???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/17385
Tipo do documento: Dissertação
Título: Jovens na prática do grafite: trajetórias de invenções e inversões
Título(s) alternativo(s): Graffiting youth: a path of inventions and inversions
Autor: Santos, Maria Helena dos 
Primeiro orientador: Vicentin, Maria Cristina G.
Resumo: Esta dissertação filia-se ao campo de estudos de juventude e cidade, com o objetivo de investigar os sentidos que um grupo de jovens imprime á pratica do grafite no espaço urbano na metrópole de São Paulo. Para responder a pergunta que orientou a pesquisa como um grupo de jovens grafiteiros forjam espaços na cidade e que sentidos imprimem a suas ações táticas foi consultada ampla literatura das ciências humanas sobre juventude e sobre a cidade, recorrendo-se especialmente, para esta última, ao referencial teórico de Michel de Certeau. Por meio da observação participante e de entrevistas, acompanharam-se as atividades do grupo de grafiteiros o.p.n.i. na cidade de São Paulo de março de 2007 a janeiro de 2009. Uma breve recuperação do processo de ocupação da cidade e do surgimento da pichação e do grafite formam o pano de fundo da análise da trajetória do grupo de três grafiteiros (dois negros e um branco, com 23-24 anos) moradores do bairro periférico de São Mateus. A análise da constituição do grupo e das táticas a que recorrem para enfrentar no cotidiano a discriminação espacial, racial e de classe social permitiu apontar os vários sentidos que atribuem à prática do grafite: pelo grafite adquirem visibilidade, mantêm o grupo unido, sobrevivem; expressam-se, protestam, denunciam a desigualdade, o racismo, a violência policial, a corrupção de políticos. Recusando o apelo comercial, a clara intenção política de várias de suas manifestações consubstancia-se na opção, pela via do grafite, por uma ação comunitária voltada aos mais jovens no bairro onde moram. O acompanhamento de sua trajetória evidencia como constroem suas subjetividades entrelaçadas com a consolidação do grupo e a prática coletiva do grafite, em uma forma de sustentar a recusa constante do lugar de assujeitamento e submissão que lhes é comumente designado. Acompanha a investigação um DVD com o documentário realizado com o grupo investigado
Abstract: Inserted in the fields of urban studies and of youth, the present dissertation inquired on the meanings that a graffiti group assigns to their practise in the urban space of the São Paulo Metropolis. In order to answer the original question that guided research namely, how a grafitti group establishes relationships with the city spaces and how its members attribute meaning to their action , this study draws on the broad human sciences literature on youth and on the city, having strongly resorted to Michel de Certeau concepts of space, place, and tactics. By means of interviews and of participant observation, the activities of the group called o.p.n.i. were followed in the city of São Paulo from March, 2007 through January, 2009. A brief account of the city space occupation process and of the emergence of graffiti make up the background against which the analysis unfolds the trajectory of the group and of its three members two blacks and one white, aged 23 to 24 years old, dwellers in São Mateus, in the far outskirts of the city. The analysis of the group constitution and of the tactics they resort to in order to face daily space, race, and class discrimination, which they are aware of allowed for eliciting the various meanings of graffiti for them: through graffiting they become conspicuous, keep group ties, survive; they express themselves, protest, denounce inequality, racism, politicians‟ corruption, police violence. By refusing business appealingness, the keen political intent of their various manifestations led them to engaging in community action among youngsters in their neighbourhood. Following them around the city also allowed for acknowledging the way they build subjectivity intertwined with the group‟s consolidation and with doing graffiti, as a means of sustaining a stubborn refusal of constantly imposed subjection. This research also contains a DVD with the documentary accomplished with the group investigated
Palavras-chave: Juventude e cidade
Grafite
Pichação
Desigualdade social
Youth and urban
Graffiti
Social inequality
Diferenciacao (Sociologia) -- Sao Paulo (cidade)
Grafitos -- Sao Paulo (cidade)
Juventude -- Sao Paulo (cidade) -- Atitudes
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA::PSICOLOGIA SOCIAL
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Psicologia
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Serviço Social
Citação: Santos, Maria Helena dos. Graffiting youth: a path of inventions and inversions. 2009. 138 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2009.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/17385
Data de defesa: 16-Oct-2009
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Social

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Maria Helena dos Santos.pdf7,16 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.