???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/16151
Tipo do documento: Tese
Título: Educação Especial: o olhar e a palavra do professor
Autor: Carvalho, Sumaya Persona de
Primeiro orientador: Sousa, Clarilza Prado de
Resumo: A educação compõe um universo de incalculáveis matizes, ou talvez se deva dizer de incalculáveis necessidades. Há aspectos essenciais, entre eles, a inclusão, cuja preocupação vem se fazendo cada vez mais presente, não apenas na escola, mas também na sociedade como um todo. Assim, neste estudo discutimos a relação inclusão/exclusão de alunos com deficiências na escola sob a visão de professores, em uma perspectiva psicossocial. Consideramos a dialética da fala/silêncio de professores das séries iniciais de Educação Básica, captada por intermédio de três grupos de sujeitos. No primeiro, para obter um panorama temático da educação especial, realizamos grupo focal com professoras aposentadas que continuam na ativa. No segundo, aplicamos questionário aos alunos do curso de Pedagogia, que são professores da rede pública. O referido questionário se constituiu de perguntas abertas e fechadas, incluindo a técnica da Associação Livre. Finalmente, entrevistamos professoras de uma escola municipal de educação básica para auscultar os entremeios, os entrechos das suas vozes sobre como vêem o aluno com deficiência em sala de aula e em sua ação pedagógica. Para análise e interpretação dos dados, utilizamos, respectivamente, nos três grupos: análise de conteúdo, na perspectiva apontada por Bardin (1977); categorização considerando nosso olhar e as informações resultantes do software SPSS e, por último, o programa CHIC. Identificamos, entre os professores pesquisados, compreensões diferenciadas sobre o aluno com deficiência no ensino regular. Uma pequena parte desses professores se sentiu à vontade e preparada para falar de inclusão. Outra parte, em sua maioria, se mostrou favorável, mas consciente de sua limitação quanto às possibilidades de enfrentá-la com o pouco conhecimento. E, ainda um pequeno grupo se revelou contrário a essa discussão. Mais do que apontar noções de professores favoráveis ou desfavoráveis, foi possível destacar os pontos que expressam a visão dos professores sobre a inclusão de alunos deficientes. Embora tenham considerado difícil o trabalho com esses alunos, manifestaram um real desejo de qualificação. Desejo este, expresso com tanta ênfase que deixaram entrever a necessidade de se tornar um superprofessor para atuar com alunos deficientes, o que, paradoxalmente, pode camuflar o não-desejo dos professores acolherem esse aluno em sala de aula, já que fugiria do aspirado padrão pedagógico de aluno disciplinado e atento, conforme veio à tona nos vários depoimentos desta pesquisa. Os grupos pesquisados indicaram, assim, que ancoram suas representações sobre os portadores de deficiência e o sobre o professor desses alunos em aspectos afetivos e na necessidade de preparação pessoal e profissional para enfrentar o que consideram um desafio do ensinar. Embora em um primeiro momento esta visão, possa indicar fuga ao acolhimento destes alunos em sala de aula, quando observamos a relação de experiência com classes que contam com alunos incluídos, verificamos uma maior aceitação afetiva, mesmo que ainda persista a indicação de proceder a uma capacitação profissional para se sentir seguro
Abstract: The education is formed by a universe of uncountable colorful shades, or perhaps, it should be said uncountable needs. There are main aspects involved. Among them the school inclusion is one that has becoming more present, not only in the school environment but also in the society as a whole. Based on this idea, this study discusses the relation inclusion/exclusion of special needs students in the school context according to the teachers point of view. It is considered the dialectic of the speaking/silence of the teachers from the initial series of Basic Education, captured of means of three groups of citizens. In the first group we carry out a focus group technique with retired teachers who continue teaching, in order to get a thematic overview of the special education. In the second group questionnaires were applied to students of pedagogy course who teach at public schools. The questionnaire was constructed with open and closed questions, including the technique of the free association. Basic education municipal schools teachers were interviewed and the singularities of their voices were carefully analyzed in order to capture what goes beyond of their point of view about the special needs students in their classroom set and in their pedagogical actions. For analysis and interpretation of the data, respectively, in the three groups were used: content analysis, in the perspective proposed by Bardin (1977); categorization considering the thesis author s point of view and the output report of software SPSS and, finally, the program CHIC. It was notice among the interviewed teachers, different understandings about the special needs students in regular education. A small part of these teachers felt comfortable and prepared to talk about school inclusion. Another part of the teachers, in its majority showed themselves favorable, but conscientious of their limitation of facing the inclusion theme with their little knowledge. A small group of the teachers opposed to this discussion. Besides of the pointing out favorable or unfavorable conceptions of teachers, it was possible to notice the points that express the vision of the teachers about the inclusion of special needs students. Although they have considered difficult to teach these students they revealed a real wish for qualification. This wish, expressed with too emphasis that the studied teachers revealed the necessity of being a "super-teachers" to teach to special needs students, what, paradoxically, may camouflage their refuse in receiving these students in a classroom set. This idea is away of the wanted pedagogical standard of disciplined and intent student, as emerged in some depositions of this research. The studied groups indicated, thus, that their representations about the students with special needs and their teachers are anchored in affective aspects and in the necessity of personal and professional qualification to face what they consider a challenge of teaching. Although in a first moment this vision, may indicate an escape to shelter the students in the classroom, when the relation of experience with classrooms that have included students it was observed a higher affective acceptance, even if their idea of personal qualification persists in order to give them more confidence
Palavras-chave: inclusão e exclusão
alunos portadores de deficiência
professores de alunos portadores de deficiência
school inclusion and exclusion
special needs students
teachers of special needs students
Crianças portadoras de deficiência
Professores
Educação de base
Inclusão em educação
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO::TOPICOS ESPECIFICOS DE EDUCACAO::EDUCACAO ESPECIAL
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Psicologia
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação: Psicologia da Educação
Citação: Carvalho, Sumaya Persona de. Educação Especial: o olhar e a palavra do professor. 2005. 287 f. Tese (Doutorado em Psicologia) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2005.
Tipo de acesso: Acesso Restrito
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/16151
Data de defesa: 12-Dec-2005
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação: Psicologia da Educação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese Sumaya Persona de Carvalho.pdf1,02 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.