???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/15866
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorBalaban, Alessandra-
dc.creator.Latteshttp://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4594528E1por
dc.contributor.advisor1Berlinck, Manoel Tosta-
dc.date.accessioned2016-04-28T20:40:10Z-
dc.date.available2009-12-14-
dc.date.issued2009-11-04-
dc.identifier.citationBalaban, Alessandra. Da trama familiar à escuta do sujeito na clínica psicanalítica da adolescência. 2009. 128 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2009.por
dc.identifier.urihttps://tede2.pucsp.br/handle/handle/15866-
dc.description.resumoEsta dissertação focaliza a clínica da adolescência a partir de prática por mim conduzida em uma instituição pública, o Centro de Referência da Infância e Adolescência CRIA. À semelhança da atividade clínica com adolescentes empreendida em outros settings, em tal prática, muitos discursos rodam o clínico. Pais, professores, conselheiros tutelares e pareceres médicos são as vozes costumeiras que fazem parte da busca de atendimento aos adolescentes, bem como do desenrolar do próprio atendimento. Seja em coro ou individualmente, estas vozes demandam uma solução para as manifestações do adolescente. Frente a tal emaranhado, cabe ao clínico escutar o que o adolescente tem a dizer sobre o que dizem dele. Assim, o desafio enfrentado pelo profissional diz respeito à falta de clareza na demarcação de quem é o portador do sofrimento. Nesta dissertação, foi assumida a postura de que a crise do adolescente está atrelada a um intenso trabalho psíquico operado pelo adolescente para fazer a passagem da família para o laço social. Este trabalho psíquico é muitas vezes impedido por uma solução de compromisso formada entre pais e filhos, que mereceu a nossa atenção. O trabalho analítico favorece o surgimento de uma crise que é diferente daquela enunciada pelos pais, quando o adolescente faz um questionamento da posição ocupada diante de seus Outros primordias. Tal trabalho aponta para uma reformulação da posição assumida na infância. Ancorada na psicopatologia fundamental e na psicanálise, a dissertação tem como eixo condutor as produções freudianas acerca da puberdade, bem como a contribuição de autores mais contemporâneos que abordam a adolescênciapor
dc.description.abstractThe dissertation addresses the psychoanalytic clinic of adolescents from the perspective offered by my practice in a public institution, the Centro de Referência da Infância e Adolescência CRIA [Center of Reference for Childhood and Adolescence]. Similar to the analytic clinical activity with adolescents developed in other settings, many discourses surround the professional in this practice. Parents, teachers, counselors and medical evaluators constitute voices that frequently take part in the search for an adolescent s treatment, as well as in the development of the treatment. Collectively or individually, these voices demand a solution to adolescent s behaviors. Before this knotted scenario, it is up to the professional to hear what the adolescent has to say about what is said about him/her . Thus, when the professional proposes to offer this hearing space, the challenge is related to the fact that the distinction of the actual one who suffers is very blurry. In this work, the view that was adopted was that the adolescent crisis is concerned with an intense psychological work developed by the adolescent in order to move from the family to the social realm. This work is often blocked by a pact of commitment between parents and adolescents, which merited our attention. The analytical work favors the emergence of a crisis different from the one stated by the parents when the adolescent interrogates the position occupied before his/her primordial Others. Such a work points to a rearrangement of the positions occupied during childhood. Anchored in Fundamental Psychopathology and Psychoanalysis, the guidelines for this dissertation are provided by Freudian literature as well as by contemporary works about adolescenceeng
dc.description.provenanceMade available in DSpace on 2016-04-28T20:40:10Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Alessandra Balaban.pdf: 806766 bytes, checksum: 45052ac9361dced3bd4e599a76893d3e (MD5) Previous issue date: 2009-11-04eng
dc.formatapplication/pdfpor
dc.thumbnail.urlhttp://tede2.pucsp.br/tede/retrieve/32054/Alessandra%20Balaban.pdf.jpg*
dc.languageporpor
dc.publisherPontifícia Universidade Católica de São Paulopor
dc.publisher.departmentPsicologiapor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.initialsPUC-SPpor
dc.publisher.programPrograma de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Clínicapor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectTrama familiarpor
dc.subjectPsicanálisepor
dc.subjectAdolescenceeng
dc.subjectCrisiseng
dc.subjectFamily grideng
dc.subjectPsychoanalysiseng
dc.subjectAdolescenciapor
dc.subjectPais e filhospor
dc.subjectPsicanalise do adolescentepor
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIApor
dc.titleDa trama familiar à escuta do sujeito na clínica psicanalítica da adolescênciapor
dc.typeDissertaçãopor
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Clínica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Alessandra Balaban.pdf787,86 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.