???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/15495
Tipo do documento: Dissertação
Título: O limite como potência: um estudo das relações entre a vergonha e a criatividade
Título(s) alternativo(s): The limit as potency: a study of the relations between shame and creativity
Autor: Schmitt, Alexandre
Primeiro orientador: Wahba, Liliana Liviano
Resumo: Este estudo visa a formular hipóteses acerca das relações entre a vergonha e a criatividade, baseado em um referencial teórico junguiano e complementado, sempre que necessário, por desenvolvimentos teóricos de outras correntes da psicologia. A vergonha é um afeto que foi muito pesquisado a partir dos anos 80 do século passado por várias linhas teóricas. A criatividade, por sua vez, é um tema que vem sendo muito estudado há uma verdadeira febre literária sobre o assunto , mas são escassas as pesquisas que estudam a relação entre esses dois fenômenos. A visão do senso comum é a de que a vergonha é um afeto que inibe a criatividade, mas pode-se suspeitar, com base nos mitos do Gênesis e de Hefesto, que a vergonha possa também ser um afeto promovedor dela. Organizado em seis capítulos, o estudo começa com uma breve introdução e segue com uma revisão da literatura acerca da vergonha, em que se procura situá-la dentro da teoria dos afetos existente na psicologia analítica, bem como distingui-la de alguns sentimentos como a culpa e o embaraço. Tece-se também toda uma rede de conceitos vinculada a esse afeto, que abrange a noção de integridade, de auto-estima e de complexo de inferioridade. Nesse capítulo ainda, é feito um estudo das estratégias de defesa comumente empregadas como proteção contra esse doloroso afeto. O terceiro capítulo é constituído por uma revisão da literatura acerca da criatividade sob o referencial teórico da psicologia analítica, no qual são apresentadas as visões de autores como Carl Gustav Jung, Erich Neumann, Verena Kast, Paul Brutsche, Luigi Zoja, James Hillman e Rosemary Gordon. No quarto capítulo, é feita uma nova revisão de literatura, desta vez, acerca dos poucos estudos existentes acerca da relação entre vergonha e criatividade. Finalmente, no quinto capítulo último capítulo antes da conclusão são discutidos os estudos que foram objeto das revisões de literatura anteriormente elaboradas e uma hipótese acerca da relação entre a vergonha e a criatividade é formulada, qual seja: a de que duas defesas comumente empregadas contra a vergonha a retirada e a evitação podem contribuir, respectivamente, para um ambiente favorável à atividade criativa e para um alto desempenho. Consta deste trabalho um breve estudo do papel que as minorias sociais podem desempenhar na atividade criativa e é também formulada a hipótese de que o sentimento de inferioridade elemento associado à vergonha possui um caráter arquetípico. As hipóteses são ilustradas com duas breves discussões acerca da biografia de dois famosos criadores: Maria Callas e Carl Gustav Jung
Abstract: This study seeks to formulate hypothesis concerning the relations between shame and creativity based on a Jungian theoretical framework and complemented, whenever necessary, by theoretical developments from other psychological schools of thought. Shame has been widely researched through many theoretical approaches starting from the eighties of the last century. Creativity, in turn, is a subject that is being studied a lot a real literary fever about it can be observed , but the researches that study the relations between these two phenomena are rare. Common sense vision on the subject is that shame is an affect that inhibits creativity, but it is possible to suspect, based on the Genesis and on Hephaestus myths, that shame may also be an affect that fosters it. Organized in six chapters, this study starts with a brief introduction and goes on with a revision of the literature on shame, trying to place this affect inside the Analytical Psychology s theory of affects, as well as to distinguish it from some feelings like guilt and embarrassment. A whole web of concepts that establish a relation with this affect, such as integrity, self-esteem and inferiority complex is constructed. Still in this chapter the strategies of defense that are commonly employed by people to protect themselves against this painful affect are studied. In the third chapter, a revision of the literature on creativity under the Analytical Psychology s theoretical framework with the approaches of authors such as Carl Gustav Jung, Erich Neumann, Verena Kast, Paul Brutsche, Luigi Zoja, James Hillman and Rosemary Gordon is presented. In the fourth chapter, the literature is again revised, this time, the one that concerns the few existing studies about the relations between shame and creativity. Finally, in the fifth chapter the last chapter before the conclusion the studies that were mentioned in the revision of the literature are discussed and the following hypothesis about the relationship between shame and creativity is formulated: two defenses commonly employed against shame withdrawal and avoidance may contribute, respectively, for a favorable environment to creativity and for high performance. A small study concerning the role that social minorities may have in the creative production is also developed and the hypothesis that the inferiority feeling an element associated to shame has an archetypical character is also formulated. The hypotheses are exemplified with two brief discussions of the biographies of two famous creators: Maria Callas and Carl Gustav Jung
Palavras-chave: Vergonha
Psicologia analítica
Shame
Creativity
Analytical psychology
Vergonha -- Aspectos psicologicos
Psicologia junguiana
Criatividade
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Psicologia
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Clínica
Citação: Schmitt, Alexandre. O limite como potência: um estudo das relações entre a vergonha e a criatividade. 2006. 236 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2006.
Tipo de acesso: Acesso Restrito
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/15495
Data de defesa: 9-Jun-2006
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Clínica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
arq4.pdf1,54 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.