???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/13204
Tipo do documento: Dissertação
Título: Bóias-frias e a mecanização nas usinas de açúcar e álcool no oeste paulista - de 1960-2000
Autor: Bezerra, Antonio Alves
Primeiro orientador: Matos, Maria Izilda Santos de
Resumo: A década de 60 caracterizou-se como um marco histórico no processo de transformações do setor agrícola do país. Seguiram-se tensões no setor canavieiro, sobretudo após a criação do Estatuto do Trabalhador Rural, visto como fator de desencadeamento de conflitos no campo. Esta pesquisa aborda os desdobramentos da implantação da mecanização nos campos das usinas Nova América e Maracaí, alocadas nas cidades de Tarumã e Maracaí, próximas ao município de Assis-SP (Oeste do Estado). Desdobramentos estes que se dão ao analisar-se o desemprego; os movimentos reivindicatórios de greves; as ações impetradas junto ao Ministério do Trabalho; a precariedade do transporte; os acidentes com trabalhadores no processo do corte da cana; as exigências dos usineiros no momento da contratação; as comemorações no final das colheitas na região em foco. Esses fatores são discutidos analisando-se os discursos contidos na imprensa (A Voz da Terra, Folha de S. Paulo e Gazeta Mercantil), nos processos trabalhistas e nas falas dos trabalhadores, com objetivo de compreender as representações construídas acerca das empresas e do cotidiano desses trabalhadores rurais, no período de 1960 a 2000. O recurso à história oral enquanto fonte documental tornou-se indispensável para a compreensão do cotidiano dos bóias-frias , possibilitando refletir sobre a dualidade: experiências e representações. Os depoimentos permitiram ainda caracterizar os trabalhadores rurais, vistos na posição de agentes sociais, mostrando suas procedências, as especificidades de gênero, seus estigmas e representações frente ao processo de transformação no campo das usinas. As agro-indústrias figuram nesta pesquisa como lugares de tensões e poder, permitindo a compreensão de fluxos de exclusão dos trabalhadores rurais de suas atividades diárias no canavial, sinalizando para uma reflexão acerca do binômio trabalho/exclusão, conjugando-se em tramas de poder. O processo de exclusão a que os trabalhadores rurais foram e vem sendo submetidos confirma-se ao observar que as usinas, enquanto instituições de produção e gestoras de postos de trabalho, fecham as possibilidades de acesso dos trabalhadores rurais neste processo, uma vez que são substituídos pela mecanização. Uma ação coletiva em 1962 envolvendo trabalhadores da usina Nova América evidencia o embate entre os trabalhadores e os usineiros. As repercussões desse dissídio sinalizam a não-passividade dos trabalhadores, denotando suas insatisfações frente às situações de trabalho a que eram submetidos. A idéia de produção e lucro com o cultivo da cana-de-açúcar torna-se outra incógnita nesta trama, em que interesses se mesclam, desencadeando indagações acerca do presente e futuro dos trabalhadores rurais
Abstract: The decade of 60 was characterized as a historic point on process of transformation of the agricultural sector of the country. Tensions in the plantation of sugar cane sector had been followed, over all after the creation of the Statute of the Agricultural Worker, seemd as factor of conflicts motivation in the field. This research approaches the unfolding of the implantation of mechanization in the fields of the factories of Nova América and Maracaí, placed in the cities of Tarumã and Maracaí, next to the city of Assis-SP (West of the State). Unfolding these that came from analyzing the unemploymente itself; the claimer of movements of strikes the actions petitioned together to the Ministry of the Work; the precariousness of the transport; the accidents with workers in the process of the cut of the sugar cane; the requirements of employs at the moment of the act of contract; the commemorations in the end of the harvests in the region in focus. These facts are argued analyzing the speeches contained in the facture (A Voz da Terra, Folha de S. Paulo and Gazeta Mercantil), in the working processes and in voices of the workers, with objective to understand the representations constructed concerning the companies and of the daily one of these agricultural workers, in the period of 1960 to 2000. The recourse to verbal history while documentary source became indispensable for the understanding of the daily one of the bóias-frias (rural workers), making possible to reflect on the duality: experiences and representations. The depositions had still allowed to characterize the agricultural workers, seem to the position of social agents, showing its origins, the specificys of sort, its stigmata and representations front to the process of transformation in the field of the facture, the agro-industries appear in this research as places of tensions and power, allowing the understanding of flows of exclusion of the agricultural workers of its daily activities in the plantation of sugar cane, signaling for a reflection concerning the binomial work/exclusion, conjugating themselves in trams of power. The exclusion process that those agricultural workers had been and come being submitted confirms it observing that the facture, while institutions of production and managers of work ranks, close the possibilities of access of the agricultural workers in this process, a time that is substituted by mechanization. A class action in 1962 involving diligent of the Nova America facture evidences the shock between the workers and usineiros the employers. The repercussions of this agreement signal the not-passivity of the workers, denoting its dissatisfaction front the work situations the one that were submitted. The idea of production and profit with the culture of the sugar cane becomes another incognito in this tram, where interests if they mix unchaining investigations concerning the present and future of the agricultural workers
Palavras-chave: bóias-frias
mecanização
exclusão
poder
história oral
imprensa

Bóias-frias
Mechanization
Exclusion
Power
Verbal History
The press
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::HISTORIA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Sigla da instituição: PUC-SP
Departamento: História
Programa: Programa de Estudos Pós-Graduados em História
Citação: Bezerra, Antonio Alves. Bóias-frias e a mecanização nas usinas de açúcar e álcool no oeste paulista - de 1960-2000. 2002. 212 f. Dissertação (Mestrado em História) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2002.
Tipo de acesso: Acesso Restrito
URI: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/13204
Data de defesa: 30-Mar-2002
Appears in Collections:Programa de Estudos Pós-Graduados em História

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Antonio Alves Bezerra.pdf897,86 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.