapacitado, arcando sozinha com todo o ônus, como se o cuidar não fosse objeto, também, do âmbito público. o estudo constatou que a figura do cuidador não existe para o Estado. Este não tem programas de atendimento domiciliar que garantam o atendimento aos pacientes que não conseguem chegar às unidades de saúde devido ao seu alto grau de dependência, e não vêm dando suporte aos familiares, através de apoio, orientação e treinamento, enquanto o idoso é mantido no meio familiar. o cuidado com o idoso dependente no Brasil é uma tarefa exercida majoritariamente por mulheres, papel esse que, historicamente, estas já vêm assumindo no interior da família. Demonstrou-se que cuidar de velhos e dependentes não é uma função "natural" da mulher, mas que é determinada pelo modo de organização social da sociedade brasileira, derrubando-se as concepções que associam o cuidar a uma condição biológica. Assim, à mulher é destinada o espaço doméstico e ao homem, o espaço público. Buscou-se apreender a experiência destas mulheres não de forma isolada, mas dando um caráter relacional à experiência de ambos os sexos. Capturou-se a relação entre os gêneros ( homem-mulher, mulher-mulher e homem-homem), entendendo-as como relações contraditórias. Cada ser humano é a história de suas relações sociais e portanto, o gênero, a classe social e a raça/etnia, são fundantes destas relações. Demonstrou-seque a relação entre cuidadora-paciente é marcada pelas desigualdades de gênero e portanto, são permeadas pelo poder. Constatou-se que mesmo quando a mulher se coloca numa relação subalterna, ora o poder é exercido pela cuidadora, ora é exercido pelo paciente. No entanto, as relações de poder não estão somente circunscritas às relações entre homens e mulheres, mas sim inscritas na esfera das relações sociais. Conclui-se que a atividade do cuidar se dá no espaço da família, mas não se limita ao espaço privado, pois necessariamente tem relação com o espaço público: através das relações de trabalho, do mercado, do Estado, das políticas sociais e das leis. Buscou-se, assim, apreender as relações de poder que se desenvolvem no interior da família, e se articulam dialeticamente com as relações de poder na sociedade
Abstract: This paper will examine the gender and power relationships between female caregiver and patients of AV.C. (Stroke), who are helpless on their own. São Paulo was the foreground chosen for such analysis. The research focused enough on the social policies regarding senior citizens, so as to show that such policies do not take into consideration the Brazilian process of demographic transition; which, due to shrinking fertility and mortality rates as well as to increased life expectancy, has been changing the age structure profile of the country. The demographic transition process leads to an altered epidemiologic profile, given that infectious or parasitary illnesses which are responsible for early age deaths, are being replaced by the cronic degenerative illnesses, which mainly afflict the elder population. In what concerns the disabled elder of AV.C. (Stroke) subject, it's clear that the state is not sympathetic to the problem, and therefore the responsibility of taking cara of the disabled person is lefi entirely to the family, which algo has to face ali the costs, as if looking afiar, were not in itself, algo an object of public domain. The research reaffirmed that the caregiver as such, does not exist for the state. It does not have programs featuring home visits which would ensure that patients,who cannot reach the health units because of their degree of helplesness, were being attended to. Also there' s no support nor training nor orientation for the family while the disabled has to be kept in the family milieu. Taking cara of the disabled senior family member is, in Brazil, a task mostly performed by women, a role which historically they have been playing within the family. We have demonstrated that looking afiar the old or the disabled is not "natural" to the woman, but determined by the social organization pattern of the Brazilian society, and thus we have defeated arguments that link the act of looking afiar, to a biological condition. Consequently alloting to the woman the domestic area while the man is alloted the public area. We tried to perceive the experience of these women not in isolation, but assigning a related aspect to the experience of both sexes. The relationship between the genders (male-female, female-female, mala-mala) was captured, and understood as contradictory. Each human being is the history of his or her town social relations, therefore the gender, the social class, and the race are the foundations of such relations. We have shown that the relationship between caregiver and patient is loaded with differences of gender, and is thus intertwined with power. We have established that even when the woman placas herself in a submissive position, the power shifis from caretaker to patient alternately. Nevertheless power relations are not confined to male-female relationships, on the contrary they belong in the domain of social relatins We have concluded that the act of taking cara takes placa in the family premisses but is not limited to the private area,as it necessarily relates to the public area; be it through work, market, or state relations,or through social policies or laws. We have thus aimed at perceiving the power relatins that grow within the family and dialetically articulate themselves with the power relations within the society
Palavras-chave: Idosos -- Cuidados caseiros
Acidente vascular cerebral
Dependencia do idoso
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::SERVICO SOCIAL
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Serviço Social
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Serviço Social
Citação: Silva, Ivone Pereira da. As relações de poder entre o adulto dependente e a mulher-cuidadora. 1995. 124 f. Dissertação (Mestrado em Serviço Social) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 1995.
Tipo de acesso: Acesso Restrito
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/18399
Data de defesa: 13-Dec-1995
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Serviço Social

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Ivone Pereira da Silva.pdf4,27 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.