Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/16908
Tipo do documento: Dissertação
Título: O sujeito e o Outro no conflito de Hamlet
Título(s) alternativo(s): The subject and the Other in Hamlet s conflict
Autor: Ferretti, Mariana Galletti 
Primeiro orientador: Pacheco Filho, Raul Albino
Resumo: O presente trabalho pretende, partindo das intuições shakespearianas sobre a condição humana expressas nas vicissitudes da personagem Hamlet, aprofundar uma reflexão sobre o sujeito em Lacan articulada às formulações do autor sobre a estrutura e os tempos lógicos da constituição do sujeito. É de extrema importância frisar que Hamlet não será entendido como a representação de um sujeito em constituição. A abordagem desta personagem deve ser compreendida tão somente como contexto oportuno para refletir a respeito de aspectos fundamentais da estrutura do sujeito. Esta pesquisa está organizada em quatro principais etapas: a primeira visa a introduzir o leitor à questão da relação existente entre a psicanálise, a arte e a literatura; a segunda se caracteriza por tratar das particularidades intrínsecas ao trabalho com a famosa obra shakespeariana Hamlet; na terceira etapa, foram desenvolvidos os conceitos de sujeito e de Outro em Lacan; já na quarta, foi discutida a relação entre os conceitos de complexo de Édipo e de metáfora paterna procurando evidenciar e contextualizar a articulação da obra Hamlet com ambos. Estes conceitos, que representam pontos capitais das teorias, respectivamente, de Freud e Lacan, possuem aspectos em comum, porém não são sinônimos. Visto que a teoria lacaniana, na qual esta pesquisa se baseou, possui muitos desdobramentos, foi necessário estabelecer uma delimitação do estudo, que visou a abranger as teorizações lacanianas empreendidas até a época do Seminário 10. Foi possível considerar Hamlet como o retrato das contingências da neurose. Sendo esta uma estrutura psíquica decorrente de uma determinada função do Outro, podemos dizer que o conflito de Hamlet tem claras ligações com as relações sociais que se estabelecem entre ele e o Outro. Entretanto, a questão da estrutura é, para Lacan, anterior e subjacente, sempre no sentido lógico, ao estabelecimento dos vínculos sociais. A falta estrutural gera determinados efeitos que repercutem no modo de relação que se dá entre o sujeito e o Outro. Hamlet sofre pelas contingências de sua estrutura no vínculo com o Outro
Abstract: This work intends, starting from Shakespeare s intuition about the human condition expressed in the vicissitudes of Hamlet s character, to deepen a reflection on the concept of subject in Lacan s theory articulated to the formularization of the author concerning the structure and the logic times of the subject s constitution. Is extremely important to emphasize that Hamlet won t be understood as a representation of one subject in constitution. The approach to this character must be comprehended merely as propitious context to ponder on fundamental aspects of the subject s structure. This research is organized in four main stages: the first aims to introduce the reader to the question of the existing connection between psychoanalysis, art and literature; the second concerns the singularity intrinsic to the work on this famous Shakespearian production Hamlet; in the third stage, the Lacanian concepts of subject and the Other were developed; in the fourth, the connection between the concepts of Oedipus complex and the paternal metaphor was discussed trying to make clear and bring to context the articulations of both within the Shakespearian play. These concepts, that represent capital points of the Freudian and Lacanian theories, respectively, have common aspects, but aren t synonymous. Since the Lacanian theory, in which this research is based on, has many unfoldings, it was necessary to establish a delimitation of the study, that aimed to embrace the Lacanian theorizations endeavoured up to the The Seminar 10. It was possible to regard Hamlet as a portrait of the contingencies of neurosis. That being a psychic structure resulting from a determinate function of the Other, we may say that the conflict in Hamlet has clear connection with the social bonds that are established between him and the Other. Still, the question of the structure is, for Lacan, anterior and subjacent, always in the logic sense, to the establishment of the social bonds. The structural lack generates determinate effects that influence the relation between the subject and the Other. Hamlet suffers from the contingencies of his structure in the bond with the Other
Palavras-chave: Psicanálise
Hamlet
Lacan
Sujeito
Outro, Laço social
Psychoanalysis
Subject
Other
Social bond
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA::PSICOLOGIA SOCIAL
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Psicologia
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Serviço Social
Citação: Ferretti, Mariana Galletti. O sujeito e o Outro no conflito de Hamlet. 2010. 60 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2010.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/16908
Data de defesa: 8-Dez-2010
Aparece nas coleções:Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Social

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Mariana Galletti Ferretti.pdf451,67 kBAdobe PDFThumbnail

Baixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.