???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/16375
Tipo do documento: Tese
Título: A constituição da teoria da mente: estudo longitudinal sobre uso de termos mentais em situação lúdica e desempenho em tarefas de crença e crença falsa
Autor: Valério, Anegreice 
Primeiro orientador: Maluf, Maria Regina
Resumo: Compreender estados mentais como desejos, emoções e crenças é importante para o êxito de nossas relações cotidianas. A aquisição e o desenvolvimento dessa habilidade são aspectos que têm sido estudados sob o nome de Teoria da Mente. Estudar as primeiras manifestações dessa compreensão pode colaborar para entender esse desenvolvimento. A presente pesquisa é um estudo longitudinal com o objetivo central de examinar a constituição da teoria da mente das crianças. Outro objetivo, de caráter prático, é oferecer subsídios para a promoção de atividades escolares favorecedoras desse desenvolvimento. Participaram da pesquisa 58 crianças, 29 meninos e 29 meninas, entre 1a11m e 3a7m, de uma escola de educação infantil que atende crianças de NSE médio e alto. Os participantes foram acompanhados por 18 meses, em quatro coletas, com intervalos de 6 meses, por meio de dois procedimentos: a) observações em situações lúdicas - as crianças foram vídeo-gravadas brincando em grupos de quatro; b) aplicação de tarefas - as crianças responderam individualmente a tarefas de crença e crença falsa. As verbalizações foram transcritas, submetidas ao software SPAD-T para tratamento e categorizadas segundo o tipo de atribuição de estados mentais. O desempenho nas tarefas foi submetido à Análise Fatorial. Os resultados mostraram que as atribuições mais precoces de estados mentais ao outro ocorreram aos 2a5m (emoção), 2a7m (desejo) e 3a2m (crença). Foram encontradas diferenças em relação ao período de aquisição de termos relativos à crença. Os termos mentais mais utilizados foram os verbos gostar, querer e saber. Outras palavras utilizadas com freqüência foram medo, feliz e triste no final do segundo ano de vida e pensar, conhecer, mentir e enganar durante o terceiro ano. A análise fatorial revelou que houve influência da idade nesse desenvolvimento e encontrou diferentes perfis de desenvolvimento. Os resultados dos dois conjuntos de dados (manifestações verbais e desempenho em tarefas) foram utilizados na análise intra-individual de 10 participantes e, em todos os casos, se complementaram na explicação do comportamento de cada criança
Abstract: Understanding mental states such as desires, emotions and beliefs is important for the success to our every Day relationships. The acquisition and development of this ability are aspects that have been studied under the name of theory of mind. To study the first manifestations of this comprehension can enable to understand this development. The central objective of this research is to examine the constitution of children s theory of mind. Another objective, a practical one, is to offer assistance for the promotion of activities that favor this development. 58 preschool children of a medium-high socioeconomic level, 29 boys and 29 girls between 1;11 to 3;7 year-olds, were followed for 18 months in 4 gatherings with intervals of 6 months through two procedures: a) observation in playful situation kids were videotaped playing in groups of 4; b) they were given tasks, kids answered individually to tasks of belief and false belief. Verbalizations were typed and submitted to software SPAD-T for treatment and categorization according to the type of attribution of mental states. The performance in the tasks was submitted to the Factorial Analysis. The results showed that the attributions more precocious of mental states to the other one happened at 2 years 5 months (emotion), 2 years and 7 months (desire) and 3 years and 2 months (belief). Differences were found in relation to the period of acquisition in terms related to belief. The most used terms were the verbs gostar (to like), querer (to want) and saber (to know). Other words frequently used were medo (fear), feliz (happy) and triste (sad) at the end of the second year of life and pensar (to think), conhecer (to know), mentir (to lie) and enganar (to cheat) during the third year of life. The factorial analysis revealed that there was age influence in this development and found different profiles of development. The results of both groups of data (verbal manifestations and task performance) were used in the intra-individual analysis of 10 participants and, in all cases, were complemented in the explanation of the behavior of each child
Palavras-chave: Crença falsa
Teoria da mente
Desenvolvimento cognitivo
Educação infantil
Theory of mind
False-belief
Cognitive development
Children s preschooler education
Construtivismo (Educacao)
Filosofia da mente
Educacao de criancas
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO::FUNDAMENTOS DA EDUCACAO::PSICOLOGIA EDUCACIONAL
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Psicologia
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação: Psicologia da Educação
Citação: Valério, Anegreice. A constituição da teoria da mente: estudo longitudinal sobre uso de termos mentais em situação lúdica e desempenho em tarefas de crença e crença falsa. 2008. 208 f. Tese (Doutorado em Psicologia) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2008.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/16375
Data de defesa: 30-May-2008
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação: Psicologia da Educação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Anegreice Valerio.pdf1,09 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.