???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/13403
Tipo do documento: Tese
Título: Os estudos de Thomas Hunt Morgan sobre determinação de sexo (1900-1914): herança citoplasmática, cromossômica e outras possibilidades
Autor: Brito, Ana Paula Oliveira Pereira de Morais 
Primeiro orientador: Martins, Lilian Al-Chueyr Pereira
Resumo: Esta pesquisa, que trata dos estudos de Thomas Hunt Morgan sobre determinação de sexo (de 1900 a 1913), procura elucidar quais foram as principais hipóteses levantadas por Morgan para explicar tal fenômeno; se elas estavam bem fundamentadas; e se houve alguma mudança em seu pensamento durante o período. Além disso, procura saber se as contribuições de Morgan referentes à determinação de sexo foram significativas em comparação àquelas de outros cientistas de sua época, bem como que tipo de estratégia ele utilizou para se tornar o cientista mais citado em relação ao assunto. Esta tese contém uma introdução e cinco capítulos. O primeiro capítulo trata dos precedentes sobre a hereditariedade e o contexto científico em geral em que Morgan apresentou suas contribuições em relação ao assunto. Apresenta também uma curta descrição de sua formação, carreira e interesses profissionais. O capítulo 2 descreve as diferentes explicações para a determinação de sexo que foram apresentadas por diversos cientistas durante a primeira década do século XX. O capítulo 3 discute alguns resultados obtidos por Morgan em seus estudos sobre a determinação de sexo durante o período compreendido entre 1900 e 1910. O capítulo 4 discute se as evidências obtidas nos estudos desenvolvidos por Morgan entre 1910-1911 e 1913 foram suficientes para explicar sua mudança de opinião no que se refere à relação entre determinação de sexo, cromossomos e princípios de Mendel. O capítulo 5 procura responder às perguntas apresentadas na introdução e tece algumas considerações sobre o assunto. Este estudo levou à conclusão de que a visão adotada por Morgan até 1910 baseou-se nas evidências obtidas em seus estudos embriológicos, bem como nos estudos sobre determinação de sexo em insetos partenogenéticos. Quando ele admitiu em 1909 que os cromossomos poderiam contribuir de algum modo, foi de uma maneira quantitativa. As evidências obtidas através dos estudos desenvolvidos por Morgan de 1910-1911 a 1913 relacionadas à herança ligada ao sexo em Drosophila não foram suficientes, a nosso ver, para justificar sua mudança de opinião ao adotar uma interpretação mendeliana-cromossômica, qualitativa. Além disso, suas antigas críticas à teoria cromossômica como um todo não foram respondidas. Este estudo confirma a interpretação de que a mudança de visão por parte de Morgan se deveu principalmente a uma estratégia profissional, uma vez que isso poderia ser uma hipótese de trabalho frutífera. Ele admitiu estudantes que embora tivessem um status acadêmico baixo, eram habilidosos e com treino em citologia. Escolheu um material experimental de custo baixo e que facilitou os cruzamentos. Escreveu trabalhos em estilo popular, como Heredity and sex. Suas estratégias funcionaram, já que a partir de 1910-1911 os trabalhos do grupo Drosophila começaram a ser muito citados na literatura relevante sobre o assunto
Abstract: The present research analyses Thomas Hunt Morgan s studies on sex-determination (1900-1913) and tries to elucidate: which were Morgan s main hypotheses to explain such a phenomenon; whether they were well grounded or not and whether there were any changes in his thought in that period. Besides that, it tries to find whether Morgan s contribution concerning sex-determination were significant as compared to those of other scientists of his time, as well as the kind of strategy he used to become the most frequently cited scientist on the subject. This thesis contains an introduction and five chapters. Chapter 1 deals with the hereditary precedents and the general scientific context in which Morgan presented his contributions concerning the subject. It also presents a short account of his career, background and professional interests. Chapter 2 describes the different explanations concerning sex-determination presented by several scientists in the first decade of the 20th century. Chapter 3 discusses some results obtained by Morgan in his studies on sex-determination during the period from 1900 to 1910. Chapter 4 discusses whether the evidence got from Morgan s studies on sex-determination from 1910-11 to 1913 was enough to explain his change of opinion concerning the relationship between sex-determination, chromosomes and Mendel´s principles. Chapter 5 tries to answer the questions presented in the Introduction and provides some final remarks on the subject. This study led to the conclusion that Morgan s belief in a cytoplasmic inheritance of sex-determination till 1910 was grounded on the evidence he got from his embryological studies, as well as his studies on sex-determination in parthenogenetic insects. Even when he admitted in 1909 that chromosomes could contribute in some way to this phenomenon, he supposed that this was a quantitative effect. The evidence got from Morgan s studies from 1910-1911 to 1913 related to sex-linked inheritance in Drosophila, in our view, were not enough to justify his change of mind on the subject by adopting a quantitative Mendelian-chromosome interpretation. Besides that, his old criticisms on the Mendelian chromosome theory as a whole were not answered. This study confirms the interpretation that Morgan s change of view was mainly due to a professional strategy, since he considered this could be a fruitful working hypothesis of work. He admitted students which were of a low academic status in spite of being skilful and well-trained in cytology. Moreover, he chose a cheap and easily breeding experimental material and wrote several works individually or together with his collaborators in a popular style, such as Heredity an sex. Morgan s strategies worked, since after 1910-1911 the works of the Drosophila group were widely cited in the relevant literature
Palavras-chave: História da genética
Teoria cromossômica
History of genetics
Sex-determination
Chromosome theory
Morgan, Thomas Hunt -- 1866-1945 -- Contribuicoes em determinacao de sexo
Cromossomos
Genetica
Sexo -- Causa e determinacao
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::HISTORIA::HISTORIA DAS CIENCIAS
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: História da Ciência
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em História da Ciência
Citação: Brito, Ana Paula Oliveira Pereira de Morais. Os estudos de Thomas Hunt Morgan sobre determinação de sexo (1900-1914): herança citoplasmática, cromossômica e outras possibilidades. 2008. 130 f. Tese (Doutorado em História da Ciência) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2008.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/13403
Data de defesa: 15-Oct-2008
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em História da Ciência

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Ana Paula Oliveira Pereira de Morais Brito.pdf780,15 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.