???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/14667
Tipo do documento: Dissertação
Título: A (meta) física poética em Hilda Hilst
Autor: Almeida, Geruza Zelnys de
Primeiro orientador: Oliveira, Maria Rosa Duarte de
Resumo: Este estudo tem como objetivo analisar a construção da poesia metafísica da escritora brasileira Hilda Hilst a partir da física ou da materialidade da linguagem poética. Para isso, perseguimos os procedimentos poéticos que promovem a indissolubilidade entre forma e idéia na poesia hilstiana, entre eles, a construção da metáfora que se refaz continuamente em busca do inominável, possibilitando a identidade conceito-imagem. No decorrer da investigação, observou-se que a poeta garante a materialidade de sua poética por meio da fusão entre dois modos de construção do pensamento: a condensação, própria da poesia, e a expansão, própria da prosa. Essas relações formais, analisadas na macro e na micro-estrutura poemática, revelaram um projeto autoral em grande dimensão, no qual todos os elementos da obra ligam-se por meio de linhas imaginárias que movimentam o continuum do pensamento, numa geometria fundada sobre o devir das formas inacabadas. Os resultados da análise demonstraram que, conciliando o desejo metafísico com o rigor poético-científico, Hilda Hilst torna visível a estrutura geométrico-diagramática do pensamento, materializando a metafísica no texto poético, ora por meio de linhas ascendentes - que partem do sublime -, ora descendentes - que partem do grotesco. Tais linhas, no entanto, não desenham uma imagem fixa, mas em contínuo esboço, daí a denominação poema-croqui que propomos para os textos hilstianos. A movência poético-conceitual é responsável, também, pela criação de uma poesia de caráter especulativo e ensaístico, estruturadora de uma teoria de representação poética, que alicerça a criação de um método de investigação interior, fazendo da poesia fonte para o processo de conhecimento humano. Essas considerações apontam para a originalidade da obra hilstiana, cujo processo de geometrização triangular não exclui o leitor, mas o incorpora numa obra que dispensa categorizações de gênero, subverte o modelo, desorganiza os lugares instituídos e re-inventa os valores de uma poesia de plasticidade reflexiva ímpar
Abstract: The aim of this study is to analyze the construction of the Brazilian writer Hilda Hilst s metaphysical poetry from the physics or the materiality of the poetic language. For it, we pursued the poetic procedures which promote the non-indissolubility between form and idea on the Hilda Hilst s poetry, between them, the metaphor construction that redoes itself looking for what can t be named, making possible the concept-image identity. In the analysis following, it has been observed that the poetry guarantees the materiality of her work by the means of fusing two modes of thought construction: one, condensed, proper in poetry; the other, expansive, proper in prose. Both formal relations analyzed into the macro and the micro poem structure unmasked a personal project of great dimension in which all the elements are connected through imaginary lines, moving the continuum of thought on a geometric foundation of on-going unfinished forms. The analyzed results demonstrated that, harmonizing the metaphysic desire with the poetic-scientific rigidity, Hilda Hilst makes visible the geometric-diagrammatic structure of the thought, materializing the metaphysic into the poetic text one moment, through ascendant lines from sublime, and in another, through descendant lines from grotesque. These lines, however, create a misty rather than a fixed image; because of it we name the Hilda Hilst s texts croqui-poem . The poetic-conceptual moving is also responsible for the speculative and essayist character of the poetry, structuring a theory of poetic representation that supports the creation of an interior investigative method, making the poetry source for the human knowledge process. These considerations indicate the originality of Hilda Hilst s work, whose triangular geometric process does not exclude the reader, but incorporates him in a work that dispenses gender categorizations, subverts the models, disorganizes the instituted places and reinvents the values of a poetry that contains an unique reflexive plasticity
Palavras-chave: Poesia
Metafísica
Poetry
Metaphysic
Hilst, Hilda -- 1930-2004- -- Critica e interpretacao
Área(s) do CNPq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LETRAS::LITERATURA BRASILEIRA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: Literatura
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária
Citação: Almeida, Geruza Zelnys de. A (meta) física poética em Hilda Hilst. 2005. 133 f. Dissertação (Mestrado em Literatura) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2005.
Tipo de acesso: Acesso Restrito
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/14667
Data de defesa: 13-Oct-2005
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao Geruza Zelnys de Almeida.pdf1,7 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.